O Antagonista

Toffoli no ‘Times’: a orgia político-jurídica brasileira

avatar
Catarina Rochamonte
6 minutos de leitura 06.02.2024 13:16 comentários
Análise

Toffoli no ‘Times’: a orgia político-jurídica brasileira

O “amigo do amigo do meu pai” foi tema de editoriais brasileiros e artigos internacionais, tendo ido parar no 'Financial Times' por instruir investigação sobre ONG anticorrupção

avatar
Catarina Rochamonte
6 minutos de leitura 06.02.2024 13:16 comentários 10
Toffoli no ‘Times’: a orgia político-jurídica brasileira
Foto: Reprodução/X

Durante toda essa semana, o “amigo do amigo do meu pai” foi tema dos principais editoriais brasileiros, tendo ido parar também no Financial Times por instruir investigação sobre a Transparência Internacional (TI), depois que esse órgão de fiscalização da corrupção divulgou um relatório no qual aponta as suas recentes ações como um dos fatores para o péssimo desempenho do Brasil no índice anual de Percepção da Corrupção.

“Amigo do amigo do meu pai”, como se sabe, é o codinome de referência ao ministro Dias Toffoli (na foto à esquerda com Lula, e na da direita com Jair Bolsonaro) nas tratativas ilícitas do empreiteiro Marcelo Odebrecht. “Amigo do meu pai”, por sua vez, é o atual presidente da República, Lula – que ficou preso em Curitiba após condenações da Lava Jato -, que conhecia Emílio Odebrecht desde quando era sindicalista, como prontamente denunciou, na ocasião, a revista Crusoé, em edição então censurada pelo ministro Alexandre de Moraes.

As ações descaradas de Dias Toffoli, que enlamearam ainda mais a imagem do Brasil no ranking de Percepção da Corrupção, foram a suspensão da multa de 10 bilhões de reais da empreiteira J&F — cliente do escritório de advocacia da sua esposa — e a suspensão da multa de 3,8 bilhões de reais da própria Odebrecht, em cujas tratativas seu codinome aparecia, tendo sido decodificado em delação.

“Desfazer o legado da Lava Jato

O artigo do Financial Times explica para os seus leitores que a ordem dada por Toffoli para investigar a organização anticorrupção que denunciou o desmonte do combate à corrupção no Brasil é a medida mais recente do ex-advogado do PT “que nos últimos meses tem procurado desfazer o legado da Lava Jato, investigação anticorrupção no Brasil, que […] revelou um vasto esquema de subornos por contratos envolvendo executivos do grupo estatal de energia Petrobras, um cartel de empresas de construção e dezenas de legisladores de todo o espectro político”.

O artigo lembra ainda que o Departamento do Tesouro dos EUA classificou o esquema de corrupção na Petrobrás desvelado pela Lava Jato como o maior caso de suborno estrangeiro da história e finaliza citando o relatório da Transparência Internacional, segundo o qual “graças às decisões de Toffoli, o Brasil se tornou um cemitério de evidências de crimes que geraram miséria, violência e sofrimento humano em mais de uma dezena de países da América Latina e da África”.

Falso e leviano

Ante as denúncias da TI, Toffoli tentou usar a Procuradoria Geral da República (PGR) para investigar a ONG por suposta apropriação de recursos recuperados pela Lava Jato. O diretor-executivo da Transparência Internacional, Bruno Brandão, declarou que recebeu com espanto o pedido de investigação de Tofolli, que qualificou de “falso e leviano”.

A parte da imprensa que cumpre o seu papel de fiscalizar o poder, logo trouxe à tona o fato de que a PGR já havia analisado anteriormente o mesmo tipo de denúncia, declarando inverídicas as acusações contra a Transparência Internacional, que apenas deu consultoria sobre a destinação dos recursos da Lava Jato para projetos sociais e entidades de combate à corrupção, sem receber qualquer tipo de remuneração pela assistência prestada.

Já a outra parte da “imprensa” que cumpre o desprezível papel de difundir as narrativas falsas dos donos do poder insistiu nas mentiras contra a atuação da Transparência Internacional, tentando comprometer a reputação de um órgão respeitado internacionalmente.

Um dos blogs sujos petistas mais conhecidos e caricatos teve o despudor de dar a seguinte manchete: “Transparência Internacional é um batalhão na guerra contra a soberania do povo brasileiro’: população apoia decisão de Toffoli”.

As duas mãos da esquerda

Como bem lembrou, em O Antagonista, Carlos Graieb, “o protagonismo do ministro Dias Toffoli não deve ocultar a presença de outros atores na pornochanchada jurídica” que aliviou a multa das empresas corruptas.

Graieb lembra que a suspensão da punição da J&F não prescindiu da contribuição do PT e dos advogados que integram o grupo Prerrogativas, assim como dos partidos satélites de esquerda (Psol, PsdoB e solidariedade) que impetraram ação para suspender os acordos de leniência alegando que foram assinados sob um “estado de coisas inconstitucional” criado pela Lava Jato.

A esquerda se pôs a serviço dessa empresa gigante, explicou ainda Graieb, no Papo Antagonista, para atacar juridicamente os acordos de leniência: “As duas mãos da esquerda estão nessa liberação [das multas]. Não é efeito de uma coisa engenhosa dos advogados da J&F, mas efeito de uma coisa engenhosa dos partidos que orbitam o Lula, do partido do Lula, e dos advogados milionários que são amigos dele”.

O abraço ambidestro

É nauseante acompanhar o desenrolar das estratégias dos corruptos no nosso país, é revoltante assistir ao servilismo hipócrita dos que se beneficiam do atual estado de coisas e é desalentador constatar que o brasileiro comum não tem tempo ou disposição para retirar as camadas de hipocrisia que recobrem as notícias que lhe chegam refratadas pelo prisma dos mais variados interesses.

Não é porque acabamos de demonstrar o descaramento de uma esquerda que se diz defensora dos mais pobres quando, na verdade, atua em benefício de empresários milionários corruptos que vamos esquecer o descaramento da direita que blindou Dias Tofolli da CPI da Lava Toga em troca da paralisação, no STF, das investigações das rachadinhas de Flávio Bolsonaro.

Na orgia político-jurídica brasileira, em que os poderosos gozam na cara do pagador de imposto, o regaço do “amigo do amigo de meu pai” é generoso; ele se abre à esquerda e à direita.

Brasil

Homem de 43 anos morre após descarga elétrica em Lagoa Grande

05.03.2024 08:59 2 minutos de leitura
Visualizar

Gerente de hotel na Índia é preso após servir gelo seco como refresco de boca a clientes

Visualizar

Agência da ONU em Gaza “está infestada de terroristas”

Visualizar

Relatório da ONU expõe crimes sexuais e torturas em série do Hamas

Alexandre Borges Visualizar

Vibra comemora lucro recorde, mas perde participação de mercado

Rodrigo Oliveira Visualizar

Justiça nega pedido do Vasco para suspender licitação do Maracanã

Visualizar

Tags relacionadas

combate à corrupção corrupção Dias Toffoli
< Notícia Anterior

Comissão do Senado aprova PL da ‘saidinha’; texto vai ao plenário

06.02.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Amigo diz que Daniel Alves estava embriagado na noite do incidente

06.02.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Catarina Rochamonte

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (10)

Maglu Oliveira

2024-02-09 05:29:44

Orgia? Isso é coisa de gente fina. Isso aí é SURUBA das bravas!!!!


Carlos Alberto Bolsoni

2024-02-08 17:41:45

Pois é, além da Novonor, houve também o perdão à J&F, que envolvia valores ainda maiores, baseados no acordo de leniência da empresa. Esse caso é ainda pior já que a advogada da empresa dos irmãos Batista, corruptos desde que nasceram, é a esposa do Toffoli, Roberta Rangel. Isso é o absurso dos absurdos, mas não vi ninguém no STF, CGU, TCU, PF, MPF, CNJ ou qualquer outra sopa de letrinha, levantar a voz e se insurgir contra uma decisão inepta desse ministrinho de segunda classe. Estamos entregues a esses neandertais jurídicos que só pensam em "ganhar a minha parte".


Guilherme Costa Manso

2024-02-08 17:14:16

Eita que país é esse?


Maria

2024-02-08 09:17:07

Excelente matéria! Fiquei enjoada 🤮


Gustavo Nascimento

2024-02-07 22:54:35

A relação DT com JB foi selada com aquela pizza e sorrisos amarelos


Ulysses Galletti

2024-02-07 11:26:39

Parabéns!


Vera Regina Raposo Lourenço

2024-02-07 11:19:43

Parabéns Catarina, excelente artigo desvendando toda a patifaria desse Toffoli. Graças a ele e seus companheiros do STF o Brasil está se transformando num esgoto.


Felipe Bugno

2024-02-07 09:44:31

Assim como esperado, esse arroubo do Toffoli humilhou o Brasil perante o mundo desenvolvido, chamando ainda mais atenção internacional para a corrupção aqui dentro. Vergonhoso.


Magdalena Buzolin

2024-02-06 19:31:29

Excelente Carlos Graieb, estamos enredados nesta teia de malfeitores corruptos


Dorothea Knoch

2024-02-06 19:27:06

Parabéns, Catarina, pelo excelente artigo! Análise perfeita! Não deixem de nos informar com as notícias verdadeiras e limpas! Obrigada!


Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

A Lava Jato não destruiu a economia do Brasil

A Lava Jato não destruiu a economia do Brasil

Carlos Graieb
04.03.2024 17:53 4 minutos de leitura
Visualizar notícia
João Campos, a política bonitinha e os velhos hábitos

João Campos, a política bonitinha e os velhos hábitos

Wilson Lima
03.03.2024 14:00 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Navalny: o sopro de liberdade que desafia Putin

Navalny: o sopro de liberdade que desafia Putin

Catarina Rochamonte
02.03.2024 22:39 7 minutos de leitura
Visualizar notícia
O batismo eleitoral de Ricardo Nunes

O batismo eleitoral de Ricardo Nunes

Rodolfo Borges
01.03.2024 17:31 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.