Chilenos que participaram dos protestos de 2019 podem perder pensão vitalícia Chilenos que participaram dos protestos de 2019 podem perder pensão vitalícia
O Antagonista

Chilenos que participaram dos protestos de 2019 podem perder pensão vitalícia

avatar
Duda Teixeira
2 minutos de leitura 28.01.2024 22:00 comentários
Brasil

Chilenos que participaram dos protestos de 2019 podem perder pensão vitalícia

Chilenos que participaram dos protestos massivos de rua em 2019 podem perder o direito à aposentadoria vitalícia que ganharam do governo. Essas pessoas ganharam o benefício alegando terem sofrido algum dano durante a repressão policial às manifestações, que no Chile ficaram conhecidas como “estallido social“. No governo de Sebastián Piñera, foram entregues 148 dessas pensões....

avatar
Duda Teixeira
2 minutos de leitura 28.01.2024 22:00 comentários 0
Chilenos que participaram dos protestos de 2019 podem perder pensão vitalícia
Foto: Reprodução

Chilenos que participaram dos protestos massivos de rua em 2019 podem perder o direito à aposentadoria vitalícia que ganharam do governo.

Essas pessoas ganharam o benefício alegando terem sofrido algum dano durante a repressão policial às manifestações, que no Chile ficaram conhecidas como “estallido social“. No governo de Sebastián Piñera, foram entregues 148 dessas pensões. No de Gabriel Boric (foto), mais 270.

Contudo, um relatório feito pelo Ministério Público chileno na semana passada detectou que, de 418 indivíduos beneficiados, 69 tinham ficha policial. Entre os delitos que eles cometeram estão desde dirigir embriagado até homicídio.

Antes de sair de férias, o presidente Boric, de esquerda, revogou um benefício que tinha sido entregue a uma pessoa condenada por produção de conteúdo pornográfico infantil.

Nesta segunda, 29, quando Boric voltará de férias, ele terá em sua mesa no Palácio de la Moneda outros 69 casos para analisar.

Por que o governo errou ao distribuir as pensões vitalícias?

A entrega dos benefícios aos manifestantes foi feita sem nenhum controle.

Não havia um sistema formalizado para receber os pedidos das pessoas que se achavam no direito de ganhar a pensão.

Segundo o relatório do Ministério Público, havia apenas um arquivo de Word, sem data ou assinatura, que continha uma avaliação dos diferentes casos. Os dados eram lidos por uma assistente social, que então os passava para uma planilha de Excel. Um grupo de profissionais então se reunia para sugerir os valores dos benefícios.

Mas o maior erro foi que não havia um meio para confirmar se as informações enviadas pelos requerentes de benefícios eram verídicas ou não.

Em 19 casos, os procuradores descobriram inconsistência entre as informações enviadas pelos candidatos aos benefícios e as perícias médicas.

Um deles dizia que tinha perdido a visão, mas o médico afirmou que a pessoa tinha visão era normal.

Deputados do Partido Comunista do Chile não gostaram do relatório e ameaçam denunciar o governo do Chile em tribunais internacionais.

Os valores mensais desses benefícios variavam entre 283 mil pesos chilenos e 567 mil pesos chilenos, o que equivale a uma faixa entre 1.500 reais e 3 mil reais.

Brasil

CNJ forma maioria e derruba afastamento de ex-juíza da Lava Jato

16.04.2024 20:18 4 minutos de leitura
Visualizar

Uso de bicicletas em Paris ultrapassa uso de carros

Visualizar

EUA diz que China financia crise de fentanil americana

Visualizar

Gilmar Rinaldi x Neto: ex-goleiro expõe mágoa com apresentador

Visualizar

TSE adia julgamento de cassação de senador Jorge Seif

Visualizar

Empresário Rodrigo Carvalheira é indiciado por estupro

Visualizar

< Notícia Anterior

E Marta foi ao Campo Limpo almoçar

28.01.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Roteiro Antagonista: Lewandowski de volta

29.01.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Duda Teixeira

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

CNJ forma maioria e derruba afastamento de ex-juíza da Lava Jato

CNJ forma maioria e derruba afastamento de ex-juíza da Lava Jato

16.04.2024 20:18 4 minutos de leitura
Visualizar notícia
TSE adia julgamento de cassação de senador Jorge Seif

TSE adia julgamento de cassação de senador Jorge Seif

16.04.2024 19:53 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Empresário Rodrigo Carvalheira é indiciado por estupro

Empresário Rodrigo Carvalheira é indiciado por estupro

16.04.2024 19:41 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Senado aprova PEC das drogas; texto vai à Câmara

Senado aprova PEC das drogas; texto vai à Câmara

Wesley Oliveira
16.04.2024 19:40 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.