O Antagonista

A versão de Marinho para justificar a queda no emprego formal

avatar
Otávio Augusto
3 minutos de leitura 30.01.2024 17:33 comentários
Economia

A versão de Marinho para justificar a queda no emprego formal

O resultado de 2023 representa queda de 27% em relação ao registrado em 2022, quando os novos postos atingiram 2,037 milhões

avatar
Otávio Augusto
3 minutos de leitura 30.01.2024 17:33 comentários 1
A versão de Marinho para justificar a queda no emprego formal
Foto: Adriano Machado/O Antagonista

Na tentativa de conter a má repercussão da queda no emprego formal em 2023, o ministro do Trabalho, Luiz Marinho, atribuiu à informalidade o resultado negativo.

Além disso, os juros altos, segundo a análise do ministro, também influenciou no saldo do mercado de trabalho.

“Sempre a contratação e a demissão têm a ver rigorosamente com a economia, ou com algum momento de pico de modernização e novos métodos de trabalho, mas em 2023 não me parece que tenham acontecido esses fenômenos. O PIB foi maior do que disseram que seria, e a geração de emprego está compatível com crescimento do PIB no ano. Pode ter tido outro fenômeno, que é a informalidade, e eventuais contratações informais na agricultura”, comentou.

A declaração foi dada na tarde desta terça-feira (30), em Brasília, durante entrevista coletiva para comentar dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Marinho emendou.

“A economia não teve o pico de contratação, na magnitude que imaginávamos [nesses meses], e aí tem os juros atuando. É um elemento que influencia no comportamento da economia, apesar do início da queda mês a mês, é insuficiente. Os juros precisam cair mais. O juro brasileiro é um dos maiores do mundo. É um elemento que influencia fortemente”, defendeu.

O mercado de trabalho fechou o ano passado com a criação de 1,483 milhão de vagas formais, considerando contratações menos demissões.

O resultado do primeiro ano do terceiro mandato do presidente Lula representa queda de 27% em relação ao registrado em 2022, quando os novos postos com carteira assinada atingiram 2,037 milhões.

Os dados constam no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), elaborado pelo Ministério do Trabalho e Emprego, e foram apresentados na tarde desta terça-feira, 30.

Vagas fechadas

Em dezembro, foram fechados 430.159 vagas com carteira assinada. No mesmo período de 2022, os cortes foram de 431.011 postos, saldo negativo que sobe para 455.544, considerando ajustes.

Em 2023, o estoque de empregos formais no país alcançou 43.928.023 postos de trabalho.

No acumulado do ano passado o saldo foi de 1.483.598 postos de trabalho, resultado de 23.257.812 admissões e 21.774.214 desligamentos.

Veja os setores que mais geraram empregos:

  • O maior crescimento do emprego formal ocorreu no setor de serviços, com um saldo de 886.256 postos de trabalho (+4,4%).
  • O segundo maior crescimento do emprego formal ocorreu no setor de comércio, com um saldo de 276.528 postos de trabalho (+2,9%). O comércio varejista de mercadorias, com supermercados, gerou 39.042 vagas e os minimercados, 13.967.
  • A construção civil, ficou em terceiro lugar, com um saldo de 158.940 (+6,6%).
  • A indústria aparece em seguida, com 127.145 postos de trabalho (+1,5%).
  • A agropecuária com 34.762 (+2,1%) vagas criadas no ano fecha o ranking.
Esportes

Flamengo tenta contratação de Maycon, do Corinthians

05.03.2024 07:00 2 minutos de leitura
Visualizar

Abono Salarial PIS/Pasep: Tudo que Você Precisa Saber

Visualizar

Concurso UNIFAL 2024: Oportunidades para níveis técnico e superior com salários de até R$4.556,92

Visualizar

Recorde do Simples Nacional: mais de 650 mil empresas optam pelo regime tributário

Visualizar

Bolsa Família 2024: cronograma de pagamentos em março revelado

Visualizar

Caixa Tem: consulte os benefícios para março, Bolsa Família e PIS/PASEP liberados

Visualizar

Tags relacionadas

luiz marinho mercado de trabalho
< Notícia Anterior

Concurso do INMETRO tem inscrições prorrogadas

30.01.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Investigações da PF apontam rachadinha de Janones

30.01.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Otávio Augusto

Suas redes

Instagram

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (1)

saul simoes junior

2024-01-30 18:56:19

Para que serve esse pelego? Só para piorar as contas públicas!


Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

Abono Salarial PIS/Pasep: Tudo que Você Precisa Saber

Abono Salarial PIS/Pasep: Tudo que Você Precisa Saber

05.03.2024 07:00 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Recorde do Simples Nacional: mais de 650 mil empresas optam pelo regime tributário

Recorde do Simples Nacional: mais de 650 mil empresas optam pelo regime tributário

05.03.2024 06:30 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Bolsa Família 2024: cronograma de pagamentos em março revelado

Bolsa Família 2024: cronograma de pagamentos em março revelado

05.03.2024 06:00 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Caixa Tem: consulte os benefícios para março, Bolsa Família e PIS/PASEP liberados

Caixa Tem: consulte os benefícios para março, Bolsa Família e PIS/PASEP liberados

05.03.2024 05:30 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.