O Antagonista

Chico Buarque inventou o autocancelamento

avatar
André Marsiglia Santos
3 minutos de leitura 30.01.2022 10:08 comentários
Opinião

Chico Buarque inventou o autocancelamento

O compositor ganhou o olhar da imprensa na última semana cancelando a si mesmo. Anunciou que não cantará mais sua canção “Com açúcar, com afeto” em razão do apelo que lhe foi feito por grupos feministas. O cancelamento, como prática censória de banimento e exclusão...

avatar
André Marsiglia Santos
3 minutos de leitura 30.01.2022 10:08 comentários 0
Chico Buarque inventou o autocancelamento
Foto: Gabriela Perez / Divulgação

O compositor ganhou o olhar da imprensa na última semana cancelando a si mesmo. Anunciou que não cantará mais sua canção “Com açúcar, com afeto” em razão do apelo que lhe foi feito por grupos feministas.

O cancelamento, como prática censória de banimento e exclusão, que tem feito na atualidade artistas e jornalistas serem demitidos, influenciadores perderem patrocínios e serem expostos à vergonha pública, é algo já comum em nossas vidas. Mas a versão “faça você mesmo” do cancelamento – o autocancelamento – é algo novo.  Sempre criativo, Chico o inventou.

A canção “Com açúcar, com afeto”, retrato de uma mulher subjugada a um marido operário, de fato, é machista. E daí? É uma canção. Uma obra de ficção. Ninguém que canta, compõe ou admira uma canção precisa endossar o texto ficcional.

Um autor que somente expressa a sua realidade concreta não passa de um artista estreito, que no lugar da pena usa antolhos. A vida real de todos nós é cinza. Quem lhe dá cor é a arte.

A última vez que estive diante de uma decisão artística tão sem cabimento como a de Chico Buarque foi quando Roberto Carlos resolveu retirar de seu repertório palavras que remetiam ao inferno e ao mal, e passou um bom tempo cantando, surrealisticamente, coisas como “se o bem e o bem existem você pode escolher, é preciso saber viver”.

Como era preciso saber viver, Roberto parou de bobagem e atualmente canta a letra original, permitindo que sua obra se expanda pra além de suas crenças pessoais.

A crença pessoal de Chico é outra, o mal que enxerga em sua obra é o machismo. Não é um mal de natureza religiosa, como o de Roberto Carlos, mas flerta igualmente com um fundamentalismo que almeja um mundo perfeito que não existe.

Claro que Chico pode cantar e deixar de cantar o que quiser. E é bom mesmo que tenha aderido politicamente à causa feminista. Mas sua adesão política ter contaminado sua obra artística é lamentável.

Se a ele não fará nenhuma diferença, pois
“Com açúcar, com afeto” é uma canção que está há décadas fora de seu repertório, sua credibilidade ser emprestada para referendar os cancelamentos e sua criatividade ser utilizada para criar o autocancelamento impactam o mundo de muita gente.

André Marsiglia é advogado, atua nas áreas de Comunicação e Internet e é colunista n’O Antagonista.

Mais Lidas

1

Agora até Tolkien é "extrema-direita"

Visualizar notícia
2

Musk: "Obrigado, Alex Soros, por revelar quem será o próximo fantoche"

Visualizar notícia
3

Contingenciamento: o golpe está aí, cai quem quer

Visualizar notícia
4

O "reizinho" do governo Lula

Visualizar notícia
5

"JD Vance, não Kamala Harris, representa o sonho americano"

Visualizar notícia
6

Por que o Amapá recebe tanta emenda parlamentar?

Visualizar notícia
7

"Joe Biden desiste da candidatura, mas não da Casa Branca. E agora?"

Visualizar notícia
8

Estados Unidos de Maceió

Visualizar notícia
9

Netanyahu volta aos EUA em busca de apoio contra o terror

Visualizar notícia
10

“Unburned”: O que significa o estranho bordão de Kamala Harris

Visualizar notícia

Tags relacionadas

André Marsiglia Santos autocancelamento Chico Buarque Com açúcar com afeto
< Notícia Anterior

Coreia do Norte testa míssil mais potente desde 2017

30.01.2022 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Militares comandaram distribuição atrapalhada da vacina infantil

30.01.2022 00:00 4 minutos de leitura
avatar

André Marsiglia Santos

André Marsiglia Santos é advogado constitucionalista especializado em liberdades de expressão e de imprensa. Membro da Comissão de Liberdade de Imprensa da OAB-SP, e da Comissão de Mídia e Entretenimento do Instituto dos Advogados de São Paulo (IASP), Consultor Jurídico da Associação Nacional de Editores (ANER) e membro da 4ª câmara de julgamento do Conselho de Ética do CONAR. Idealizador da L+: Speech and Press e sócio do Lourival J Santos Advogados.

Suas redes

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

De tanto patrulhar humorista, esquerda não consegue mais se defender dos memes

De tanto patrulhar humorista, esquerda não consegue mais se defender dos memes

Madeleine Lacsko
19.07.2024 21:29 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Fala machista de Lula não é isolada, mas feministas sempre o perdoam

Fala machista de Lula não é isolada, mas feministas sempre o perdoam

Madeleine Lacsko
18.07.2024 20:15 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Haddad descobre uma das únicas coisas que funcionam no Brasil, o meme

Haddad descobre uma das únicas coisas que funcionam no Brasil, o meme

Madeleine Lacsko
17.07.2024 21:44 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Justiça e políticos precisam decidir o que farão com Jair Bolsonaro

Justiça e políticos precisam decidir o que farão com Jair Bolsonaro

Madeleine Lacsko
16.07.2024 21:44 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.