O Antagonista

Chegou a hora de definir o futuro da meta de déficit primário zero

avatar
Rodrigo Oliveira
4 minutos de leitura 07.12.2023 07:45 comentários
Economia

Chegou a hora de definir o futuro da meta de déficit primário zero

Estão previstas para esta quinta-feira, 7, as apresentações de dois textos amplamente antecipados pelo mercado financeiro. Às 11h30, o deputado Danilo Forte (União-CE) marcou uma...

avatar
Rodrigo Oliveira
4 minutos de leitura 07.12.2023 07:45 comentários 0
Chegou a hora de definir o futuro da meta de déficit primário zero
Foto: Elaine Menke/Câmara dos Deputados

Estão previstas para esta quinta-feira, 7, as apresentações de dois textos amplamente antecipados pelo mercado financeiro. Às 11h30, o deputado Danilo Forte (União-CE) marcou uma entrevista coletiva para apresentar o aguardado relatório do PLDO (Projeto de Lei das Diretrizes Orçamentárias).

É nesse texto que a meta fiscal para o ano que vem está definida. Embora não haja indicação sobre uma mudança no objetivo apresentado pelo governo de zerar o déficit primário em 2024, tanto o parlamento quanto o próprio presidente Lula expressaram contrariedade na manutenção do alvo, caso isso provoque um corte automático na liberação de recursos em um ano de eleições municipais, o chamado contingenciamento.

Da forma como está atualmente, a necessidade de contingenciamento ultrapassaria a marca de 50 bilhões de reais no ano que vem. Cifra inaceitável para o mundo político. Por esse motivo, a chamada emenda Randolfe Rodrigues, que limita o bloqueio de despesas do Orçamento em torno de R$ 20 bilhões, é um ponto central para o texto.

Danilo Forte tem indicado que não acatará a mudança proposta pelo senador e líder do governo no Senado, Randolfe Rodrigues, o que pode antecipar um movimento de revisão da meta fiscal no parlamento. A liberação do texto completo com o parecer do deputado será logo após a entrevista coletiva.

Pouco antes, às 11h, o deputado Luiz Fernando Faria (PSD-MG), relator da MP (Medida Provisória) 1185/2023 — que trata da subvenção do ICMS, promete apresentar relatório sobre a matéria. O texto estava marcado para ontem, 6, mas a apresentação foi adiada em função da falta de consenso sobre detalhes da medida. Além disso, também permanece a expectativa sobre a inclusão de mudanças nos JCP (Juros Sobre Capital Próprio).

O governo tenta emplacar o jabuti com concessões como o abandono da ideia de limitar a dedução a 50% do lucro tributável e do aumento de 15% para 20% no Imposto de Renda dos proventos.

Ainda no cenário político, o relator da reforma tributária na Câmara dos Deputados, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), confirmou a intenção de Lira de votar a proposta em plenário na próxima semana. Ribeiro está avaliando a possibilidade de excluir algumas exceções colocadas pelo Senado no texto.

Com a agenda legislativa cheia e o tempo contra, a Câmara dos Deputados pode realizar sessões de segunda-feira a sexta-feira na próxima semana para tentar vencer a pauta.

Além das tumultuadas negociações da pauta arrecadatória do governo, os investidores reagem também aos resultados da balança comercial chinesa, que apresentou queda de 0,6% em novembro nas  importações e aumento as exportações em 0,5%.

A divulgação do PIB (Produto Interno Bruto) do terceiro trimestre da zona do euro e o relatório de auxílio-desemprego nos Estados Unidos também estão no radar.

No noticiário corporativo, a aprovação do projeto de privatização da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo)em sessão tumultuada na Assembleia Legislativa de São Paulo na noite dessa quarta-feira, 6, também deve repercutir na sessão da bolsa de valores. O projeto foi aprovado por 62 votos a favor e apenas um contrário, em uma votação que aconteceu sem a presença da oposição. Agora, o projeto segue para sanção do Executivo.

No Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Kássio Nunes Marques interrompeu o julgamento sobre a constitucionalidade das restrições impostas pela Lei das Estatais à nomeação de políticos para cargos de direção e conselhos de administração de empresas públicas. Até agora, há um voto favorável às restrições, do ministro André Mendonça, e um voto favorável à suspensão dessas restrições, do relator Ricardo Lewandowski, que concedeu uma liminar favorável ao PCdoB em março deste ano, antes de se aposentar.

Mais Lidas

1

MBL na mira da PF

Visualizar notícia
2

Nem o Nordeste está a fim de Lula

Visualizar notícia
3

Tubarões testam positivo para cocaína no Rio

Visualizar notícia
4

Maduro adere à narrativa bolsonarista sobre urnas brasileiras

Visualizar notícia
5

Até o Black Lives Matter criticou escolha de Kamala Harris: "Partido de hipócritas"

Visualizar notícia
6

Apoio de Lula tira votos de Paes, indica pesquisa

Visualizar notícia
7

A maior preocupação de Tarcísio com o PCC

Visualizar notícia
8

“Governo federal é amigo de narcopresidentes”, diz secretário de Justiça de MG

Visualizar notícia
9

Aécio e Perillo tentam convencer Datena a não ‘datenar’

Visualizar notícia
10

União Brasil, unido com Ricardo Nunes

Visualizar notícia

Assine nossa newsletter

Inscreva-se e receba o conteúdo do O Antagonista em primeira mão!

Tags relacionadas

Danilo Forte déficit fiscal Ibovespa PLDO resultado primário sabesp
< Notícia Anterior

Cinco Minutos: A saia justa do governo Lula com a Venezuela

07.12.2023 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Ala do PT já discute sucessão de Gleisi

07.12.2023 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Rodrigo Oliveira

Jornalista pela UnB (Universidade de Brasília), pós-graduado em Marketing &amp; Mídias Digitais pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) e especializado em finanças e negócios. É Analista de Valores Mobiliários (CNPI) certificado pela Apimec (Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais) com quatro anos de experiência profissional no mercado financeiro.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

IRB tem queda de 10% no lucro em maio

IRB tem queda de 10% no lucro em maio

24.07.2024 11:32 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Guia completo para obter sua primeira Carteira de Trabalho Digital

Guia completo para obter sua primeira Carteira de Trabalho Digital

24.07.2024 11:30 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
MEI Calamidades: uma iniciativa de apoio financeiro no Rio Grande do Sul

MEI Calamidades: uma iniciativa de apoio financeiro no Rio Grande do Sul

24.07.2024 11:00 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Entenda as mudanças no pagamento do PIS/PASEP de R$1,4 mil para 2024

Entenda as mudanças no pagamento do PIS/PASEP de R$1,4 mil para 2024

24.07.2024 10:30 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.