Tragédia no RS: 95 mortos e 131 desaparecidos Tragédia no RS: 95 mortos e 131 desaparecidos
O Antagonista

Tragédia no RS: 95 mortos e 131 desaparecidos

avatar
Redação O Antagonista
3 minutos de leitura 07.05.2024 18:11 comentários
Brasil

Tragédia no RS: 95 mortos e 131 desaparecidos

O estado registrou também 131 desaparecimentos e 372 pessoas estão feridas

avatar
Redação O Antagonista
3 minutos de leitura 07.05.2024 18:11 comentários 1
Tragédia no RS: 95 mortos e 131 desaparecidos
Foto: Lauro alves/Secom

A Defesa Civil do Rio Grande do Sul atualizou na tarde desta terça-feira, 7, o número de mortos em decorrência das fortes chuvas que atingiram o estado para 95.

O estado registrou também 131 pessoas desaparecidas e 372 estão feridas. Segundo o governador do Estado, Eduardo Leite (PSDB), pelo menos 1,4 milhões de pessoas foram afetadas até o momento.

Ao todo, são 401 municípios atingidos pelas chuvas. Ainda segundo os dados do governo do Estado, há 48,7 mil pessoas em abrigos. São 159 mil desalojados.

Alerta vermelho para tempestades

Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um novo alerta vermelho nesta terça para tempestades em áreas do Rio Grande do Sul. O estado tem enfrentado fortes temporais desde a semana passada, e o aviso de grande perigo é válido até quarta, 8.

Segundo o Inmet, há possibilidade de chuva superior a 60 milímetros por hora ou maior do que 100 milímetros por dia e ventos superiores a 100 quilômetros por hora, além de queda de granizo.

Há também “grande risco de danos em edificações, corte de energia elétrica, estragos em plantações, queda de árvores, alagamentos e transtornos no transporte rodoviário”.

Prejuízo bilionário com as chuvas

Levantamento feito pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) aponta que, neste momento, o prejuízo em virtude das enchentes no Rio Grande do Sul chega a aproximadamente R$ 4,6 bilhões.

Os dados foram atualizados nesta terça-feira, 7 de maio.

No momento, das 388 cidades afetadas, 336 tiveram, até o momento, a situação de anormalidade reconhecida pelos governos estadual e federal em Estado de Calamidade Pública.

Segundo o levantamento feito pela CNM, desse total de R$ 4,6 bilhões, R$ 465,8 milhões são prejuízos no setor público; R$ 756,5 milhões no setor privado e a grande maioria dos prejuízos, por enquanto, referem-se ao setor habitacional, com R$ 3,4 bilhões, sendo 99,8 mil casas danificadas ou destruídas.

Estado de calamidade

A Câmara dos Deputados aprovou nesta segunda-feira, 6, projeto de decreto legislativo (PDL) reconhecendo estado de calamidade pública no Rio Grande do Sul até 31 de dezembro de 2024.

O PDL 236/24, derivado de mensagem do Poder Executivo, e relatado pelo deputado Osmar Terra (MDB), será enviado ao Senado.

O projeto autoriza a União a não computar, para a meta de resultado fiscal, exclusivamente as despesas autorizadas por meio de crédito extraordinário e as renúncias fiscais necessárias ao enfrentamento dessa calamidade pública e de suas consequências sociais e econômicas. O dinheiro usado nessa finalidade também não estará sujeito à limitação de empenho (contingenciamento).

Mundo

Deslizamento devastador em Papua-Nova Guiné: Milhares soterrados

27.05.2024 12:05 3 minutos de leitura
Visualizar

Endrick faz nesta semana último jogo pelo Palmeiras

Visualizar

Encargos trabalhistas no Brasil: impacto na economia e informalidade

Visualizar

Romário e Marcos Braz em delação sobre desvio de dinheiro no Rio

Visualizar

A ajuda de 1 bilhão de euros da Espanha para Ucrânia

Visualizar

Meio-Dia em Brasília: Quanto vale uma milícia?

Visualizar

< Notícia Anterior

Palmeiras apresenta déficit nas contas de março

07.05.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Governo Lula recusa ajuda do Uruguai ao RS

07.05.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Redação O Antagonista

Suas redes

Instagram

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (1)

Marcelo Augusto Monteiro Ferraz

2024-05-07 18:27:02

Força, Rio Grande do Sul! 🙏🙏🙏🙏


Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

Encargos trabalhistas no Brasil: impacto na economia e informalidade

Encargos trabalhistas no Brasil: impacto na economia e informalidade

27.05.2024 12:00 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Romário e Marcos Braz em delação sobre desvio de dinheiro no Rio

Romário e Marcos Braz em delação sobre desvio de dinheiro no Rio

27.05.2024 11:55 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
MEC homologa fim de licenciatura 100% EAD

MEC homologa fim de licenciatura 100% EAD

27.05.2024 11:47 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Concurso Público AGERSA 2024: salário inicial de R$ 1.6 mil

Concurso Público AGERSA 2024: salário inicial de R$ 1.6 mil

27.05.2024 11:37 2 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.