Exclusivo: menos cidades solicitaram apoio do Exército para manter segurança em 2022 Exclusivo: menos cidades solicitaram apoio do Exército para manter segurança em 2022
O Antagonista

Exclusivo: menos cidades solicitaram apoio do Exército para manter segurança em 2022

avatar
Wilson Lima
3 minutos de leitura 22.09.2022 17:20 comentários
Brasil

Exclusivo: menos cidades solicitaram apoio do Exército para manter segurança em 2022

Os setores de inteligência do Exército e as Secretarias de Segurança Pública não trabalham com um cenário de caos social para as eleições deste ano que possam ensejar a instituição de medidas extremas como a decretação de GLO (Garantia da Lei e da Ordem) nos estados...

avatar
Wilson Lima
3 minutos de leitura 22.09.2022 17:20 comentários 0
Exclusivo: menos cidades solicitaram apoio do Exército para manter segurança em 2022
Foto: Adriano Machado/Crusoé

Os setores de inteligência do Exército e as Secretarias de Segurança Pública não trabalham com um cenário de caos social para as eleições deste ano que possam ensejar a instituição de medidas extremas como a decretação de GLO (Garantia da Lei e da Ordem) nos estados.

Segundo apurou O Antagonista junto às Forças Armadas, 465 cidades (menos de 10% do total de 5,5 mil municípios brasileiros) solicitaram até o momento o apoio do Exército para garantir a ordem na votação e na apuração; em 2018, 503 cidades haviam pedido reforço militar para operações deste tipo. Ou seja, uma redução momentânea de 7,5%.

As Forças Armadas vão empregar 29 mil homens –  destes 21 mil do Exército – para reforçar a segurança em todo o Brasil. O mesmo contingente de 2018.

Embora ocorram notícias sobre um clima conflagrado entre bolsonaristas e petistas, principalmente nas regiões Sul e Sudeste – no Paraná, houve conflito em julho entre um correligionário de Lula e outro de Jair Bolsonaro –, nenhum estado do Sul pediu apoio das Forças Armadas; no Sudeste, apenas o Rio de Janeiro o solicitou.

No Rio, o Exército mandará reforço de segurança para 92 cidades. Em 2018, o cenário era semelhante.

No Distrito Federal – onde frequentemente ocorrem manifestações que podem resultar em depredações na Esplanada dos Ministérios – e em Goiás também não houve solicitação de apoio do Exército até o momento.

Apesar disso, esse número de cidades que terão o apoio do Exército tende a aumentar porque os Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) têm até sexta-feira da semana que vem para encaminhar seus respectivos pedidos.

Segundo os relatórios de inteligência do Exército, conforme apurou este site, até o momento “não há qualquer indício de anormalidade ou de ameaça à segurança nas eleições”.

Até o momento, o Exército também recebeu pedido de 120 cidades para ajudar no apoio logístico – relacionado ao transporte de urnas eletrônicas, pessoas e materiais em regiões de difícil acesso. Em 2018, 93 municípios contaram com esse auxílio.

Nesta semana, o TSE autorizou o envio das forças armadas para 11 estados em 561 localidades. O trabalho será realizado por meio dos comandos militares do Norte, Nordeste, Oeste, Leste, Planalto e da Amazônia.

Esportes

Rodolfo Borges na Crusoé: O rebaixamento anunciado

14.06.2024 18:41 2 minutos de leitura
Visualizar

Cyril Ramaphosa é reeleito presidente da África do Sul

Visualizar

MST quer colocar a mão na prefeitura de Salvador

Visualizar

Léo Santana lança projeto “Léo & Elas” com participação de Simone Mendes

Visualizar

O Mal Que Nos Habita: filme de terror argentino estreia no Streaming

Visualizar

Lá vem eles de novo: Alemanha aplica goleada na estreia da Eurocopa

Visualizar

Tags relacionadas

eleições 2022 Exército Forças Armadas Jair Bolsonaro Lula
< Notícia Anterior

Secretário-geral da ONU diz que ideia de conflito nuclear é “totalmente inaceitável”

22.09.2022 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Bolsonaro diz que Lula "já negociou ministérios, estatais e bancos" em troca de apoio

22.09.2022 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Wilson Lima

Wilson Lima é jornalista formado pela Universidade Federal do Maranhão. Trabalhou em veículos como Agência Estado, Portal iG, Congresso em Foco, Gazeta do Povo e IstoÉ. Acompanha o poder em Brasília desde 2012, tendo participado das coberturas do julgamento do mensalão, da operação Lava Jato e do impeachment de Dilma Rousseff. Em 2019, revelou a compra de lagostas por ministros do STF.

Suas redes

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

MST quer colocar a mão na prefeitura de Salvador

MST quer colocar a mão na prefeitura de Salvador

14.06.2024 18:26 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Léo Santana lança projeto “Léo & Elas” com participação de Simone Mendes

Léo Santana lança projeto “Léo & Elas” com participação de Simone Mendes

14.06.2024 18:15 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
O Mal Que Nos Habita: filme de terror argentino estreia no Streaming

O Mal Que Nos Habita: filme de terror argentino estreia no Streaming

14.06.2024 18:09 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Cachorra de Cauã Reymond tem alta médica após envenenamento, e ator comemora

Cachorra de Cauã Reymond tem alta médica após envenenamento, e ator comemora

14.06.2024 17:50 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.