Maria Corina vê candidatura de Manuel Rosales como traição Maria Corina vê candidatura de Manuel Rosales como traição
O Antagonista

Maria Corina vê candidatura de Manuel Rosales como traição

avatar
Redação O Antagonista
3 minutos de leitura 28.03.2024 14:58 comentários
Mundo

Maria Corina vê candidatura de Manuel Rosales como traição

"O que acabou de acontecer não pode ser minimizado. Traições e decepções tornam-se aprendizado para continuar”, declarou Maria Corina ao comentar a inesperada candidatura de Rosales

avatar
Redação O Antagonista
3 minutos de leitura 28.03.2024 14:58 comentários 0
Maria Corina vê candidatura de Manuel Rosales como traição
Reprodução/Instagram

Setores próximos a María Corina Machado acusam Manuel Rosales, que conseguiu se inscrever para as eleições presidenciais, de traição.

Em amplos setores da oposição venezuelana, há um enorme descontentamento com a decisão unilateral de Manuel Rosales, atual governador do Estado de Zulia e líder do partudo Un Nuevo Tiempo, que surpreendeu na noite de segunda-feira, 25 de março, ao apresentar sua candidatura às eleições presidenciais de 28 de julho.

O consenso oposicionista construído por María Corina Machado em torno de Corina Yoris, sua substituta, ruiu. No último minuto do prazo dado pelo Conselho Nacional Eleitoral, o líder social-democrata Enrique Márquez também conseguiu concorrer.

Corina Machado, em um de seus discursos públicos nos últimos dias, comentou o assunto: “Tem muita gente que sente que foi ridicularizada. Isto deve ser assumido, o que acabou de acontecer não pode ser minimizado. Traições e decepções tornam-se aprendizado para continuar.

O Poder Eleitoral negou o acesso à chave digital a Corina Yoris – a candidata que a aliança democrática escolheu para dar continuidade à liderança de Machado – mas aceitou a candidatura de Rosales, um líder que, como governador do Estado de Zulia, mantém relações institucionais com o Palácio Miraflores.

Rosales e os seus seguidores defendem que este caminho foi o único possível para permitir que as forças democráticas continuassem na rota eleitoral.

“Procure um candidato que supere os obstáculos que o Governo coloca e eu lhe darei a candidatura”, disse Rosales em comício de seu partido que parece ser o primeiro ato de sua candidatura. “Procure, mas não difame, não faça guerra suja”, disse ele.

Chavismo dissidente

O governador Manuel Rosales conta com o apoio de alguns setores minoritários da oposição, ligados ao chavismo dissidente, que apresentam enorme resistência à liderança de Machado. Estas facções, também distantes dos postulados de Leopoldo López.

Rosales também recebeu o apoio da Fuerza Vecinal, organização que controla os municípios do leste de Caracas, dominados pela oposição, mas criticados por alguns setores por suas supostas ligações com o chavismo.

Tanto Rosales como Un Nuevo Tiempo e Fuerza Vecinal são membros da Plataforma Unitária e, portanto, deveriam estar comprometidos com a mudança democrática, mas num país habituado a decepções, a desconfiança aumenta a cada dia e o que aconteceu é visto como um compromisso entre Rosales e Maduro para encobrir o já altamente questionado acontecimento eleitoral.

Ao contrário de Yoris, Rosales é um político com objetivos próprios e muito interessado em não perder as relações com o Governo, e não tem proximidade com María Corina Machado, a liderança sobre a qual gira agora o desejo de mudança.

Solução temporária

No final, entre tantas lutas, o Conselho Nacional Eleitoral permitiu que a Plataforma Unitária apresentasse a sua candidatura e o diplomata Edmundo González Urrutia, um pouco mais próximo de Vente Venezuela, partido de Corina, foi admitido como uma “solução temporária”.

Embora não tenha conseguido esconder a fúria com o ocorrido, Machado pediu aos seus seguidores “muita serenidade e firmeza” e não quis se distanciar da história do percurso eleitoral.

Suas palavras marcarão as próximas decisões e, graças à sua enorme influência popular, definirão o papel da oposição nas eleições.

Esportes

Botafogo vence o Universitario pela Libertadores com golaço de Luiz Henrique

24.04.2024 22:15 3 minutos de leitura
Visualizar

Flamengo na Libertadores: Tite faz mudanças de última hora na escalação

Visualizar

O cinismo de André Janones sobre rachadinha

Visualizar

PC-RJ indicia suspeitos por assassinato de advogado a queima roupa

Visualizar

20 toneladas de queijo sao apreendidas em Minas Gerais

Visualizar

Ludmilla ganha relógio de luxo de Brunna no aniversário de 29 Anos

Visualizar

Tags relacionadas

ditadura venezuelana
< Notícia Anterior

Rússia diz ter (mas não mostra) “provas” de elo do terror com Ucrânia

28.03.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Em 4 jogos no Grêmio, Diego Costa iguala números do Botafogo

28.03.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Redação O Antagonista

O Antagonista é um dos principais sites jornalísticos de informação e análise sobre política do Brasil. Sua equipe é composta por jornalistas profissionais, empenhados na divulgação de fatos de interesse público devidamente verificados e no combate às fake news.

Suas redes

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

Reino Unido e Alemanha assinam acordo de defesa

Reino Unido e Alemanha assinam acordo de defesa

24.04.2024 20:46 4 minutos de leitura
Visualizar notícia
Coreia do Norte amplia força militar desafiando EUA

Coreia do Norte amplia força militar desafiando EUA

24.04.2024 20:14 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
CEO do TikTok espera derrubar proibição dos EUA

CEO do TikTok espera derrubar proibição dos EUA

24.04.2024 19:52 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Meta enfrenta queda de ações após apostar pesado em IA

Meta enfrenta queda de ações após apostar pesado em IA

24.04.2024 19:42 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.