STF define que uso de algemas por menores infratores precisa de ‘justificativa’ STF define que uso de algemas por menores infratores precisa de ‘justificativa’
O Antagonista

STF define que uso de algemas por menores infratores precisa de ‘justificativa’

avatar
Redação O Antagonista
2 minutos de leitura 07.05.2024 22:11 comentários
Brasil

STF define que uso de algemas por menores infratores precisa de ‘justificativa’

Caberá ao Ministério Público (MP) avaliar a necessidade de uso de algemas quando o menor for mantido preso

avatar
Redação O Antagonista
2 minutos de leitura 07.05.2024 22:11 comentários 3
STF define que uso de algemas por menores infratores precisa de ‘justificativa’
Foto: Rosinei Coutinho/SCO/STF

A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta terça-feira (7) estabelecer regras para o uso de algemas durante prisões de menores infratores. A decisão foi tomada por unanimidade.

A partir de agora, o uso de algemas deverá ser justificado à Justiça. Caberá ao Ministério Público (MP) avaliar a necessidade de uso de algemas quando o menor for mantido preso.

O infrator deverá ser apresentado ao membro do MP no prazo de 48 horas e não poderá ficar detido com maiores de idade. Além disso, o conselho tutelar também poderá ser acionado para opinar sobre o caso. A regulamentação da questão será feita pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

As regras foram apresentadas pela ministra Cármen Lúcia, relatora do processo que motivou o julgamento da questão.

Segundo a ministra, o Supremo recebe diversas reclamações sobre o uso de algemas em menores infratores.

“Há uma insensibilidade de juízes, que acham mais cômodo mandar algemar ao invés de pedir providências para que os fóruns brasileiros tenham condições de realizar sua função”, afirmou a ministra.

Os ministros Luiz Fux, Flávio Dino, Cristiano Zanin e Alexandre de Moraes acompanharam o entendimento.

Em 2008, o STF decidiu que o uso de algemas em presos é medida excepcional e deve ser justificada.

Com informações da Agência Brasil

Meio-dia em Brasília

Meio-Dia em Brasília: Quanto vale uma milícia?

27.05.2024 11:48 1 minuto de leitura
Visualizar

MEC homologa fim de licenciatura 100% EAD

Visualizar

Concurso Público AGERSA 2024: salário inicial de R$ 1.6 mil

Visualizar

O dilema das bugigangas da filha de Lira

Rodolfo Borges Visualizar

Impeachment em Porto Alegre: Sebastião Melo na corda bamba

Visualizar

Onde assistir aos jogos de hoje, 27/05, na TV e streaming

Visualizar

Tags relacionadas

Cármen Lúcia STF
< Notícia Anterior

TSE institui juiz de garantias para as eleições de 2024

07.05.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Câmara acelera projeto para taxar ‘blusinhas’ da Shein

07.05.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Redação O Antagonista

Suas redes

Instagram

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (3)

Carlos Alberto Bolsoni

2024-05-08 00:57:21

Se é do interesse do povo, automaticamente não é do interesse dessa cambada moderninha da corte suprema (arg)..


Daniel Vieira

2024-05-07 23:24:42

A justificativa é que é um criminoso. De que servem esses vampiros demo


Marian

2024-05-07 22:49:57

Ah tem sim justificativa: a segurança da população.


Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

MEC homologa fim de licenciatura 100% EAD

MEC homologa fim de licenciatura 100% EAD

27.05.2024 11:47 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Concurso Público AGERSA 2024: salário inicial de R$ 1.6 mil

Concurso Público AGERSA 2024: salário inicial de R$ 1.6 mil

27.05.2024 11:37 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Impeachment em Porto Alegre: Sebastião Melo na corda bamba

Impeachment em Porto Alegre: Sebastião Melo na corda bamba

27.05.2024 11:34 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
MEIs: prazo final da DASN-SIMEI! evite multas e regularize já

MEIs: prazo final da DASN-SIMEI! evite multas e regularize já

27.05.2024 11:30 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.