É dia de Copom, bebê! É dia de Copom, bebê!
O Antagonista

É dia de Copom, bebê!

avatar
Rodrigo Oliveira
3 minutos de leitura 08.05.2024 07:59 comentários
Economia

É dia de Copom, bebê!

A taxa básica de juros, Selic, deve continuar a ser reduzida, mas o ritmo pode sair de 0,50 p.p. para 0,25 p.p. nesta reunião do comitê

avatar
Rodrigo Oliveira
3 minutos de leitura 08.05.2024 07:59 comentários 1
É dia de Copom, bebê!
Foto: Adriano Machado/O Antagonista

Desde agosto do ano passado, quando o Banco Central iniciou o ciclo de cortes da taxa básica de juros, uma reunião do Comitê de Política Monetária tem tanta expectativa quanto a desta quarta-feira, 8. O colegiado anuncia às 18h30 mais uma redução na taxa básica de juros, mas a dúvida é sobre a magnitude do corte.

Esta será a sétima redução na Selic, que em agosto estava em 13,75% ao ano, e agora se encontra em 10,75% a.a.. Até aqui, todos os cortes foram de 0,50 ponto percentual, mas incertezas no horizonte econômico, tanto localmente quanto no exterior devem forçar a autoridade monetária a reduzir a velocidade de queda da taxa básica de juros brasileira.

No campo das indefinições locais, a insegurança do mercado com o apreço do governo Lula à responsabilidade fiscal e às metas de resultado primário cresceram com o anúncio de alterações nos objetivos para as contas públicas em 2025, que deixou de ter como alvo superávit de 0,5% do PIB (Produto Interno Bruto) para buscar déficit zero, e em 2026, que reduziu a promessa do equivalente a 1% do PIB de receitas acima das despesas para 0,25%.

Além disso, receios com os impactos da tragédia no Rio Grande do Sul para a economia brasileira também tem, aparentemente, dificultado a visibilidade sobre a pressão sobre os preços nos próximos meses. Economistas ainda tentam quantificar o impacto inflacionário da perda de parte importante da safra gaúcha e os problemas que ainda serão sentidos com os prejuízos à infraestrutura local no que diz respeito ao escoamento dos produtos produzidos no sul do país.

No cenário internacional, as indicações de que os efeitos da política monetária americana ainda precisarão de mais tempo para levarem as inflação por lá à meta de 2% também dificultam a decisão do Copom. O PCE (índice de gastos em consumo pessoal, na sigla em inglês) nos Estados Unidos, saiu de 2,84% para 2,82% em base anual no período entre a última decisão do Comitê local sobre juros e agora, ou seja, ficou praticamente estável. O número preocupa os agentes de mercado que entende que isso justificaria uma demora maior para a redução dos juros americanos.

Com taxas mais altas nos Estados Unidos, o dólar fica mais atraente aos investidores globais, e isso pressiona moedas emergente, como o real. Assim, o Banco Central teria pouco espaço para baixar mais as taxas locais. Com o real desvalorizado, as importações ficariam mais caras, o que também atrapalha o combate à inflação local.

Em diversas falas públicas anteriores à reunião do Copom, o presidente do BC, Roberto Campos Neto, que indicou que essa incerteza sobre os rumos do combate à inflação no exterior poderia forçar a autoridade monetária brasileira a reduzir o ritmo dos cortes da Selic.

O mercado parece concordar com RCN e tanto as opções de Copom negociadas na B3 quanto a precificação da curva futura de juros estão majoritariamente posicionadas por um corte de apenas 0,25 ponto percentual mais tarde nesta quarta-feira, 8.

Análise

Lula continua sendo humilhado por Maduro 

Carlos Graieb
21.05.2024 13:46 3 minutos de leitura
Visualizar

Opositor critica Netanyahu, mas repudia pedido de prisão e comparação com Hamas

Visualizar

Leilão: A bíblia de 1 milhão de Elvis Presley

Visualizar

Crusoé: Após crise diplomática, Milei vai sair para cantar

Visualizar

PF combate fraudes no Enem em Marabá

Visualizar

O "novo cangaço" na mira da polícia em SP

Visualizar

Tags relacionadas

Banco Central do Brasil Copom Selic
< Notícia Anterior

Brasileiros estão divididos sobre Lula, diz Quaest

08.05.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

António Oliveira sobre a vitória do Corinthians: "não vai jogar bem sempre"

08.05.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Rodrigo Oliveira

Jornalista pela UnB (Universidade de Brasília), pós-graduado em Marketing &amp; Mídias Digitais pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) e especializado em finanças e negócios. É Analista de Valores Mobiliários (CNPI) certificado pela Apimec (Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais) com quatro anos de experiência profissional no mercado financeiro.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (1)

EUD

2024-05-08 10:28:04

O RCN


Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

Guia Completo Microempreendedor Individual: como solicitar Auxílio Maternidade

Guia Completo Microempreendedor Individual: como solicitar Auxílio Maternidade

21.05.2024 12:00 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Unigel fecha acordo por Recuperação Extrajudicial

Unigel fecha acordo por Recuperação Extrajudicial

21.05.2024 11:48 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
MEI e Auxílio-Doença: saiba solicitar e beneficiar-se em 2024

MEI e Auxílio-Doença: saiba solicitar e beneficiar-se em 2024

21.05.2024 11:30 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Mão invisível do governo cada vez mais fundo no bolso do brasileiro

Mão invisível do governo cada vez mais fundo no bolso do brasileiro

21.05.2024 11:14 2 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.