O Antagonista

“Não é possível uma pessoa acusar o presidente do crime de pedofilia”, diz presidente do PP

avatar
Wilson Lima
2 minutos de leitura 21.10.2022 16:43 comentários
Brasil

“Não é possível uma pessoa acusar o presidente do crime de pedofilia”, diz presidente do PP

O presidente da executiva nacional do PP, deputado federal Cláudio Cajado (BA, na foto), afirmou em entrevista a O Antagonista que a representação instaurada contra o também parlamentar André Janones (Avante-MG), por produção e disseminação em massa de fake news...

avatar
Wilson Lima
2 minutos de leitura 21.10.2022 16:43 comentários 0
“Não é possível uma pessoa acusar o presidente do crime de pedofilia”, diz presidente do PP
Foto: Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados

O presidente da executiva nacional do PP, deputado federal Cláudio Cajado (BA, na foto), afirmou em entrevista a O Antagonista que a representação instaurada contra o também parlamentar André Janones (Avante-MG), por produção e disseminação em massa de fake news durante as eleições, visa ter um efeito “didático” para outros integrantes da Câmara.

Na visão de Cajado, a política não pode se “destruir” a partir da disseminação de notícias falsas, independentemente do período ou de uma eventual boa ou má intenção do parlamentar.

“Achamos que devemos dar um limite a esse tipo de postura [divulgação de fake news]. O caso já está sendo encaminhado para o Conselho de Ética. Lá, ele [Janones] vai ter oportunidade de se defender. Eu penso que a representação está extremamente robusta e verdadeira, com várias provas dos crimes que ele cometeu”, disse o parlamentar.

“Nós precisamos evitar que a política se destrua por nós próprios. Se depender da minha posição, vamos exigir a apuração disso. Temos que dar um basta. Não é possível uma pessoa, ainda mais um deputado federal, acusar o presidente do crime de pedofilia. Em se tratando de qualquer pessoa, já seria grave. Mais grave ainda quando se é uma acusação contra o presidente da República”, acrescentou o parlamentar.

Como mostramos ao longo desta semana, o caso foi protocolado na terça-feira última. O PL de Jair Bolsonaro também ingressou com representação no colegiado. A expectativa é que o caso comece a tramitar já na semana que vem. O relator das representações, porém, deve ser escolhido apenas em novembro.

“Não posso antever se [o processo] será mais rápido ou não.  Dois partidos ingressaram com representações e, na minha avaliação, o parlamentar cometeu crime. Cometeu crime e não podemos admitir que um deputado, que se lançou à Presidência da República, aja dessa forma e fique simplesmente impune, que ache que isso é política, que isso é normal, que isso é da atividade parlamentar. Há uma clara diferença entre imunidade parlamentar e impunidade parlamentar”, concluiu o presidente do PP.

Mais Lidas

1

Moro critica Janones por desinformar sobre atentado a Trump: “imbecil”

Visualizar notícia
2

Foi para isso que Boulos salvou Janones da rachadinha?

Visualizar notícia
3

Atentado a Trump: os ataques cretinos e as críticas legítimas à imprensa

Visualizar notícia
4

Israel confirma morte de comandante do Hamas

Visualizar notícia
5

Homem morto em comício de Trump protegeu família de tiros

Visualizar notícia
6

Atirador que tentou matar Trump tinha material explosivo em carro

Visualizar notícia
7

Bolsonaro: “Somente pessoas conservadoras sofrem atentado”

Visualizar notícia
8

“Uma tragédia para as democracias”, diz Macron sobre atentado a Trump

Visualizar notícia
9

Melania Trump descreve atirador como “monstro” e pede união

Visualizar notícia
10

Barroso, após atentado a Trump: “Violência é derrota de espírito”

Visualizar notícia

Tags relacionadas

André Janones Cláudio Cajado conselho de ética eleições 2022 janones
< Notícia Anterior

Banco Modal divulga pesquisa do AP Exata sobre avaliação do governo

21.10.2022 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Crusoé: "Bolsonaro, de novo, desagrada as eleitoras"

21.10.2022 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Wilson Lima

Wilson Lima é jornalista formado pela Universidade Federal do Maranhão. Trabalhou em veículos como Agência Estado, Portal iG, Congresso em Foco, Gazeta do Povo e IstoÉ. Acompanha o poder em Brasília desde 2012, tendo participado das coberturas do julgamento do mensalão, da operação Lava Jato e do impeachment de Dilma Rousseff. Em 2019, revelou a compra de lagostas por ministros do STF.

Suas redes

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

Jeep Renegade 2025 traz novidades nas versões para manter competitividade

Jeep Renegade 2025 traz novidades nas versões para manter competitividade

14.07.2024 15:37 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Educação positiva: entenda o que é

Educação positiva: entenda o que é

14.07.2024 14:30 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Chacina no Ceará deixa 4 mortos

Chacina no Ceará deixa 4 mortos

14.07.2024 14:22 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
São Paulo regula a venda de cães e gatos

São Paulo regula a venda de cães e gatos

14.07.2024 14:15 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.