O Antagonista

PL do aborto: ao acenar para oposição, Lira tirou o PT das cordas

avatar
Wilson Lima
3 minutos de leitura 14.06.2024 19:11 comentários
Análise

PL do aborto: ao acenar para oposição, Lira tirou o PT das cordas

Ao fazer acenos para a bancada evangélica da Câmara, Lira deu uma pauta ao PT para chamar de sua. Era o que Lula precisava

avatar
Wilson Lima
3 minutos de leitura 14.06.2024 19:11 comentários 0
PL do aborto: ao acenar para oposição, Lira tirou o PT das cordas
Sequência de imagens com o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), com a mão no rosto. Foto: Lula Marques/ Agência Brasil

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), cometeu um erro político primário ao topar pautar a urgência do PL que equipara o aborto depois da vigésima segunda semana de gestação ao crime de homicídio.

Um erro primário com “E” maiúsculo.

Ao fazer acenos para a bancada evangélica da Câmara, Lira queria garantir, de forma antecipada, os votos dos deputados mais reacionários ao seu sucessor no cargo. A tendência é que Lira endosse a candidatura de Elmar Nascimento (União-BA), parlamentar que não é lá o mais popular entre os seus respectivos colegas.

De quebra, o deputado alagoano também pretendia dar outro recado ao PT e ao Palácio do Planalto: quem manda na pauta do Câmara é ele e seus deputados. Até mesmo em pautas consideradas extremamente controversas.

Lira deu com os burros n’água.

A reação da sociedade veio a galope. Obviamente que não se pode dizer que os protestos de 30, 40 gatos-pingados na Paulista, na Esplanada dos Ministérios ou no centro de Florianópolis representam o pensamento do brasileiro médio. Mas é um indicativo de que mudanças na lei sobre o aborto não podem acontecer de afogadilho, simplesmente porque três dezenas de deputados tiveram alguma ideia “iluminada” com base em seus achismos cristãos.

Qual foi o erro de Lira?

Ao pautar a urgência da proposta, Lira tirou o PT das cordas. Há aproximadamente três semanas, o Palácio do Planalto vinha sofrendo derrotas sucessivas no Congresso Nacional. Saidinhas de presos, fake news, uso de recursos da União para combater pautas conservadoras, devolução de trechos da MP sobre créditos de PIS/Cofins… a sensação, até terça-feira última, era que o governo estava à beira de um impeachment. Bastava Lula tensionar ainda mais a sua já desgastada relação com deputados e senadores e pronto: Lula teria o mesmo destino de sua antecessora, Dilma Rousseff.

Lira agora teve que recuar. Percebeu que nem ele, nem a Câmara, podem tudo. E o governo Lula, que de bobo não tem nada, busca retomar a narrativa. Nesta sexta-feira, o ministro de Relações Institucionais, Alexandre Padilha, inimigo de Lira, veio a público criticar a iniciativa do presidente da Câmara. Ou seja, ao cometer esse erro, o parlamentar deu ao PT uma pauta para chamar de sua. Uma pauta com apelo e que desperta paixões. Tudo que os petistas queriam.

E eles devem agradecer a um único nome: Arthur Lira.

Mais Lidas

1

Justiça e políticos precisam decidir o que farão com Jair Bolsonaro

Visualizar notícia
2

Ministro 'Taxadd': os melhores memes de filmes

Visualizar notícia
3

Homem armado é detido perto de convenção com Trump

Visualizar notícia
4

Exclusivo: Após lobby, clã Bolsonaro cria ‘startup’ para explorar grafeno

Visualizar notícia
5

Crusoé: vídeo vazado sugere aproximação entre Trump e 3º candidato

Visualizar notícia
6

China bane maior aplicativo católico do mundo

Visualizar notícia
7

Janones promete seguir "chafurdando na lama"

Visualizar notícia
8

Musk mobiliza Vale do Silício para apoiar Trump

Visualizar notícia
9

"Tiros mostram qual é a alternativa à democracia constitucional"

Visualizar notícia
10

Ex-rivais apoiam Trump e pedem união

Visualizar notícia

Tags relacionadas

aborto no Brasil Arthur Lira Câmara dos Deputados
< Notícia Anterior

Incêndio devasta patrimônio histórico em Petrópolis

14.06.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Idoso internado com hemorroida tem vesícula retirada por engano

14.06.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Wilson Lima

Wilson Lima é jornalista formado pela Universidade Federal do Maranhão. Trabalhou em veículos como Agência Estado, Portal iG, Congresso em Foco, Gazeta do Povo e IstoÉ. Acompanha o poder em Brasília desde 2012, tendo participado das coberturas do julgamento do mensalão, da operação Lava Jato e do impeachment de Dilma Rousseff. Em 2019, revelou a compra de lagostas por ministros do STF.

Suas redes

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

O desafio da Audi na Fórmula 1

O desafio da Audi na Fórmula 1

José Inácio Pilar
16.07.2024 11:00 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Wokismo tropical: transativismo transforma crianças em cobaias

Wokismo tropical: transativismo transforma crianças em cobaias

Catarina Rochamonte
16.07.2024 09:53 8 minutos de leitura
Visualizar notícia
Disputa pela Câmara ganha contornos de eleição indireta à Presidência

Disputa pela Câmara ganha contornos de eleição indireta à Presidência

Wilson Lima
16.07.2024 07:04 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Da facada ao tiro: os estímulos por trás da violência política

Da facada ao tiro: os estímulos por trás da violência política

Felipe Moura Brasil
15.07.2024 17:10 9 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.