Governo leva briga sobre desoneração da folha ao STF Governo leva briga sobre desoneração da folha ao STF
O Antagonista

Governo leva briga sobre desoneração da folha ao STF

avatar
Wesley Oliveira
3 minutos de leitura 24.04.2024 16:43 comentários
Brasil

Governo leva briga sobre desoneração da folha ao STF

AGU entrou com ação para questionar a prorrogação da desoneração da folha de pagamento dos 17 setores da economia até 2027

avatar
Wesley Oliveira
3 minutos de leitura 24.04.2024 16:43 comentários 0
Governo leva briga sobre desoneração da folha ao STF
Supremo vai discutir a constitucionalidade da lei que prorrogou a desoneração da folha de pagamento | Foto: Antonio Augusto/SCO/STF

O governo do presidente Lula (PT), por meio da Advocacia-Geral da União (AGU), entrou com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para questionar a prorrogação da desoneração da folha de pagamento dos 17 setores da economia até 2027. Além disso, o Palácio do Planalto também defende que a Corte também declare a inconstitucionalidade do trecho que estendeu o benefício para pequenos municípios.

O governo argumenta que a lei que prorroga a desoneração até 2027, promulgada no final do ano passado pelo Congresso, não demonstrou o impacto financeiro da medida, conforme exigido pela Constituição.

“A lacuna é gravíssima, sobretudo se considerado o fato de que a perda de arrecadação anual estimada pela Receita Federal do Brasil com a extensão da política de desoneração da folha de pagamento é da ordem de R$ 10 bilhões anuais”, argumenta a AGU na petição.

Embate com o Congresso

Governo e Congresso travam um embate sobre o tema desde o final do ano passado. Após a desoneração ser aprovada, o presidente Lula vetou a medida para atender uma demanda do ministro da Fazenda, Fernando Haddad. O veto, no entanto, acabou sendo derrubado pelo Congresso.

Posteriormente, o presidente Lula editou uma Medida Provisória (MP) que reonerava os setores beneficiados de forma gradativa. A MP, contudo, acabou sendo desidratada pelo próprio governo diante dos desgates com o Legislativo.

Desonerar um setor significa que ele terá redução ou isenção de tributos. Na prática, deixa a contratação e manutenção de funcionários em empresas mais baratas.

Em janeiro, a Fazenda disse que o impacto em renúncia fiscal da desoneração da folha aos 17 setores custaria R$ 12,3 bilhões aos cofres públicos em 2024.

Reação

Defensores do mecanismo dizem que esse tipo de prática aquece a economia e promove a criação de empregos. Além disso, deputados e senadores incluíram na proposta a desoneração da folha para municípios de até 156,2 mil habitantes.

Em nota, a Confederação Nacional de Municípios (CNM) disse repudiar “profundamente” a decisão tomada pelo governo de levar o caso ao STF.

“É lamentável retirar a redução da alíquota para aqueles que estão na ponta, prestando serviços públicos essenciais à população, enquanto há benefícios a outros segmentos, com isenção total a entidades filantrópicas e parcial a clubes de futebol, agronegócio e micro e pequenas empresas”, diz a nota, assinada pelo presidente da CNM, Paulo Ziulkoski.

Brasil

Romário e Marcos Braz em delação sobre desvio de dinheiro no Rio

27.05.2024 11:55 3 minutos de leitura
Visualizar

A ajuda de 1 bilhão de euros da Espanha para Ucrânia

Visualizar

Meio-Dia em Brasília: Quanto vale uma milícia?

Visualizar

MEC homologa fim de licenciatura 100% EAD

Visualizar

Concurso Público AGERSA 2024: salário inicial de R$ 1.6 mil

Visualizar

O dilema das bugigangas da filha de Lira

Rodolfo Borges Visualizar

Tags relacionadas

CNM desoneração da folha desoneração da folha de pagamento prefeituras stf supremo
< Notícia Anterior

Davi Brito retorna às redes

24.04.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Número de casos de dengue este ano é o dobro que o de 2023

24.04.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Wesley Oliveira

Suas redes

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

Romário e Marcos Braz em delação sobre desvio de dinheiro no Rio

Romário e Marcos Braz em delação sobre desvio de dinheiro no Rio

27.05.2024 11:55 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
MEC homologa fim de licenciatura 100% EAD

MEC homologa fim de licenciatura 100% EAD

27.05.2024 11:47 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Concurso Público AGERSA 2024: salário inicial de R$ 1.6 mil

Concurso Público AGERSA 2024: salário inicial de R$ 1.6 mil

27.05.2024 11:37 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Impeachment em Porto Alegre: Sebastião Melo na corda bamba

Impeachment em Porto Alegre: Sebastião Melo na corda bamba

27.05.2024 11:34 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.