O Antagonista

Os planos de Pochmann para mudar as estatísticas do IBGE

avatar
Rodrigo Oliveira
3 minutos de leitura 02.02.2024 11:47 comentários
Análise

Os planos de Pochmann para mudar as estatísticas do IBGE

Presidente do Instituto defende que é preciso atualizar métodos e para que reflitam melhor o verdadeiro PIB nacional

avatar
Rodrigo Oliveira
3 minutos de leitura 02.02.2024 11:47 comentários 0
Os planos de Pochmann para mudar as estatísticas do IBGE
Foto: Paulo Pinto/Agência Brasil

O controverso presidente do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), Marcio Pochmann, voltou a falar sobre as mudanças que pretende implementar no órgão para modernizar a forma como as estatísticas do instituto enxergam a realidade atual.

Em entrevista à Bloomberg News, o economista que se autointitula como o único presidente do IBGE com “vinculação ao trabalho“, sejá lá o que isso significa, afirma que os métodos atuais não levam em consideração os números da economia digital.

Tem um outro mundo nascendo e para o qual as estatísticas têm dificuldade de capturar essas informações, seja de ocupação, seja de renda, seja de valor agregado”, apontou Pochmann na entrevista.

Economia digital

O antenado líder do instituto teria indicado que a possível dificuldade em se enxergar os efeitos da economia digital “torna as medidas tradicionais do PIB menos precisas“, afirma o texto da agência.

Contumaz colecionador de polêmicas, no ano passado, Pochmann defendeu os métodos estatísticos chineses para avaliar a economia dos influenciadores. De acordo com o presidente do IBGE, “eles (os chineses) têm feito um esforço muito grande em relação entender melhor o que é o processo de digitalização“, explica.

Ele também esclareceu que não está preocupado com a política do gigante asiático de descontinuar a publicização de dados econômicos quando desagradam o governo, com ocorreu recentemente com os números relativos ao desemprego juvenil.

Na entrevista, Pochmann também reclama das críticas recebidas e acusações de possível dano à credibilidade e do Instituto em função da passagem conturbada pelo IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). “Entendo que é uma situação de mídia fair, de destruição de personalidades, porque na verdade nunca me deram a oportunidade de me explicar”, diz o economista, provavelmente esquecendo que o perfil nas mídias sociais, por exemplo, aceitaria sem restrições as possíveis explicações.

Erro

O presidente do IBGE também comentou na entrevista sobre o erro na divulgação dos números do IPCA-15 (Índice de Preços ao Consumidor Amplo-15), que ficou disponível durante alguns minutos no sistema de dados da instituição uma hora antes do usual.

De acordo com a Bloomberg News, Pochmann confirmou uma investigação sobre o assunto e afirmou que “descobertas iniciais (…) mostram que o computador programado para publicar os dados estava configurado o para horário de verão“, diz o texto.

A publicação também lembra que o Brasil eliminou o horário de verão, em 2019, mas infelizmente não questiona o economista sobre como o computador teria cometido o erro apenas quatro anos depois.

De resto, fica o conforto de que o grande feito de Pochmann à frente do IBGE, até o momento, seja o de atualizar os termos “aglomerados urbanos” ou “‘aglomerados subnormais” para “favelas e comunidades urbanas”.

O Brasil torce para que continue assim!

Esportes

Jogando bem, Corinthians perde para Ponte Preta e se complica

25.02.2024 22:27 2 minutos de leitura
Visualizar

Cromossomo Y Está desaparecendo

Visualizar

Conheça a última área a ser mapeada nos EUA por ser inacessível

Visualizar

Estudo revela que povos tradicionais possuem a mesma felicidade de países ricos

Visualizar

Tite comenta caso de Daniel Alves

Visualizar

Casa Tody: loja de calçados fecha após 70 anos na Avenida Paulista

Visualizar

Tags relacionadas

IBGE IPCA-15 Márcio Pochmann
< Notícia Anterior

Zanin dá 10 dias para Congresso listar ações de regulação de softwares espiões

02.02.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Polícia de SP prende 25 pessoas em operação na Cracolândia

02.02.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Rodrigo Oliveira

Jornalista pela UnB (Universidade de Brasília), pós-graduado em Marketing &amp; Mídias Digitais pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) e especializado em finanças e negócios. É Analista de Valores Mobiliários (CNPI) certificado pela Apimec (Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais) com quatro anos de experiência profissional no mercado financeiro.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (5)

JOSE MAURICIO CARVALHO LEMOS

2024-02-03 14:50:46

Mais um para a lista do Chico de Oliveira, cujo primeiro indicado foi revelado no Programa Roda Viva, TV Cultura de São Paulo, em 02/07/2012.


Jurandir Santana

2024-02-02 22:04:54

Photoshop petista, não é pra levar a sério


Carlos Alberto Bolsoni

2024-02-02 16:00:23

A grande meta de Pochmann à frente do IBGE é mostrar crescimento recorde do PIB nacional, em torno de 8%, já em 2024. Também os demais programas criados neste governo, deverão ter suas medidas de controle, mostradas bem acima do que se pretendia. Deve ser dele a frase emblemática da presidente Dilma: "Nós não vamos estabelecer uma meta, quando chegarmos na meta, a gente dobra a meta".


JOSE FREITAS

2024-02-02 12:17:07

Se a imagem do governo Lula estiver ruím por eventual desastre na economia o seu maquiador Pochman dará um jeito de "melhora-la". Essa é uma pratica comum em governos corruptos de esquerda. Qualquer critica mesmo que bem fundamentada feita por outros economistas isentos será chamada de "narrativa" , a palavra da moda, e vendida à opinião pública como "oposição irresponsavel". Quando a conta do desastre chegar ao brasileiros - vide governo Dilma - eles não estarão mais no "Poder" . Se ele fracassou no IPEA é pouco provavel que seja respeitado como um tecnico competente no IBGE.


Neia De Lazzari

2024-02-02 11:50:39

Maquiagem à vista!!!


Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

O Novo parasita o bolsonarismo

O Novo parasita o bolsonarismo

Felipe Moura Brasil
25.02.2024 19:21 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Bolsonaro conseguiu a foto que queria. E agora?

Bolsonaro conseguiu a foto que queria. E agora?

Wilson Lima
25.02.2024 19:18 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
As crianças do Itamaraty paralelo

As crianças do Itamaraty paralelo

24.02.2024 07:30 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
O bolsonarismo e o dilema do prisioneiro  

O bolsonarismo e o dilema do prisioneiro  

Carlos Graieb
23.02.2024 17:42 5 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.