O Antagonista

Argentina: Câmara aprova texto base da reforma de Milei

avatar
Caio Mattos, De Buenos Aires
4 minutos de leitura 02.02.2024 18:19 comentários
Mundo

Argentina: Câmara aprova texto base da reforma de Milei

Plenário da Câmara dos Deputados da Argentina aprovou reforma ómnibus de Milei com 144 votos a favor, e 109 contra

avatar
Caio Mattos, De Buenos Aires
4 minutos de leitura 02.02.2024 18:19 comentários 5
Argentina: Câmara aprova texto base da reforma de Milei
Foto: Reprodução/X Javier Milei

A Câmara dos Deputados da Argentina aprovou, na tarde desta sexta-feira, 2 de fevereiro, o texto base do projeto de projeto de lei ómnibus, uma dos principais fronts de reformas do governo do presidente, Javier Milei.

A Câmara aprovou a reforma de Milei com 144 votos a favor, e 109 contra, após três dias seguidos de debates.

A base governista contou com o apoio da oposição dialoguista, composta pelos desafetos do ex-presidente Mauricio Macri, hoje aliado de Milei, garantiu o seu apoio nela.

Salvo exceções, votaram contra o projeto apenas os peronistas, que formam o bloco Union por La Patria, e a esquerda não peronista.

Após a aprovação do texto-base, o presidente da Câmara, Martín Menem, suspendeu a sessão do plenário.

A Casa retoma os debates na terça-feira, 5 de fevereiro.

Falta os legisladores votarem os destaques individualmente para os mais de 300 artigos estimados do projeto, que originalmente contava com 664.

Ainda não há confirmação oficial de quantos artigos restarão no projeto de lei.

As duas principais forças da oposição dialoguista, os radicales e a Coalizão Federal, já anunciaram oposição a diversos artigos, em especial sobre reforma fiscal, privatizações e estados de emergência.

O que o governo cedeu em reforma fiscal?

O governo cedeu várias concessões desde que a sua resolução para o texto conseguiu o aval de maioria (dictamen de mayoria) nas comissões temáticas da Câmara na semana passada.

Parte dessas concessões já foram suprimidas do texto-base, como anunciado pelo secretário parlamentário, Tomás Figueroa, no primeiro dia de debates no plenário, nesta quarta, 31 de janeiro.

Por exemplo, o capítulo inteiro das reformas fiscais nem figura mais no projeto, como antecipara o ministro da Economia, Luis Caputo, em coletiva de imprensa na sexta passada, 26 de janeiro.

O que o governo cedeu em privatizações?

Sob liderança da secretária geral da Presidência e irmã de Javier, Karina Milei, nesta quinta, 1º de fevereiro, a base governista propôs uma nova redução do número de estatais a serem privatizadas.

Originalmente, eram 41. Uma primeira concessão, na fase de debates nas comissões temáticas, levou o número a 36, e abortou a privatização total da estatal petrolífera, YPF.

A oferta do governo nesta quinta reduziu para 27.

Dentre as estatais que agora deixarão de ser privatizadas pelo momento, estão a Casa da Moeda e o Banco de Inversión y Comercio Exterior (BICE), equivalente ao BNDES.

A Aerolíneas Argentinas e os Correios, assim como os meios de comunicação públicos e a estatal de saneamento básico, dentre outras, permanecem no plano de privatizações.

O que o governo cedeu nos estado de emergências?

Esse mecanismo, previsto no projeto de lei ómnibus, garante ao Executivo poderes especiais para burlar burocracia e trâmites legislativos na implementação de medidas em determinadas áreas.

No projeto original, o governo Milei estabelecia estado de emergência em 11 setores.

A resolução do texto que passou com nas comissões temáticas da Câmara na quarta da semana passada, 24 de janeiro, tinha apenas 9 estados de emergência.

Até o final desta quinta, 1º de fevereiro, a base governista tem apoio para manter apenas cinco estados de emergência, que versam sobre política econômica, financeira, tarifária, energética e administrativa.

O governo ainda tenta garantir apoio para o estado de emergência na segurança pública para consolidar as políticas da ministra de Segurança Pública, Patricia Bullrich.

Esportes

Craque Neto detona responsável pela eliminação do Corinthians: "maior culpado"

04.03.2024 23:00 2 minutos de leitura
Visualizar

Vasco acerta contratação do atacante Clayton Silva, de Portugal

Visualizar

Cuca concede primeira entrevista oficial como técnico do Athletico

Visualizar

Rafael Cardoso pede desculpas em caso de agressão contra idoso

Visualizar

Os brasileiros sabem da roubalheira

Visualizar

Amigo de Robinho é multado por tumultuar andamento do processo

Visualizar

Tags relacionadas

Argentina Javier Milei
< Notícia Anterior

Dólar dispara com emprego aquecido nos EUA

02.02.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Aumento do ICMS eleva preços do gasolina, álcool e gás de cozinha em fevereiro

02.02.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Caio Mattos, De Buenos Aires

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (5)

Ricardo Nery

2024-02-02 23:26:35

Parabéns Argentina e argentinos.. Sou apaixonado por esse país… Torço para que encontrem um novo caminho de desenvolvimento e de justiça social. Coragem e força!!!


Jurandir Santana

2024-02-02 22:01:58

Parabéns pra Argentina, que aproveitem a chance de escapar da esquerda peronista e do buraco


Fabio A Busnardo

2024-02-02 20:34:56

Parabéns!


Marian

2024-02-02 19:44:59

Parabéns pelo Presidente Hermanos 👏


Roberval

2024-02-02 19:33:16

Aplicando a receita que aqui o desgoverno do descondenado rejeita. Prefere o populismo e gastos exagerados. Filme conhecido. Final conhecido. Pt saudações.


Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

Diplomata brasileiro morre em missão na Ruanda

Diplomata brasileiro morre em missão na Ruanda

04.03.2024 20:46 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Kate Middleton é vista em público novamente depois de 6 semanas

Kate Middleton é vista em público novamente depois de 6 semanas

04.03.2024 20:25 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Nevasca nos EUA causa estragos e perigo de avalanches

Nevasca nos EUA causa estragos e perigo de avalanches

04.03.2024 20:05 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
ONU diz que China violou direitos humanos

ONU diz que China violou direitos humanos

04.03.2024 19:05 2 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.