Alcolumbre: a velha política travestida de novidade Alcolumbre: a velha política travestida de novidade
O Antagonista

Alcolumbre: a velha política travestida de novidade

avatar
Redação O Antagonista
3 minutos de leitura 25.12.2019 13:30 comentários
Brasil

Alcolumbre: a velha política travestida de novidade

Davi Alcolumbre virou presidente do Senado como o anti-Renan Calheiros, na eleição mais vexaminosa da história da casa, com direito a gritaria, gente tirando pasta das mãos do outro e roubo na votação (o culpado, obviamente, permaneceu impune). Mas o que se viu é que Alcolumbre não é muito diferente do cacique alagoano, expoente da  chamada velha política. Dois meses depois de virar presidente da Casa, ele delegou...

avatar
Redação O Antagonista
3 minutos de leitura 25.12.2019 13:30 comentários 0
Alcolumbre: a velha política travestida de novidade
Davi Alcolumbre

Davi Alcolumbre virou presidente do Senado como o anti-Renan Calheiros, na eleição mais vexaminosa da história da casa, com direito a gritaria, gente tirando pasta do outro e fraude em votação (o culpado, obviamente, permaneceu impune).

Mas o que se viu é que Alcolumbre não é muito diferente do cacique alagoano, expoente da  chamada velha política.

Dois meses depois de virar presidente da Casa, ele delegou aos senadores o direito de tornar secretas as notas fiscais de gastos realizados com a verba indenizatória de gabinete.

No Senado, teve pressa para aprovar a Lei de Abuso de Autoridade, projeto com o objetivo claro de minar a Lava Jato.

Sem votação na CCJ, sem apreciação de emendas, sem realização de audiência pública, sem requerimento de urgência, sem nada, Alcolumbre pautou o projeto diretamente no plenário, e não se deu ao trabalho de explicar o motivo da correria.

Não houve a mesma dedicação na aprovação da reforma da Previdência.

Em setembro, o presidente do Senado adiou a votação do primeiro turno da reforma na Casa. Ao mesmo tempo, antecipou uma sessão conjunta no Congresso para derrubar parte dos vetos que Jair Bolsonaro aplicara à Lei do Abuso de Autoridade.

Também barrou a CPI da Lava Toga e descartou qualquer possibilidade de votar os impeachments de Gilmar Mendes e Dias Toffoli.

Em entrevista, disse ficar “envergonhado” de discutir processo de impeachment de ministros do STF ou a instalação de uma CPI “enquanto os brasileiros estão pensando em empregos e comida”.

Em setembro, atuou para convencer senadores a retirarem apoio à terceira tentativa de criação da CPI.

Não vou criar discórdia no Brasil”, afirmou.

Como resultado, virou alvo de manifestantes pró-Lava Toga.

Com o vazamento das mensagens roubadas da Lava Jato, Alcolumbre atacou Sergio Moro, e disse: “Se isso fosse deputado ou senador, tava no Conselho de Ética, tava cassado ou tava preso.

O comentário foi no mínimo inusitado, já que Alcolumbre, à época, era duplamente investigado no STF por supostas fraudes cometidas nas eleições de 2014, como mostrou reportagem da Crusoé.

Em novembro, o presidente do Senado soltou a balela que apoiaria uma nova Assembleia Constituinte. Disse, inclusive, que já havia procurado líderes partidários para discutir sobre a possibilidade de uma nova Constituição.

A declaração, claro, não pegou bem.

As movimentações de Alcolumbre vêm agradando muito a Renan Calheiros, que chegou a fazer elogios públicos ao presidente do Congresso. Davi e Golias ficaram amiguinhos.

Alcolumbre é a velha política travestida de novidade.

Mundo

Crusoé: a pergunta que constrange todos os candidatos nas eleições no México

Caio Mattos, Da Cidade do México
29.05.2024 22:38 3 minutos de leitura
Visualizar

Triton: o novo submarino que vai levar dois milionários ao Titanic

Visualizar

Moraes libera últimos dois presos da cúpula da PMDF do 8/1

Visualizar

Robô frequenta escola no lugar de menino doente. Veja vídeo

Visualizar

Jaguatirica morre atropelada na SP-123

Visualizar

Chegou o imposto ‘do bem’

Visualizar

Tags relacionadas

acordão Assembleia Constituinte CPI da Lava Toga Davi Alcolumbre Dias Toffoli Gilmar Mendes Lei de Abuso de Autoridade Renan Calheiros retrospectiva 2019 Senado
< Notícia Anterior

Exoneração de ex-presidente da Ancine sai mais de um mês após renúncia

25.12.2019 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

"O presidente mostra mais uma vez a falta de sintonia com o ministro Moro"

25.12.2019 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Redação O Antagonista

Suas redes

Instagram

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

Moraes libera últimos dois presos da cúpula da PMDF do 8/1

Moraes libera últimos dois presos da cúpula da PMDF do 8/1

29.05.2024 21:25 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Jaguatirica morre atropelada na SP-123

Jaguatirica morre atropelada na SP-123

29.05.2024 20:58 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Enchentes em Porto Alegre: Estapar nega ressarcimento a veículos

Enchentes em Porto Alegre: Estapar nega ressarcimento a veículos

29.05.2024 20:54 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Boulos, o mais rejeitado em São Paulo

Boulos, o mais rejeitado em São Paulo

29.05.2024 20:47 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.