Ministra da Argentina diz que chineses são "todos iguais" Ministra da Argentina diz que chineses são "todos iguais"
O Antagonista

Ministra da Argentina diz que chineses são “todos iguais”

avatar
Redação O Antagonista
3 minutos de leitura 04.05.2024 07:53 comentários
Mundo

Ministra da Argentina diz que chineses são “todos iguais”

As declarações sugeriram dificuldades em diferenciar membros civis e militares devido às características étnicas dos presentes

avatar
Redação O Antagonista
3 minutos de leitura 04.05.2024 07:53 comentários 2
Ministra da Argentina diz que chineses são “todos iguais”
CCTV

A ministra das Relações Exteriores da Argentina, Diana Mondino, encontrou-se no centro de uma polêmica após comentários feitos durante uma inspeção na base espacial chinesa localizada na província de Neuquén. As declarações, que rapidamente circularam nas mídias, sugeriram dificuldades em diferenciar membros civis e militares devido às características étnicas dos presentes, levando a acusações de discriminação.

A Visita e as Declarações Controversas

Durante uma visita oficial à China, que precedeu o incidente, Mondino e seu homólogo chinês, Wang Yi, discutiram sobre “fortalecer e expandir a cooperação” entre os dois países. No entanto, foi após o retorno da ministra que os comentários foram feitos. Em entrevista ao jornal Clarín, ela afirmou que, apesar das garantias de que a base operaria sob uma capacidade estritamente civil, foi difícil confirmar a ausência de militares na inspeção: “Ninguém detectou que havia militares lá… são chineses, são todos iguais”, disse Mondino.

O Impacto das Palavras de Mondino

Esta afirmação gerou um rápido repúdio tanto no âmbito nacional quanto internacional. Figuras políticas e cidadãos usaram as redes sociais para expressar sua indignação, argumentando que as palavras de uma diplomata de alto escalão deveriam refletir mais sensibilidade e respeito pelas diferenças culturais e étnicas. Juan Grabois, líder social e ex-candidato presidencial, classificou os comentários como “repugnantes”, enquanto a deputada Myriam Bregman comentou com ironia sobre a capacidade diplomática de Mondino.

Resposta e Esclarecimento de Mondino

Na tentativa de apaziguar a situação, Diana Mondino esclareceu suas declarações no dia seguinte durante uma entrevista à Rádio Mitre. Ela insistiu que não houve intenção discriminatória em suas palavras, destacando que a visita visava confirmar o caráter civil da base. “Os que participaram são todos iguais, são todos civis… Estamos falando da visita à estação espacial chinesa de Neuquén, que aconteceu há poucos dias”, explicou.

O porta-voz presidencial, Manuel Adorni, também defendeu Mondino em uma coletiva de imprensa, atribuindo a polêmica a uma “interpretação errada” ou a uma “expressão que talvez não tenha sido entendida como deveria”.

A Mudança nas Relações Comerciais Argentinas

Este incidente ocorre em um momento complexo para as relações comerciais entre Argentina e China. Recentemente, foi reportado que a China deixou de ser o segundo maior parceiro comercial da Argentina, sendo substituída pela União Europeia. Os laços entre Argentina e China, embora historicamente fortes, enfrentam desafios conforme o cenário geopolítico global continua a evoluir.

Com a Argentina navegando por essas dinâmicas delicadas, declarações como as de Mondino destacam a necessidade de tato e precisão na diplomacia internacional, especialmente em um momento em que a construção de pontes é mais crucial do que nunca.

Mundo

Crusoé: O recado do Papa para os bispos conservadores americanos

20.05.2024 13:22 2 minutos de leitura
Visualizar

Salman Rushdie: Estado palestino governado pelo Hamas seria 'como o Talibã'

Visualizar

Onde assistir São Paulo x Flamengo: confira detalhes do Campeonato Feminino

Visualizar

200 placas de bronze são furtadas de cemitério em Paiçandu, Paraná

Visualizar

Exército recua e reduz acesso de PMs a armas de uso restrito

Visualizar

Apple é forçada a reduzir preços na China para confrontar Huawei

Visualizar

Tags relacionadas

chineses comentários Diana Mondino
< Notícia Anterior

Tesla de Elon Musk descobre o que é o Brasil

04.05.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

MEI: atualize seu cadastro no DET até 1° de Agosto e evite multas

04.05.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Redação O Antagonista

Suas redes

Instagram

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (2)

Marcelo Augusto Monteiro Ferraz

2024-05-04 11:46:25

Não custa nada ao viajante, principalmente se for diplomata, obter previamente informações gerais sobre o país objeto da visita, inclusive demográficas. Se tivesse feito isso, Mondino teria sabido que há mais de 50 etnias na China e teria evitado o comentário, que não caracteriza preconceito, mas descuido.


Marcia Elizabeth Brunetti

2024-05-04 09:35:58

Pior é que eu entendo essa dificuldade da Mondino. Não é só questão de ofender, mas alguns povos tem essa característica acentuada. Esquimós e índios de pouco contato com civilização também tem poucas características pessoais. Cor do cabelo, cor da pele e outros detalhes .


Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

Crusoé: O recado do Papa para os bispos conservadores americanos

Crusoé: O recado do Papa para os bispos conservadores americanos

20.05.2024 13:22 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Salman Rushdie: Estado palestino governado pelo Hamas seria 'como o Talibã'

Salman Rushdie: Estado palestino governado pelo Hamas seria 'como o Talibã'

20.05.2024 13:20 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Apple é forçada a reduzir preços na China para confrontar Huawei

Apple é forçada a reduzir preços na China para confrontar Huawei

20.05.2024 12:51 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Maduro fecha hotéis que recebem Corina Machado e aliados

Maduro fecha hotéis que recebem Corina Machado e aliados

20.05.2024 12:47 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.