Odebrecht pede ao STF suspensão de multa bilionária após caso J&F Odebrecht pede ao STF suspensão de multa bilionária após caso J&F
O Antagonista

Odebrecht pede ao STF suspensão de multa bilionária após caso J&F

avatar
Redação O Antagonista
3 minutos de leitura 13.01.2024 07:49 comentários
Brasil

Odebrecht pede ao STF suspensão de multa bilionária após caso J&F

A Novonor, antiga Odebrecht, quer “pegar carona” em ação do grupo J&F, dos irmãos Wesley e Joesley Batista, para suspender o pagamento do...

avatar
Redação O Antagonista
3 minutos de leitura 13.01.2024 07:49 comentários 10
Odebrecht pede ao STF suspensão de multa bilionária após caso J&F
Foto: Reprodução

A Novonor, antiga Odebrecht, quer “pegar carona” em ação do grupo J&F, dos irmãos Wesley e Joesley Batista, para suspender o pagamento do acordo de leniência no valor de R$ 3,8 bilhões, diz O Globo.

Na terça-feira, 9, a empreiteira pediu ao ministro Dias Toffoli uma extensão dos benefícios que ele concedeu à J&F em dezembro, suspendendo a multa de R$ 10,3 bilhões que a empresa aceitou pagar em acordo de leniência com o Ministério Público Federal.

A defesa da J&F conta com a esposa de Toffoli, Roberta Rangel, em seu quadro de advogados. A defesa também havia solicitado a anulação de “negócios jurídicos de caráter patrimonial decorrentes da situação de inconstitucionalidade estrutural e abusiva em que se desenvolveram as operações Lava Jato e suas decorrentes, Greenfield, Sépsis Cui Bono”, mas o pedido foi negado.

Já o acordo da Odebrecht foi fechado com a Lava Jato em dezembro de 2016. A empreiteira também quer acesso à íntegra do material obtido na Operação Spoofing, que trata do vazamento de conversas entre integrantes da Lava Jato.

O que disse Toffoli?

Em sua decisão, Toffoli autorizou a J&F a reavaliar os anexos de seu acordo junto à Corregedoria-Geral da União (CGU) para corrigir possíveis “abusos que tenham sido praticados, especialmente (mas não exclusivamente) no que se refere à utilização das provas ilícitas declaradas imprestáveis no bojo desta reclamação, para que no âmbito da CGU apenas sejam considerados anexos realmente com ilicitude reconhecida pela Requerente”.

Quem paga a conta bilionária?

A decisão de Dias Toffoli que anulou as multas aplicadas contra a J&F terá impacto no bolso da população diretamente afetada pelos crimes de corrupção cometidos pela empresa. O montante de R$ 10,3 bilhões seria repassado às vítimas dos crimes confessados pela empresa dos irmãos Wesley e Joesley Batista no acordo firmado pelo Ministério Público Federal.

Como seriam distribuídos os valores da multa?

  • Funcef, fundo de pensão dos funcionários aposentados da Caixa Econômica Federal: R$ 1,75 bilhão;
  • Petros, fundo de pensão dos funcionários aposentados da Petrobras: R$ 1,75 bilhão;
  • BNDES: R$ 1,75 bilhão;
  • Caixa Econômica Federal: R$ 1,75 bilhão;
  • A União (governo federal): R$ 1 bilhão;
  • FGTS, fundo de garantia do tempo de serviço dos trabalhadores brasileiros: R$ 500 milhões;
  • A sociedade brasileira em geral: R$ 2,3 bilhões seriam pagos para projetos sociais nas áreas de educação, saúde e prevenção da corrupção.
Esportes

Santos anuncia mudança na data da estreia na série B

16.04.2024 21:00 2 minutos de leitura
Visualizar

Barroso contra a “perversidade” de Salomão no CNJ

Visualizar

Justiça reconduz ao cargo presidente de conselho da Petrobras

Visualizar

Reino Unido avança em legislação para proibir tabaco

Visualizar

Geadas previstas para os próximos dias no Sul do Brasil

Visualizar

Estádio do Flamengo: sede da Gávea pode ajudar no financiamento

Visualizar

Tags relacionadas

Dias Toffoli J&F Lava Jato multa Odebrecht
< Notícia Anterior

Coreia do Norte abre fronteiras para o primeiro grupo de turistas desde o início da pandemia

13.01.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Deslizamento de terra na estrada Quibdó-Medellín, na Colômbia, deixa 17 mortos e 25 feridos

13.01.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Redação O Antagonista

O Antagonista é um dos principais sites jornalísticos de informação e análise sobre política do Brasil. Sua equipe é composta por jornalistas profissionais, empenhados na divulgação de fatos de interesse público devidamente verificados e no combate às fake news.

Suas redes

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (10)

Marcos Rezende Souza

2024-01-13 11:14:20

Bandidos são bandidos e tem quadrilha para se protegerem. E o povo que vá à PQP.


EUD

2024-01-13 11:05:59

E Agora, Qual Deles Anulará A Totalidade Das Multas ??????


Paulo Pires

2024-01-13 10:50:54

O Brasil é um país com futuro definido; é só o seu passado que é imprevisível


Claudemir Silvestre

2024-01-13 10:38:35

Eu o culpado era Sergio Moro ??? O STF liberou a bandidagem GERAL a serviço do PT e de LULA !!! ISSO É NOJENTO 🤮


Annie

2024-01-13 10:00:21

Agora é o liberou geral a união vai ter que pagar os corruptores viva a malandragem do STF.


Suely Racy

2024-01-13 09:14:36

Dinheiro não suporta desaforo. Até onde o Brasil vai aguentar desperdiçar dinheiro e corrupção? Sem a lavajato não tem mais limites para essas pessoas. Enquanto o trabalhador que paga impostos está passando necessidade, esses ladroes estão nadando no dinheiro


ROBERTO

2024-01-13 08:49:56

Num País onde TRIUNFAM a IMORALIDADE, IMPUNIDADE e a CORRUPÇÃO, esfacela-se os ideais Republicanos. A saída é uma Revolução emanada do Poder do Povo. Precisamos expulsar essa Casta que sequestrou o estado ao bel prazer de seus interesses!


Enóiz

2024-01-13 08:48:45

Os maganos, nas tres esferas de poder desse desgoverno, estão se sentindo autorizados pelo descalabro original, que foi a soltura de um condenado em três instâncias do judiciário e alçado, despudoradamente, à presidência pelo STF e TSE amigo.


Paulo Barbosa

2024-01-13 08:40:01

amigo do amigo do meu pai


ADONIS SINICIO JUNIOR

2024-01-13 08:26:57

É mais barato fazer o acerto diretamente no caixa dos ministros do STF.


Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

Barroso contra a “perversidade” de Salomão no CNJ

Barroso contra a “perversidade” de Salomão no CNJ

16.04.2024 20:53 8 minutos de leitura
Visualizar notícia
Justiça reconduz ao cargo presidente de conselho da Petrobras

Justiça reconduz ao cargo presidente de conselho da Petrobras

16.04.2024 20:40 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Geadas previstas para os próximos dias no Sul do Brasil

Geadas previstas para os próximos dias no Sul do Brasil

16.04.2024 20:36 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
CNJ forma maioria para derrubar afastamento de ex-juíza da Lava Jato

CNJ forma maioria para derrubar afastamento de ex-juíza da Lava Jato

16.04.2024 20:18 6 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.