Governo mira cigarros para compensar desoneração da folha Governo mira cigarros para compensar desoneração da folha
O Antagonista

Governo mira cigarros para compensar desoneração da folha

avatar
Redação O Antagonista
3 minutos de leitura 27.05.2024 17:47 comentários
Economia

Governo mira cigarros para compensar desoneração da folha

O último decreto sobre o aumento do valor do cigarro foi publicado em 2016, estabelecendo o preço mínimo em R$ 5

avatar
Redação O Antagonista
3 minutos de leitura 27.05.2024 17:47 comentários 0
Governo mira cigarros para compensar desoneração da folha
Foto: geralt/Pixabay

Governo federal planeja aumentar preço mínimo do cigarro para compensar desoneração da folha de pagamento de setores da economia. A proposta será feita por decreto e pode ser incluída em uma medida provisória que contemplará alternativas para compensação da política salarial.

Estima-se que a medida possa gerar entre R$ 3 bilhões e R$ 4 bilhões aos cofres públicos, mas os números ainda estão sujeitos a revisão, informa reportagem do Estadão.

Preço mínimo do cigarro

De acordo com um estudo do Instituto Nacional de Câncer (Inca) publicado no ano passado, o Brasil não aumentou o preço mínimo do cigarro desde 2017, o que resultou em uma redução sustentada do valor médio real de um maço de 20 cigarros fabricados por empresas legalmente registradas no país.

O último decreto sobre o assunto foi publicado em 2016, estabelecendo o preço mínimo em R$ 5.

A lei 12.546, de 2011, instituiu uma política de preços mínimos para os cigarros, com validade a partir de maio de 2012, quando o valor mínimo passou a ser de R$ 3, aumentando anualmente R$ 0,50 até atingir R$ 4,50 em 2015. O preço mínimo é válido em todo o território nacional e qualquer cigarro vendido abaixo desse valor é considerado ilegal, conforme informações do site do Inca.

A Receita Federal estima que serão necessários R$ 25,8 bilhões para compensar as perdas arrecadatórias com a prorrogação da desoneração. Desse total, R$ 15,8 bilhões correspondem à renúncia fiscal nos setores beneficiados e os outros R$ 10 bilhões à mudança na tributação dos municípios. O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, confirmou a edição de uma medida provisória com mais de uma medida de compensação.

Desoneração da folha de pagamento

A desoneração da folha de pagamentos é um benefício fiscal que substitui a contribuição previdenciária patronal de 20% sobre a folha de salários por alíquotas que variam de 1% a 4,5% sobre a receita bruta. Essa medida resulta em redução da carga tributária para milhares de empresas, que empregam mais de 9 milhões de pessoas.

No início deste mês, Haddad e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, anunciaram um acordo para manter a desoneração em vigor neste ano e reintroduzir gradualmente a tributação a partir de 2025.

Diversas opções para compensar a manutenção da desoneração estão sendo discutidas no Congresso. Uma das alternativas avaliadas pelos parlamentares é o aumento do Cofins-Importação, já previsto no projeto que prorroga a desoneração. Segundo o texto, até 31 de dezembro de 2024, as alíquotas da Cofins-Importação terão um acréscimo de 1 ponto percentual para importação de bens classificados na Tabela de Incidência do Imposto sobre Produtos Industrializados (Tipi). A partir de 2025, essa alíquota teria aumentos progressivos.

Compensação só em setembro

No entanto, advogados tributaristas consultados pelo jornal paulistano explicam que essa medida precisará cumprir o prazo de 90 dias para entrar em vigor. Isso significa que, na prática, o governo só poderia prever a compensação a partir de setembro.

Além de ter um impacto arrecadatório, o aumento do preço mínimo do cigarro também tem implicações na saúde pública. Segundo o Inca, o aumento de impostos e preços desse produto é a medida mais eficaz, especialmente entre jovens e populações de baixa renda, para reduzir o consumo.

Esportes

CazéTV anuncia transmissão da Copa do Mundo de Futsal

23.06.2024 17:45 3 minutos de leitura
Visualizar

Previsão do Tempo: Santa Catarina em alerta para temporais extremos

Visualizar

Aumento do nível do mar coloca cidades brasileiras em risco

Visualizar

Rouge: Confusões internas e troca de farpas

Visualizar

Nike relança camisa da seleção de 1998 e preço surpreende

Visualizar

Portabilidade de dívida do cartão de crédito é aprovada

Visualizar

Tags relacionadas

cigarro desoneração da folha de pagamento economia Fernando Haddad imposto sobre cigarros ministério da fazenda
< Notícia Anterior

Empresa de IA de Elon Musk arrecada US$ 6 bi em última captação de recursos

27.05.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Rodrigo Faro tem cidadania italiana ilegal, apresentador se diz vítima de um golpe

27.05.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Redação O Antagonista

Suas redes

Instagram

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

FGTS Calamidade: salva famílias em Campos dos Goytacazes

FGTS Calamidade: salva famílias em Campos dos Goytacazes

23.06.2024 13:00 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
MEIs têm direito a licença-maternidade de 4 meses: veja como conseguir o seu

MEIs têm direito a licença-maternidade de 4 meses: veja como conseguir o seu

23.06.2024 12:45 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
INSS: adota novo calendário de pagamentos em 2024, veja se você se beneficia

INSS: adota novo calendário de pagamentos em 2024, veja se você se beneficia

23.06.2024 12:30 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Descubra seu Número de Identificação Social (NIS): guia completo de consulta

Descubra seu Número de Identificação Social (NIS): guia completo de consulta

23.06.2024 12:15 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.