Militares reafirmam que não vão endossar protestos de eleitores bolsonaristas Militares reafirmam que não vão endossar protestos de eleitores bolsonaristas
O Antagonista

Militares reafirmam que não vão endossar protestos de eleitores bolsonaristas

avatar
Wilson Lima
2 minutos de leitura 03.11.2022 13:22 comentários
Brasil

Militares reafirmam que não vão endossar protestos de eleitores bolsonaristas

Integrantes do Alto Comando do Exército, além de generais e coronéis, têm reafirmado, em conversas internas, que não vão endossar os atos populares que pedem a intervenção militar e aplicação do artigo 142 da Constituição Federal...

avatar
Wilson Lima
2 minutos de leitura 03.11.2022 13:22 comentários 0
Militares reafirmam que não vão endossar protestos de eleitores bolsonaristas
Foto: Guilherme Mendes/O Antagonista

Integrantes do Alto Comando do Exército, além de generais e coronéis, têm reafirmado, em conversas internas, que não vão endossar os atos populares que pedem a intervenção militar e aplicação do artigo 142 da Constituição Federal.

Como mostramos ontem, houve concentração de eleitores bolsonaristas em frente a locais estratégicos como o Quartel General do Exército, em Brasília, ou o Comando Militar do Leste, no Rio de Janeiro. Nos atos, os manifestantes pediram intervenção militar com Jair Bolsonaro no Poder.

Segundo apurou este site, a cúpula do Exército acompanhou, com preocupação e minuto a minuto, o desenrolar dos atos.

O Exército também monitorou eventuais integrantes da Força que se manifestaram a favor da aplicação do artigo 142. Não como endosso ao movimento, mas para punir eventuais episódios de insurreição militar. Um cabo foi alvo de procedimento administrativo por fazer posts nas redes sociais sobre o assunto.

Na avaliação de generais do Exército, os protestos de ontem foram representativos, mas os militares têm reafirmado que não vão enveredar para uma aventura golpista. Há na caserna um claro descontentamento com a vitória de Lula, mas, para o Alto Comando e para os generais, o respeito à Constituição e ao resultado das urnas está acima de qualquer preferência político/partidária.

Antes do primeiro turno, o generalato já havia dado sinais de que acataria o resultado das urnas. Nas aspas de um general integrante do Alto Comando, “quem ganhar, leva”.

Outra questão que vem sendo ponderada pelos militares diz respeito ao orçamento de 2023. Na visão do Exército, quanto mais se estendem os protestos, menor será a capacidade dos generais de negociar, já com o governo Lula, a participação do Ministério da Defesa na peça orçamentária do ano que vem.

Para 2023, a Defesa concentra 1/3 da capacidade de investimentos do governo federal: uma cifra de R$ 7,4 bilhões.

Brasil

Entenda a nova lei das saidinhas

14.04.2024 14:30 4 minutos de leitura
Visualizar

Quando ganharão os medalhistas de Paris 2024

Visualizar

Yuri Alberto fala sobre má fase, humilhação e apoio psicológico

Visualizar

Como o PCC se infiltra nas organizações

Visualizar

“Procurei a palavra condenação, mas não encontrei”

Visualizar

Nova York vai permitir o adultério

Visualizar

Tags relacionadas

alto comando Exército governo Lula militares Partido dos Trabalhadores (PT)
< Notícia Anterior

Fake: petistas vandalizam lojas da Havan

03.11.2022 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Fake: Luciano Hang está nas manifestações que questionam a eleição

03.11.2022 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Wilson Lima

Wilson Lima é jornalista formado pela Universidade Federal do Maranhão. Trabalhou em veículos como Agência Estado, Portal iG, Congresso em Foco, Gazeta do Povo e IstoÉ. Acompanha o poder em Brasília desde 2012, tendo participado das coberturas do julgamento do mensalão, da operação Lava Jato e do impeachment de Dilma Rousseff. Em 2019, revelou a compra de lagostas por ministros do STF.

Suas redes

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

Entenda a nova lei das saidinhas

Entenda a nova lei das saidinhas

14.04.2024 14:30 4 minutos de leitura
Visualizar notícia
Como o PCC se infiltra nas organizações

Como o PCC se infiltra nas organizações

14.04.2024 14:00 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
“Procurei a palavra condenação, mas não encontrei”

“Procurei a palavra condenação, mas não encontrei”

14.04.2024 13:54 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Crusoé: Para o Itamaraty, a vítima é o Irã

Crusoé: Para o Itamaraty, a vítima é o Irã

14.04.2024 12:37 2 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.