O Antagonista

“A invasão da Ucrânia marca uma guinada na história europeia”

avatar
Redação O Antagonista
4 minutos de leitura 01.03.2022 07:02 comentários
Mundo

“A invasão da Ucrânia marca uma guinada na história europeia”

Jair Bolsonaro jamais será capaz de entender o que está ocorrendo em Kiev, mas o primeiro-ministro italiano, Mario Draghi, pode tentar explicar-lhe. Leia um trecho do discurso que ele acabou de proferir no Senado: “A invasão da Ucrânia pela Rússia marca uma guinada na história europeia...

avatar
Redação O Antagonista
4 minutos de leitura 01.03.2022 07:02 comentários 0
“A invasão da Ucrânia marca uma guinada na história europeia”
Foto: Francesco Ammendola/Ufficio per la Stampa e la Comunicazione della Presidenza della Repubblica

Jair Bolsonaro jamais será capaz de entender o que está ocorrendo em Kiev, mas o primeiro-ministro italiano, Mario Draghi, pode tentar explicar-lhe. 

Leia um trecho do discurso que ele acabou de proferir no Senado:

“A invasão da Ucrânia pela Rússia marca uma guinada na história europeia.

Nas últimas décadas, muitos se iludiram de que a guerra não encontraria mais lugar na Europa. Que os horrores que caracterizaram o século XX eram monstruosidades irrepetíveis. Que a integração econômica e política que buscamos com a União Européia nos protegeria da violência. Em outras palavras, que pudéssemos dar por garantidas as conquistas de paz, segurança, bem-estar que as gerações que nos precederam alcançaram com enormes sacrifícios.

As imagens que nos chegam de Kiev, Kharkiv, Maripol e outras cidades da Ucrânia lutando pela liberdade da Europa marcam o fim dessas ilusões.

A resistência heróica do povo ucraniano e de seu presidente Zelensky colocou uma nova realidade diante de nós, e nos obrigou a fazer escolhas que eram impensáveis ​​até alguns meses atrás (…).

A agressão – premeditada e sem motivos – da Rússia a um país vizinho remete-nos há mais de oitenta anos, à anexação da Áustria, à ocupação da Checoslováquia e à invasão da Polônia.

Não é apenas um ataque a um país livre e soberano, mas um ataque aos nossos valores de liberdade e democracia e à ordem internacional que construímos juntos.

Como observou o historiador Robert Kagan, a selva da história está de volta, e suas videiras querem envolver o jardim da paz em que estávamos convencidos de que vivíamos.

Agora cabe a todos nós decidir como reagir.

A Itália não pretende virar para o outro lado.

O projeto revanchista do presidente Putin se revela hoje com contornos claros, em suas palavras e atos (…).

Até agora, os planos de Moscou para uma rápida invasão e conquista de grandes áreas do território ucraniano em poucos dias parecem fracassar, também graças à corajosa oposição do exército e do povo ucraniano e à unidade demonstrada pela União Européia e seus aliados.

As tropas russas continuam seu avanço para tomar posse das principais cidades.

Uma longa coluna de veículos militares está nos arredores de Kiev, onde foram registrados ataques de mísseis e explosões durante a noite, inclusive em detrimento de áreas residenciais (…).

A Itália respondeu ao apelo do presidente Zelensky por equipamentos militares, armamentos e veículos para se proteger da agressão russa.

O governo democraticamente eleito deve ser capaz de resistir à invasão e defender a independência do país.

A um povo que se defende de um ataque militar e pede ajuda às nossas democracias, não é possível responder apenas com estímulos e atos de dissuasão.

Esta é a posição da Itália, da União Europeia, dos nossos aliados.

A invasão da Rússia não é apenas sobre a Ucrânia. É um ataque à nossa concepção de relações entre Estados baseada em regras e direitos. Não podemos deixar a Europa regressar a um sistema em que as fronteiras são traçadas à força. E onde a guerra é uma forma aceitável de expandir sua área de influência. O respeito pela soberania democrática é um pré-requisito para uma paz duradoura (…).

A luta que apoiamos hoje e os sacrifícios que faremos amanhã são uma defesa dos nossos princípios e do nosso futuro”.

 


Tags relacionadas

invasão da Ucrânia Mario Draghi Putin zelensky
< Notícia Anterior

Vai faltar adubo para a campanha de Bolsonaro

01.03.2022 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

YouTube bloqueia máquina de propaganda de Putin

01.03.2022 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Redação O Antagonista

O Antagonista é um dos principais sites jornalísticos de informação e análise sobre política do Brasil. Sua equipe é composta por jornalistas profissionais, empenhados na divulgação de fatos de interesse público devidamente verificados e no combate às fake news.

Suas redes

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

Cactos após aumento do nível do mar

Cactos após aumento do nível do mar

14.07.2024 22:00 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Explosões solares causam efeitos na Terra

Explosões solares causam efeitos na Terra

14.07.2024 21:45 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Descoberta de nova espécie de dinossauros

Descoberta de nova espécie de dinossauros

14.07.2024 20:55 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Impacto do ChatGPT nas escolas

Impacto do ChatGPT nas escolas

14.07.2024 20:45 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.