O Antagonista

Kassab fez o dever de casa

avatar
Claudio Dantas
2 minutos de leitura 02.11.2021 16:18 comentários
Opinião

Kassab fez o dever de casa

A filiação de Datena ao PSD, antecipada por O Antagonista, é uma das peças que faltava na estratégia de Gilberto Kassab (foto) para atrair Geraldo Alckmin e fechar o palanque em São Paulo. Com a confirmação do ex-governador -- que espera o fim das prévia tucanas para anunciar a troca de legenda --, Kassab terá formado o 10º palanque estadual...

avatar
Claudio Dantas
2 minutos de leitura 02.11.2021 16:18 comentários 0
Kassab fez o dever de casa
Foto: Elza Fiuza/Agência Brasil

A filiação de Datena ao PSD, antecipada por O Antagonista, é uma das peças que faltava na estratégia de Gilberto Kassab (foto) para atrair Geraldo Alckmin e fechar o palanque em São Paulo. Com a confirmação do ex-governador — que espera o fim das prévias tucanas para anunciar a troca de legenda –, Kassab terá formado o 10º palanque estadual.

Seu objetivo é ter candidatos a governador em 17 estados, criando uma máquina eleitoral poderosa.

Embora tenha filiado Rodrigo Pacheco na expectativa de lançá-lo à Presidência, ainda é cedo para saber se o presidente do Senado conseguirá decolar nas pesquisas. Certo é que Kassab será um player indispensável nas eleições em 2022.

Nos bastidores, circulam rumores de que Pacheco poderia virar o vice de Lula, o que Kassab nega veementemente. Ao Papo Antagonista, o ex-prefeito garantiu recentemente que seu objetivo é construir uma Terceira Via consistente, na base do diálogo com diferentes legendas.

Os fatos tendem a confirmar a versão do presidente do PSD, que trabalha há 1 ano na montagem de palanques estaduais que deem sustentação a um projeto nacional.

Até agora, já são nove candidatos próprios aos governos de Rio de Janeiro (Felipe Santa Cruz), Santa Catarina (Raimundo Colombo), Paraná (Ratinho Jr), Minas Gerais (Alexandre Kalil), Goiás (Henrique Meirelles), Sergipe (Fábio Mitidiere), Maranhão (Edivaldo Holanda), Acre (Petecão), Alagoas (Rui Palmeira).

São candidaturas apoiadas, em muitos casos, num arco de alianças multipartidárias, que incluem PT, MDB e União Brasil. A interlocutores, Kassab alega necessidade de pragmatismo e muito diálogo para “romper com o radicalismo e pacificar o país”.


Tags relacionadas

eleições 2022 Gilberto Kassab
< Notícia Anterior

Queiroga ignora omissão do governo na pandemia e pede oração às vítimas de Covid

02.11.2021 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Facebook anuncia que vai desativar reconhecimento facial

02.11.2021 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Claudio Dantas

Claudio Dantas é diretor-geral de Jornalismo de O Antagonista. Com mais de duas décadas cobrindo o poder, já atuou nas redações de EFE, Correio Braziliense, Folha de S. Paulo e IstoÉ. Ganhou os prêmios Esso, Embratel e Direitos Humanos. Está entre os jornalistas mais influentes do Twitter e venceu três vezes o iBest de melhor veículo de política.

Suas redes

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

Diante da ABIN paralela, fica a pergunta: quem realmente defende liberdades no Brasil?

Diante da ABIN paralela, fica a pergunta: quem realmente defende liberdades no Brasil?

Madeleine Lacsko
12.07.2024 17:17 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Por que Pablo Marçal resolveu fuçar a vida pessoal de Tabata Amaral?

Por que Pablo Marçal resolveu fuçar a vida pessoal de Tabata Amaral?

Madeleine Lacsko
11.07.2024 21:40 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Qual é, afinal, o lado de Lula na invasão da Ucrânia?

Qual é, afinal, o lado de Lula na invasão da Ucrânia?

Madeleine Lacsko
10.07.2024 21:36 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Tudo joia, Bolsonaro?

Tudo joia, Bolsonaro?

Madeleine Lacsko
09.07.2024 20:05 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.