O Antagonista

BB pedirá que PF investigue vazamentos sobre acordo de R$ 600 milhões

avatar
Wilson Lima
2 minutos de leitura 21.06.2024 10:00 comentários
Brasil

BB pedirá que PF investigue vazamentos sobre acordo de R$ 600 milhões

O Banco do Brasil topou pagar uma multa multimilionária a um conglomerado de empresas que teve como acionista Edison Lobão

avatar
Wilson Lima
2 minutos de leitura 21.06.2024 10:00 comentários 0
BB pedirá que PF investigue vazamentos sobre acordo de R$ 600 milhões
Foto: Marcelo Carmago/Agência Brasil

Em nota oficial, a direção do Banco do Brasil afirmou que vai pedir à Polícia Federal a abertura de inquérito para apurar o vazamento de documentos que embasaram reportagem exclusiva de Crusoé sobre um nebuloso acordo de 600 milhões de reais firmado em setembro do ano passado pela estatal e duas empresas do Maranhão.

Leia aqui a matéria na íntegra.

Como revelou a Crusoé nesta sexta-feira, 21, o Banco do Brasil topou pagar uma multa multimilionária a um conglomerado de empresas – Aimar Agroindustrial e Coopergraças – que tinham, até recentemente, a participação acionária do ex-ministro de Minas e Energia dos governos Lula e Dilma, Edison Lobão.

E isso depois que o banco levou um calote do conglomerado, ainda nos anos de 1990.

Apesar do envolvimento de duas empresas distintas, o setor jurídico do Banco do Brasil deu aval para que a indenização multimilionária fosse paga a apenas umas das empresas envolvidas para que a outra envolvida fugisse de eventuais confiscos judiciais.

Parecer confidencial do próprio Banco do Brasil obtido pela reportagem apontava o risco de a transação, tal como desenhada, ser vista como uma simulação jurídica para evitar o pagamento de débitos fiscais, débitos trabalhistas e até honorários advocatícios, permitindo que o dinheiro fosse todo embolsado por apenas uma das beneficiárias.

“Causa-nos estranheza a demanda jornalística fazer referência a supostas informações internas que estariam protegidas pelo sigilo empresarial, citando, inclusive, participação de ex-dirigentes e autoridades públicas. Este fato será objeto de pedido de abertura de inquérito policial próprio para apuração das responsabilidades”, disse o Banco no pedido de resposta de Crusoé.

“Todas as complexidades do caso estão amplamente discutidas nas milhares de páginas que integram os diversos processos judiciais encerrados conforme a petição conjunta, homologada pelo STJ. As tratativas foram realizadas apenas com as empresas diretamente envolvidas e seus respectivos advogados, sem intervenção de qualquer pessoa alheia ao caso”, informou o BB.

“A decisão de pôr fim às demandas foi tomada respeitando rigorosamente os critérios técnicos e a governança da empresa, eliminando riscos jurídicos e financeiros próprios de processos na situação jurídica em que se encontravam”, acrescentou o Banco.

Mais Lidas

1

Astro de Hollywood cancela turnê após "piada" sobre atentado a Trump

Visualizar notícia
2

"Tiros mostram qual é a alternativa à democracia constitucional"

Visualizar notícia
3

PT não acredita que Trump sofreu um atentado?

Visualizar notícia
4

Exclusivo: Após lobby, clã Bolsonaro cria ‘startup’ para explorar grafeno

Visualizar notícia
5

Janones promete seguir "chafurdando na lama"

Visualizar notícia
6

A receita para denunciar desafetos do STF

Visualizar notícia
7

China bane maior aplicativo católico do mundo

Visualizar notícia
8

Mercado repercute Lula e Trump

Visualizar notícia
9

Human Rights Watch finalmente reconhece centenas de crimes de guerra do Hamas

Visualizar notícia
10

Temperaturas vão subir em pleno inverno

Visualizar notícia

< Notícia Anterior

Crusoé: O cristianismo não é contra as mulheres

21.06.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

O carro mais vendido na primeira quinzena de junho tem nome, e é HB20

21.06.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Wilson Lima

Wilson Lima é jornalista formado pela Universidade Federal do Maranhão. Trabalhou em veículos como Agência Estado, Portal iG, Congresso em Foco, Gazeta do Povo e IstoÉ. Acompanha o poder em Brasília desde 2012, tendo participado das coberturas do julgamento do mensalão, da operação Lava Jato e do impeachment de Dilma Rousseff. Em 2019, revelou a compra de lagostas por ministros do STF.

Suas redes

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

Corregedoria afasta desembargador do TJ-PR após polêmica

Corregedoria afasta desembargador do TJ-PR após polêmica

17.07.2024 13:24 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Empresário é encontrado morto e amarrado na garagem de casa em SP

Empresário é encontrado morto e amarrado na garagem de casa em SP

17.07.2024 13:10 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Flamengo tem sequência de jogos para disparar no Brasileirão

Flamengo tem sequência de jogos para disparar no Brasileirão

17.07.2024 13:10 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
CadÚnico: saiba como receber programas sociais do Governo Federal

CadÚnico: saiba como receber programas sociais do Governo Federal

17.07.2024 12:15 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.