Petrobras vai ajudar a cobrir rombo do governo Petrobras vai ajudar a cobrir rombo do governo
O Antagonista

Petrobras vai ajudar a cobrir rombo do governo

avatar
Rodrigo Oliveira
3 minutos de leitura 22.04.2024 08:07 comentários
Economia

Petrobras vai ajudar a cobrir rombo do governo

Petroleira decidiu por distribuir metade dos mais de 40 bilhões de reais em dividendos extraordinários retidos; União deve embolsar 6 bilhões de reais

avatar
Rodrigo Oliveira
3 minutos de leitura 22.04.2024 08:07 comentários 0
Petrobras vai ajudar a cobrir rombo do governo
O ministro de de Minas e Energia, Alexandre Silveira, e o presidente da Petrobras, Jean Paul Prates | Foto: Fabio Rodrigues-Pozzebom/ Agência Brasil

A Petrobras divulgou Fato Relevante informando o mercado que o Conselho de Administração da companhia decidiu encaminhar proposta pelo pagamento de 50% dos 43,9 bilhões de reais retidos anteriormente. A decisão será avaliada na Assembleia Geral Ordinária de acionistas da empresa, marcada para 25 de abril.

A estimativa é de que a União embolse cerca de 6 bilhões de reais desse montante, o que vai ajudar o governo a reduzir o déficit primário das contas públicas, estimado em cerca de 60 bilhões de reais para 2023 pelos economistas consultados no Boletim Focus.

De acordo com o comunicado a empresa, uma nova avaliação do cenário financeiro e econômico da petroleira demonstrou que não há risco para a sustentabilidade do negócio caso a Assembleia delibere por uma distribuição parcial dos dividendos extraordinários.

“Cenários dinâmicos

Considerando cenários dinâmicos, como a evolução do Brent, do câmbio e outros fatores, o CA entendeu, por maioria, serem satisfatórios os esclarecimentos e atualizações sobre a financiabilidade da companhia no curto, médio e longo prazo e da preservação da governança”, diz o comunicado ao mercado.

O CA defendeu ainda que “uma eventual deliberação pela Assembleia Geral Ordinária (“AGO”), marcada para o dia 25/04/2024, distinta da proposta da Administração de 07/03/2024, que venha a distribuir, a título de dividendos extraordinários, até 50% do lucro líquido remanescente (após as alocações às reservas legais e o pagamento de dividendos ordinários), não comprometeria a sustentabilidade financeira da Companhia; (ii) eventual distribuição dos 50% remanescentes pela Companhia, a título de dividendos intermediários, será avaliada pelo CA ao longo do exercício corrente“.

Vale lembrar ainda que a petroleira também busca um acordo com o governo para o pagamento com desconto de um contencioso tributário avaliado em mais de 50 bilhões de reais. A negociação com a PGFN (Procuradoria Geral da Fazenda Nacional) e a Receita Federal deve reduzir a dívida para próximo de 20 bilhões de reais.

Disputa

A distribuição dos dividendos extraordinários escancarou as disputas sobre a condução da empresa no governo Lula. O presidente da petroleira, Jean Paul Prates (em destaque na foto), queria distribui-los, contra a vontade do ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira (em segundo plano na foto), que adotou em seu ministério uma postura mais petista do que a de muitos petistas do governo.

Prates esteve a ponto de cair do cargo, por ser visto por parte do governo como alguém com postura subserviente ao mercado financeiro, que ficou exacerbada na abstenção dele durante as discussões sobre a distribuição de dividendos extraordinários no Conselho de Administração da estatal.

Mundo

Triton: o novo submarino que vai levar dois milionários ao Titanic

29.05.2024 21:30 3 minutos de leitura
Visualizar

Moraes libera últimos dois presos da cúpula da PMDF do 8/1

Visualizar

Robô frequenta escola no lugar de menino doente. Veja vídeo

Visualizar

Jaguatirica morre atropelada na SP-123

Visualizar

Chegou o imposto ‘do bem’

Visualizar

Enchentes em Porto Alegre: Estapar nega ressarcimento a veículos

Visualizar

Tags relacionadas

Alexandre Silveira governo Lula Jean Paul Prates Petrobras
< Notícia Anterior

Deputados estaduais também se viciaram em 'emendas Pix'

22.04.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Reino Unido volta a planejar voos de deportação para a Ruanda

22.04.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Rodrigo Oliveira

Jornalista pela UnB (Universidade de Brasília), pós-graduado em Marketing &amp; Mídias Digitais pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) e especializado em finanças e negócios. É Analista de Valores Mobiliários (CNPI) certificado pela Apimec (Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais) com quatro anos de experiência profissional no mercado financeiro.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

Dolar pressiona emergentes e volta a valer R$ 5,20

Dolar pressiona emergentes e volta a valer R$ 5,20

29.05.2024 18:30 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Saque-Aniversário FGTS 2024: novidades e impactos das mudanças

Saque-Aniversário FGTS 2024: novidades e impactos das mudanças

29.05.2024 12:00 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Grupo Mateus busca atacarejo nordestino

Grupo Mateus busca atacarejo nordestino

29.05.2024 11:48 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Carteira de Trabalho Digital: modernize seu acesso a direitos

Carteira de Trabalho Digital: modernize seu acesso a direitos

29.05.2024 11:30 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.