O Antagonista

‘Gilmarpalooza’ é criticado em revista de Portugal como “orgia de promiscuidade”

avatar
Felipe Moura Brasil
4 minutos de leitura 03.07.2024 09:18 comentários
Mundo

‘Gilmarpalooza’ é criticado em revista de Portugal como “orgia de promiscuidade”

Consultor de políticas anticorrupção chama de obsceno o lobby no Fórum de Lisboa

avatar
Felipe Moura Brasil
4 minutos de leitura 03.07.2024 09:18 comentários 10
‘Gilmarpalooza’ é criticado em revista de Portugal como “orgia de promiscuidade”
Foto: Reprodução/ YouTube

Criticado desde a raiz em O Antagonista e nos últimos dias até por “alguns ministros” do Supremo Tribunal Federal, o Fórum de Lisboa, conhecido como Gilmarpalooza, também é alvo de críticas no país onde é realizado anualmente.

O colunista João Paulo Batalha, consultor de políticas anticorrupção, licenciado em História, publicou no portal da revista Sábado, editada na capital portuguesa, nesta quarta-feira, 3 de julho, o artigo “O festival do arranjinho”, no qual aponta a “orgia de promiscuidade” no evento.

“Todos os anos, Lisboa acolhe um encontro de que nunca ouviu falar, mas que é uma autêntica parada de poderes promíscuos.

Que diria de um juiz que andasse em almoços, jantares e eventos de charme com empresários que têm processos pendentes junto desse mesmo juiz?

Diria provavelmente que é corrupto ou que, no mínimo, estava a violar o seu mais elementar dever de reserva e recato, expondo-se a um conflito de interesses que põe em causa o seu julgamento.

E se esse encontro de confraternização e palmadinhas nas costas acontecesse às claras, com datas marcadas e site na Internet, disfarçado apenas pelo véu (aliás, muito transparente) de um evento académico?

(…) Bem-vindo ao ‘Fórum de Lisboa’.”

Lobby

Batalha descreve o Gilmarpalooza, cuja edição número 12 aconteceu na semana passada, como “uma conferência que é, na verdade, uma transumância [migração periódica] de lóbis brasileiros para a capital portuguesa”.

“Só na edição deste ano estiveram representadas 12 empresas com processos perante o Supremo brasileiro – incluindo um empresário agraciado com uma decisão favorável do juiz Gilmar Mendes no âmbito da Lava Jato. Cá estiveram em Lisboa, a conviver com seis dos 11 juízes do mais alto tribunal brasileiro. O diretor da Polícia Federal, Andrei Rodrigues, também cá esteve, com viagem paga pela Fundação Getúlio Vargas, que tinha sido recentemente alvo de uma investigação da própria Polícia Federal.

Lisboa é, em suma, o palácio de Verão da elite brasileira (…), misturando-se juízes, advogados, governantes e empresários.”

Para quê?

Especializado em advocacia social, transparência e governança, Batalha expõe o ambiente propício aos conchavos na festa ultramarina da casta longe do povo.

“Para quê, então, fazer os 7 mil quilómetros entre Brasília e Lisboa, com todos os sobrecustos associados?

Porque o verdadeiro programa do ‘Fórum de Lisboa’ são as festas privadas, os jantares e cocktails em que a elite se distrai quando não está na Cidade Universitária a discutir os avanços e recuos da globalização.

Reunido em animado convívio, a milhares de quilómetros do escrutínio dos seus concidadãos e da sociedade civil, o poder judicial, político e económico brasileiro discute os problemas do mundo, e resolve os seus.”

“Escola de poder”

Batalha critica personalidades portuguesas presentes, embora admita que várias participam “ao engano”, “sem perceberem que se estão a meter num poço de lóbi descarado”.

“Mais avisada devia estar a Faculdade de Direito de Lisboa, parceira local da iniciativa. Mas não espanta que uma das Faculdades mais endogâmicas do país, complacente (senão cúmplice) com casos de assédio, verdadeira escola de poder (que não necessariamente de Direito) de Portugal se preste a acolher esta obscenidade.”

“Às claras”

O colunista ironiza a alegação de Gilmar de que “o Fórum de Lisboa é o Brasil que dá certo”, apontando que dá certo para “todos amigos”, já que a malandragem do Gilmarpalooza é “precisamente fazer-se às claras”.

“Com agenda pública (e outra, privada, inconfessável), a festa do arranjinho brasileiro em Lisboa é a institucionalização da promiscuidade e o triunfo do poder total, em que dinheiro, política e lei se misturam na mesma agenda.”

Em outras palavras: a fama de Gilmar como guardião do sistema, finalmente, cresce no exterior. Assim Dias Toffoli, “the friend of my father’s friend”, acaba ficando com ciúmes.

Leia mais: STF virou o monstro de Frankenstein

Mais Lidas

1

Filmes novos vs filmes antigos 

Visualizar notícia
2

Celso Amorim toma invertidas, nos EUA, ao relativizar ditaduras

Visualizar notícia
3

Que tal taxar os memes de Haddad?

Visualizar notícia
4

Michelle Bolsonaro aciona STF contra Gleisi Hoffmann

Visualizar notícia
5

Israel bombardeia porto no Iêmen após ataque em Tel Aviv

Visualizar notícia
6

Trump promete a Zelensky “acabar com a guerra”

Visualizar notícia
7

Memes sobre Haddad e intolerância ao contraditório

Visualizar notícia
8

Zema vê Tarcísio como “nome mais forte” da direita para 2026

Visualizar notícia
9

Idosa é presa por ser stalker de policial

Visualizar notícia
10

"O que Roger Scruton pode ensinar a Keir Starmer"

Visualizar notícia

Tags relacionadas

Dias Toffoli Gilmar Mendes gilmarpalooza Portugal
< Notícia Anterior

Concursos Públicos de Julho: Oportunidades bombásticas no Governo!

03.07.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Frio extremo: capitais brasileiras chegam a temperaturas recordes

03.07.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Felipe Moura Brasil

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (10)

EUD

2024-07-03 13:38:20

Estupefato E Sem Palavras. Assim Estou !!!!!!


Luis Eduardo Rezende Caracik

2024-07-03 12:46:17

A desmoralização do STF tem nome e sobrenome: Mendes Toffoli.


RUBENS BLANCO SILVA

2024-07-03 12:09:53

O povo de Portugal tinha que expulsar esse bando de canalhas sem escrúpulos. Estão fazendo de Portugal sem nenhum pudor como se fosse o quintal de suas casas. Estão tratando Portugal como um lixo para realizarem esse evento lá e não no Brasil. Consideram Portugal um país sem lei provavelmente


Marcia Elizabeth Brunetti

2024-07-03 11:45:48

Infelizmente essa notícia não estará aparecendo nas TVs abertas. Isso significa que o povão continuará longe da realidade que acontece no mundo animalesco dos Ministros, Juízes, Empresários, Políticos.


Dorothea Knoch

2024-07-03 11:42:23

Parabéns, Sr. Batalha! Concordo com o Alcimar. É isso.


José Carlos De Andrade

2024-07-03 11:36:56

Um escárnio.....uma vergonha. Viva o Brasil!


Marcelo Augusto Monteiro Ferraz

2024-07-03 11:17:23

Parabéns, João Paulo Batalha, pelo artigo sensacional e oportuno!! 👏👏👏👏👏👏👏👏


JOSE ANTONIO MECHAILEH

2024-07-03 11:17:08

Inacreditável. E ao mesmo tempo, muito previsível, em se tratando de quem é..............Puro suco de Brasil.


Antonio Rorato

2024-07-03 10:57:35

O "Cramulhão" do Coxipó da ponte descaradamente tripudia do povo brasileiro e nossos representantes eleitos assistem passivamente ! Vergonha.


Alcimar Costa

2024-07-03 10:01:51

Matéria primorosa! Deveria estampar todos os jornais do país! Falou o que a nossa censura não permite! Aplausos!!


Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

Trump: “Levei um tiro pela democracia”

Trump: “Levei um tiro pela democracia”

20.07.2024 19:24 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Arzebaijão ameaça entrar de forma militar na França

Arzebaijão ameaça entrar de forma militar na França

20.07.2024 18:55 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Ataque a porto no Iêmen mostra alcance de Israel, diz Netanyahu

Ataque a porto no Iêmen mostra alcance de Israel, diz Netanyahu

20.07.2024 18:46 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Picanha é eleita comida mais gostosa do mundo. Vatapá também

Picanha é eleita comida mais gostosa do mundo. Vatapá também

20.07.2024 18:45 2 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.