Projeto para designar UNRWA como organização terrorista avança em Israel Projeto para designar UNRWA como organização terrorista avança em Israel
O Antagonista

Projeto para designar UNRWA como organização terrorista avança em Israel

avatar
Redação O Antagonista
2 minutos de leitura 29.05.2024 16:00 comentários
Mundo

Projeto para designar UNRWA como organização terrorista avança em Israel

Israel acusa funcionários da agência da ONU de envolvimento nos ataques do Hamas em 7 de outubro

avatar
Redação O Antagonista
2 minutos de leitura 29.05.2024 16:00 comentários 0
Projeto para designar UNRWA como organização terrorista avança em Israel
Reprodução/X

O Parlamento israelense aprovou nesta quarta-feira, 29, em leitura preliminar, um projeto de lei para designar a UNRWA, agência da ONU para refugiados palestinos acusada de ter ligação com o Hamas, como organização terrorista, registrou o portal Jerusalem Post.

Proposto pela parlamentar Yulia Malinovsky, o projeto é o mesmo que prevê a abolição de imunidades e privilégios para funcionários da entidade.

Se for aprovado na leitura final, a UNRWA ficará sujeita à Lei Antiterrorismo de Israel, permitindo ao governo israelense cessar todos os laços com a agência e encerrar os ativos da organização em território israelense.

UNRWA e o ataque de 7 de outubro

Como mostramos, Israel acusa funcionários da agência de envolvimento nos ataques do Hamas em 7 de outubro.

Embora tenha sido pensada com fins humanitários, diversas provas demonstraram que a organização é uma das principais estimuladoras do ódio contra judeus e do terrorismo no Oriente Médio.

Pelo menos doze funcionários da UNRWA participaram dos ataques terroristas em Israel em 7 de outubro, como demonstrou, para além de dúvidas, um relatório de inteligência israelense. Dez deles pertenciam ao Hamas. Um era da Jihad Islâmica. Seis deles entraram nesse dia em Israel com outros terroristas, como prova a geolocalização de seus celulares.

Os que não participaram diretamente da ação compraram munições, guardaram lançadores de granadas ou ajudaram na logística. Sete eram professores de escolas da UNRWA, ministrando disciplinas como matemática e árabe. Dois tinham outras funções, também em colégios. Um deles, da cidade de Khan Younis, sequestrou uma mulher israelense com seu filho.

Uma reportagem do jornal americano Wall Street Journal, publicada em 29 de janeiro, mostrou que 23% de todos os funcionários homens da agência têm conexão com o terror. No total, cerca de 1.200 dos empregados fazem parte do Hamas ou da Jihad Islâmica. Eles representam um em cada dez assalariados da UNRWA.

As acusações desencadearam investigação interna, demissões e reações dos Estados Unidos, França, Itália, Canadá, Finlândia e outros países que anunciaram a suspensão do financiamento da agência.

Brasil

Fuzis no RJ: O armamento que assusta e a guerra nas ruas

20.06.2024 12:47 3 minutos de leitura
Visualizar

Copa América 2024: Análise do Grupo C

Visualizar

Tragédia: Bebida tóxica mata dezenas na Índia

Visualizar

Rússia e Vietnã: Parceria estratégica para dominar a Ásia-Pacífico

Visualizar

Calor extremo mata mais de 1000 peregrinos em Meca

Visualizar

Alerta: Níveis do Rio Guaíba disparam e ilhas tem novo alagamento

Visualizar

Tags relacionadas

Israel Knesset terrorista UNRWA
< Notícia Anterior

Ciclone se afasta do RS, mas mar segue agitado

29.05.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Crusoé: O que está em disputa nas eleições na África do Sul

29.05.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Redação O Antagonista

Suas redes

Instagram

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

Tragédia: Bebida tóxica mata dezenas na Índia

Tragédia: Bebida tóxica mata dezenas na Índia

20.06.2024 12:39 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Rússia e Vietnã: Parceria estratégica para dominar a Ásia-Pacífico

Rússia e Vietnã: Parceria estratégica para dominar a Ásia-Pacífico

20.06.2024 12:25 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Calor extremo mata mais de 1000 peregrinos em Meca

Calor extremo mata mais de 1000 peregrinos em Meca

20.06.2024 12:24 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
UE em guerra: Sanções radicais proíbem gás russo e acendem alerta vermelho

UE em guerra: Sanções radicais proíbem gás russo e acendem alerta vermelho

20.06.2024 11:50 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.