O Antagonista

Associação denuncia erros graves em dados sobre população trans no Brasil

avatar
Alexandre Borges
3 minutos de leitura 30.01.2024 06:59 comentários
Brasil

Associação denuncia erros graves em dados sobre população trans no Brasil

Novo relatório da MATRIA aponta falhas em estatísticas sobre população trans no país

avatar
Alexandre Borges
3 minutos de leitura 30.01.2024 06:59 comentários 0
Associação denuncia erros graves em dados sobre população trans no Brasil
Reprodução

O relatório divulgado pela MATRIA (Mulheres Associadas Mães e Trabalhadoras do Brasil) traz sérias acusações sobre os dados relacionados à população trans do Brasil.

A associação, focada na promoção e proteção dos direitos humanos das mulheres e crianças, identificou discrepâncias importantes nos números que servem como base para políticas públicas e decisões judiciais.

De acordo com o relatório, afirmações como “o Brasil é o país que mais mata pessoas trans” e que “a expectativa de vida de pessoas trans é de 35 anos” se baseiam em dados que incluem mortes naturais e indivíduos ainda vivos. A contabilização falha e a metodologia enviesada por trás desses números causam erros graves no debate público do país, com consequências muito perniciosas para o país.

Entre os principais problemas identificados pelo relatório estão a falta de dados oficiais do governo sobre a população trans e a utilização inadequada de números absolutos de assassinatos como indicador de violência. O relatório também critica a maneira como os dados são coletados e processados, apontando para referências circulares e a falta de uma metodologia confiável.

A informação que a expectativa de vida da população trans é de apenas 35 anos é desmentida no relatório. Esse dado, segundo o estudo, representa apenas a idade média das pessoas trans falecidas nos dados analisados, e não uma expectativa de vida real, que é difícil de determinar devido à natureza fluida da identidade de gênero.

O relatório da MATRIA também critica a maneira como esses dados são frequentemente usados ​​na mídia e por figuras públicas, sem o devido escrutínio ou verificação. Um exemplo citado é o do ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, que usou esses números como parte da fundamentação de decisões.

Além de apontar falhas nos dados, o relatório da MATRIA também destaca o impacto negativo que a desinformação pode ter sobre a própria população trans, especialmente jovens. O medo e a ansiedade gerados por um cenário de extrema vulnerabilidade, que não corresponde à realidade, são preocupações adicionais mencionadas.

O documento completo, juntamente com mais informações sobre as descobertas da MATRIA, pode ser acessado através do link fornecido pela associação.

Brasil

Tragédia em Goiás: Detalhes sobre morte do pequeno Luan Henrique

23.02.2024 08:33 3 minutos de leitura
Visualizar

Nova Zelândia avalia reforma da base na Antártica devido a problemas orçamentários

Visualizar

Inscrições Abertas: Concurso Polícia Penal PR oferece salário de R$ 4.5 mil

Visualizar

Quem falou à PF e quem calou sobre a trama golpista

Visualizar

Crusoé: Lula contra o mundo livre

Visualizar

Recopa: Fluminense leva gol no fim e perde 1° jogo da final para a LDU

Visualizar

< Notícia Anterior

Reajuste na tabela do IRPF visando acomodar ganho real do salário mínimo

30.01.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Bolsa Família: saiba mais sobre o pagamento da parcela de janeiro e as novas regras

30.01.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Alexandre Borges

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (1)

saul simoes junior

2024-01-30 07:24:02

Voto do jurista do frango com polenta usa dados obtidos no frango com polenta, sempre foi assim, qual é a novidade!


Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

Tragédia em Goiás: Detalhes sobre morte do pequeno Luan Henrique

Tragédia em Goiás: Detalhes sobre morte do pequeno Luan Henrique

23.02.2024 08:33 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Inscrições Abertas: Concurso Polícia Penal PR oferece salário de R$ 4.5 mil

Inscrições Abertas: Concurso Polícia Penal PR oferece salário de R$ 4.5 mil

23.02.2024 08:25 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Quem falou à PF e quem calou sobre a trama golpista

Quem falou à PF e quem calou sobre a trama golpista

23.02.2024 08:18 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Crusoé: Lula contra o mundo livre

Crusoé: Lula contra o mundo livre

23.02.2024 08:02 2 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.