Para Ministério da Saúde, são “pessoas” que menstruam Para Ministério da Saúde, são “pessoas” que menstruam
O Antagonista

Para Ministério da Saúde, são “pessoas” que menstruam

avatar
Alexandre Borges
3 minutos de leitura 25.01.2024 07:03 comentários
Brasil

Para Ministério da Saúde, são “pessoas” que menstruam

O Ministério da Saúde volta a submeter sua comunicação à “Ideologia de Gênero” em vídeo do programa de “Dignidade Menstrual”. Nos materiais divulgados, em vez de “mulheres”, os beneficiados são tratados genericamente como “pessoas”.

avatar
Alexandre Borges
3 minutos de leitura 25.01.2024 07:03 comentários 0
Para Ministério da Saúde, são “pessoas” que menstruam
Foto: Reprodução

O Ministério da Saúde volta a submeter sua comunicação à “Ideologia de Gênero” em vídeo do programa de “Dignidade Menstrual”. Nos materiais divulgados, em vez de “mulheres”, os beneficiados são tratados genericamente como “pessoas”.

A prática segue a polêmica iniciada no dia 18 deste mês, quando a pasta comandada pela socióloga Nísia Trindade, tratou mães como “pessoas que menstruam”. Após matérias publicadas em “O Antagonista”, o ministério passou a destacar a palavra “mães”.

Para os adeptos da visão radical ideológica da cultura “woke”, mulheres biológicas transsexuais, que se identificam como homens, devem ser tratadas como homens, portanto a mera pressuposição de que apenas mulheres possam menstruar seria uma “transfobia”.

Ao assumir este discurso em textos oficiais, o governo federal levanta dúvidas sobre como segue o princípio da impessoalidade na administração pública. O Artigo 37 da Constituição Federal diz que a administração pública direta e indireta deve seguir seguintes princípios: legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência.

MATRIA, associação que representa “mulheres, mães e trabalhadoras”expressou repúdio ao uso do termo “pessoa que pariu” pelo Ministério da Saúde. A entidade considera esta expressão um retrocesso na representação da identidade feminina e uma “desumanização” das mulheres biológicas.

Para a associção, essa abordagem acaba por desumanizar e desvalorizar a experiência única das mulheres biológicas, principalmente no que diz respeito à maternidade.

Disse a Nota de Repúdio da MATRIA:

“Em 14/01/2024 o Ministério da Saúde mais uma vez publicou em suas redes sociais comunicado direcionado a mulheres no qual se refere a nós com termos extremamente desumanizantes, como “pessoa que gesta” e “pessoa que pariu”.

Percebemos que há uma adesão total do Governo atual a uma “cultura woke” que privilegia demandas masculinas e desumaniza mulheres: não somos mais consideradas seres humanos do sexo feminino mas sim uma “identidade”, uma “performance”, um conjunto de “estereótipos” ou “intervenções estéticas” que poderiam ser adotados por qualquer um.

Para que essa ideologia se sustente, é preciso dissociar a palavra mulher de tudo que é exclusivo ao sexo feminino, como menstruar, gestar, parir ou amamentar, ou restaria claro que nenhuma pessoa do sexo masculino pode reivindicar para a si a nomenclatura “mulher”.

E assim o Governo nos faz regredir, em pleno século XXI, ao status contra o qual lutamos há milênios: o de sermos vistas apenas como um corpo desprovido de cidadania, um “corpo que pare”, uma “pessoa com útero”, “que menstrua”, “com vagina” ou qualquer outro termo desumanizante como os que o Governo vem adotando por meios de seus órgãos oficiais, sob o manto de um suposto progressismo.”

As mães de volta ao Ministério da Saúde

Mundo

Metade dos americanos não quer nem Trump, nem Biden

Alexandre Borges
25.04.2024 08:42 3 minutos de leitura
Visualizar

160 baleias ficam encalhadas na Austrália

Visualizar

As empreiteiras da Lava Jato querem mais desconto

Visualizar

Senado aprova corte do IR para motoristas: entenda os benefícios

Visualizar

Entendeu a nova comemoração de gol do Endrick?

Visualizar

Balanços ruins devem pressionar mercado acionário

Rodrigo Oliveira Visualizar

Tags relacionadas

dignidade menstrual ideologia de gênero Ministério da Saúde
< Notícia Anterior

Cartão de crédito consignado: INSS impõe data de efetivação

25.01.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Reservas globais de água subterrânea estão em rápido esgotamento

25.01.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Alexandre Borges

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

As empreiteiras da Lava Jato querem mais desconto

As empreiteiras da Lava Jato querem mais desconto

25.04.2024 08:33 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Senado aprova corte do IR para motoristas: entenda os benefícios

Senado aprova corte do IR para motoristas: entenda os benefícios

25.04.2024 08:30 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Concurso Caixa 2024: Garanta sua vaga em um dos maiores bancos do Brasil

Concurso Caixa 2024: Garanta sua vaga em um dos maiores bancos do Brasil

25.04.2024 08:07 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
INSS antecipa 13° salário: injeção na economia

INSS antecipa 13° salário: injeção na economia

25.04.2024 08:00 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.