O Antagonista

Sem espaço no Ministério da Justiça, Ricardo Cappelli vai tirar férias

avatar
Wilson Lima
2 minutos de leitura 11.01.2024 10:04 comentários
Brasil

Sem espaço no Ministério da Justiça, Ricardo Cappelli vai tirar férias

O secretário-executivo do Ministério da Justiça, Ricardo Capelli, afirmou a interlocutores que “não permanecerá na pasta” com a saída do ministro Flávio Dino. No entanto, conforme apurou O Antagonista, Capelli tentou...

avatar
Wilson Lima
2 minutos de leitura 11.01.2024 10:04 comentários 0
Sem espaço no Ministério da Justiça, Ricardo Cappelli vai tirar férias
Foto: Fabio Rodrigues-Pozzebom/ Agência Brasil

O secretário-executivo do Ministério da Justiça, Ricardo Cappelli, afirmou a interlocutores que “não permanecerá na pasta” com a saída do ministro Flávio Dino. No entanto, conforme apurou O Antagonista, Capelli tentou até o último instante ficar no cargo. Isso irritou tanto o presidente Lula quanto o futuro ministro, Ricardo Lewandowski.

Como antecipamos, Lewandowski vai ser anunciado como o novo ministro da Justiça nesta quinta-feira, às 11h. Também deve ser anunciado como o novo secretário-executivo da pasta o ex-secretário-geral do Tribunal Superior eleitoral (TSE) e do Supremo Tribunal Federal (STF) Manoel Carlos de Almeida Neto. Manoel Carlos, que foi cotado para ser ministro do STF, justamente no lugar de Lewandowski. Ele foi preterido por Cristiano Zanin, que se notabilizou como advogado de Lula.

Durante toda a semana, Dino e Ricardo Cappelli intensificaram a campanha para manter o atual secretário-executivo na função. Lewandowski não abriu mão de cargos estratégicos e deixou isso claro ao presidente da República. Dino ainda tentou emplacar o aliado em outra estrutura da pasta. Cappelli não aceitou. Conforme apurou O Antagonista, ele acha que uma função menor poderia ser vista como “rebaixamento”.

O que fará Ricardo Cappelli?

Agora, sem espaço no futuro Ministério da Justiça, Cappelli declarou que vai tirar férias nas próximas semanas e que, depois, retorna a Brasília para cuidar da transição. “Cappelli afirmou a interlocutores que só seguiria no Ministério da Justiça se pudesse manter o posto de secretário-executivo – o que, pelo cenário atual, não deve acontecer”, afirma o G1 nesta quinta-feira.

Cappelli foi o interventor do DF durante os atos de 8 de janeiro.

Braço direito de Flávio Dino (PSB), o interventor foi um dos primeiros nomes anunciados para a pasta, em 14 de dezembro – Dino fora anunciado como ministro apenas cinco dias antes.

Cappelli foi secretário de Comunicação no segundo mandato do pessebista no governo do estado do Maranhão, entre 2019 e 2022. Ele é jornalista de formação.

Leia mais:

O que (não) esperar de Ricardo Lewandowski no Ministério da Justiça

Mais Lidas

1

Biden desiste da campanha à presidência dos EUA

Visualizar notícia
2

Os dois sangramentos que levaram à desistência de Biden

Visualizar notícia
3

Crusoé: os recados importantes de Biden na carta de desistência

Visualizar notícia
4

Kamala Harris: “Minha intenção é merecer e conquistar essa nomeação”

Visualizar notícia
5

Vice de Trump acusa Kamala de mentir sobre sanidade de Biden

Visualizar notícia
6

Trump, sobre desistência de Biden: “Todos sabiam que ele não era capaz”

Visualizar notícia
7

Líderes mundiais se manifestam sobre desistência de Biden

Visualizar notícia
8

Presidente da Câmara dos EUA pede renúncia de Biden

Visualizar notícia
9

Governador cotado para substituir Biden na eleição endossa Kamala

Visualizar notícia
10

Obama, sobre desistência de Biden: “Prova de amor pelo país”

Visualizar notícia

Tags relacionadas

8 de janeiro Ministério da justiça Ricardo Cappelli
< Notícia Anterior

Operadora de cartão reduz limite sem avisar e vai ter que pagar indenização

11.01.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

A festa da inflação no Ministério da Fazenda e no BC

11.01.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Wilson Lima

Wilson Lima é jornalista formado pela Universidade Federal do Maranhão. Trabalhou em veículos como Agência Estado, Portal iG, Congresso em Foco, Gazeta do Povo e IstoÉ. Acompanha o poder em Brasília desde 2012, tendo participado das coberturas do julgamento do mensalão, da operação Lava Jato e do impeachment de Dilma Rousseff. Em 2019, revelou a compra de lagostas por ministros do STF.

Suas redes

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

Entenda a disputa de herança da família Safra

Entenda a disputa de herança da família Safra

21.07.2024 22:00 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Raquel Cattani, filha de deputada, encontrada morta em casa

Raquel Cattani, filha de deputada, encontrada morta em casa

21.07.2024 21:00 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
A obrigatoriedade da maça nas caixas de suco

A obrigatoriedade da maça nas caixas de suco

21.07.2024 20:55 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Briga de cachorros terminar com morte de tutor em BH

Briga de cachorros terminar com morte de tutor em BH

21.07.2024 20:41 2 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.