Turbulência: produção cai e pedidos do Boeing 737 Max vão a zero Turbulência: produção cai e pedidos do Boeing 737 Max vão a zero
O Antagonista

Turbulência: produção cai e pedidos do Boeing 737 Max vão a zero

avatar
Redação O Antagonista
2 minutos de leitura 11.06.2024 16:53 comentários
Economia

Turbulência: produção cai e pedidos do Boeing 737 Max vão a zero

Empresa enfrenta forte escrutínio após incidente envolvendo a perda de uma porta de um 737 Max durante o voo em janeiro deste ano

avatar
Redação O Antagonista
2 minutos de leitura 11.06.2024 16:53 comentários 0
Turbulência: produção cai e pedidos do Boeing 737 Max vão a zero
Reprodução

A Boeing não registrou nenhum pedido sequer para o 737 Max pelo segundo mês consecutivo. O modelo é o que teve o rompimento de um painel lateral durante um voo em janeiro deste ano, levantando dúvidas sobre os padrões de segurança adotados pela companhia.

Na divulgação de resultados da empresa nesta terça-feira, 11, a fabricante de aeronaves revelou que recebeu apenas quatro pedidos em maio, muito atrás da principal concorrente da americana, a Airbus que registrou 27 novas encomendas no mesmo mês.

O prognóstico ruim para a companhia ainda piorou com o cancelamento do pedido um jato Max da Aerolineas Argentinas. No mês anterior, a Boeing havia registrado sete vendas.

Além da queda nos pedidos, a empresa também registrou queda na entrega de aeronaves, com apenas 19 jatos Max prontos no mês passado, contra 35 no mesmo período de 2023. Na comparação mensal, foram três a mais que em abril.

No total, foram entregues 24 aviões comerciais no mês passado, contra 50 no mesmo período do ano passado. A concorrente europeia despachou 53 aeronaves a clientes em maio.

A preocupação da empresa ainda abrange um possível rebaixamento da nota de crédito da fabricante de aeronaves, que pode tornar a situação ainda mais complicada. Agências de classificação de risco têm apontado a alta dívida combinada com queda nas entregas e pouca visibilidade sobre a recuperação do negócio como fatores que podem levar a nota da companhia a uma revisão.

Com quase 60 bilhões de dólares de dívida, um rebaixamento da percepção de risco da companhia pode tornar a situação financeira da empresa extremamente perigosa, porque elevaria o custo de capital, além de tornar a própria busca por financiamento mais difícil. Atualmente, a Boeing ainda goza do status de grau de investimento sobre a dívida emitida, mas os riscos se avolumam conforme os resultados pioram.

Esportes

Medalha de Pelé da copa de 1962 será leiloada

25.06.2024 18:56 3 minutos de leitura
Visualizar

Será que o PT realmente defende terroristas?

Visualizar

Presidente do Fluminense comenta a dolorosa saída de Fernando Diniz

Visualizar

Cenário externo pressiona dólar e juros futuros

Visualizar

Amazon Prime Day 2024 tem data divulgada. Confira

Visualizar

“Decisão a favor do porte de maconha era esperada”, diz oposição na Câmara

Visualizar

< Notícia Anterior

ALERTA de Previsão do Tempo: Veranico de outono traz calor recorde

11.06.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Ex-atacante Mauro Boselli é internado com anemia grave

11.06.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Redação O Antagonista

Suas redes

Instagram

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

Cenário externo pressiona dólar e juros futuros

Cenário externo pressiona dólar e juros futuros

25.06.2024 18:32 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Frasle anuncia compra da Kuo Refaciones por R$ 2,1 bi

Frasle anuncia compra da Kuo Refaciones por R$ 2,1 bi

25.06.2024 17:18 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Vem aí o sistema de meta de inflação contínua

Vem aí o sistema de meta de inflação contínua

25.06.2024 16:44 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Governo adia Plano Safra; Frente do Agro não perdoa

Governo adia Plano Safra; Frente do Agro não perdoa

25.06.2024 14:55 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.