O Antagonista

O constrangedor arroz estatal

avatar
Rodolfo Borges
4 minutos de leitura 19.06.2024 17:37 comentários
Análise

O constrangedor arroz estatal

Ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro passou quatro dolorosas horas na Câmara tentando explicar o inexplicável leilão de arroz anulado pelo governo Lula

avatar
Rodolfo Borges
4 minutos de leitura 19.06.2024 17:37 comentários 0
O constrangedor arroz estatal
Foto: Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados

Foi constrangedor. O ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro (foto), compareceu à Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara nesta quarta-feira, 19, para explicar o desastrado leilão de arroz estatal do governo Lula.

Fávaro, que é o representante do agronegócio no governo Lula, sacou do bolso uma alegação de que o Palácio do Planalto reagiu a um “ataque especulativo” ao anunciar a importação de arroz estrangeiro. Isso não justifica, entre outras coisas, a propaganda que o governo fez do arroz que nem sequer chegou a comprar, porque foi forçado a cancelar o leilão após suspeitas de irregularidades.

Ao longo de quatro dolorosas horas, o ministro foi confrontado por deputados da oposição com a evidência de que não há justificativa para a importação do arroz, da qual o governo Lula ainda não desistiu, segundo o ministro. “A Conab realmente é reguladora de estoque, mas, neste caso, é uma coisa que cheira mal. Parem com isso, por favor”, pediu o deputado Alceu Moreira (MDB-RS).

E o Rio Grande do Sul?

Moreira foi um dos vários deputados a destacar que a medida provisória utilizada pelo governo para a importação do arroz determina que os recursos envolvidos devem ser utilizados no Rio Grande do Sul, cujas enchentes foram usadas pelo Planalto para justificar o leilão. Agora, contudo, o governo diz que a compra de 1 milhão de toneladas a 7,2 bilhões de reias se justifica pela regulação de preço no Brasil inteiro.

Coube a Marcel van Hattem (Novo-RS) lembrar outro detalhe relevante e curioso dessa história: Lula falava desde janeiro sobre a importação de arroz. Fávaro confirmou a informação e disse que, naquela época, o governo analisou que não seria necessário fazer a compra nem derrubar a taxa de importação. Esse contexto reforça as suspeitas sobre oportunismo do governo Lula na tragédia.

Inexplicável

Durante suas explicações, o ministro admitiu que, apesar do desastre das chuvas, a safra de arroz deste ano será 4,5% maior que a de 2023, o que espanta qualquer risco de desabastecimento. Mas mencionou um aumento de 30% no preço do arroz, que atribuiu a um “ataque especulativo” — foi contraditado com o fato de que esse aumento não ocorreu como consequência das enchentes, mas progressivamente, desde a metade do ano passado, por questões cambiais de do mercado internacional.

Fávaro também sugeriu que as empresas brasileiras da área boicotaram o leilão, e, por isso, alguns dos lotes foram parar nas mãos de companhias que nada têm a ver com venda de arroz, como expôs reportagem de Crusoé. O ministro se arriscou, contudo, a defender uma sorveteria que participou do leilão:

“Não quero fazer defesa de nenhuma, mas não se trata só disso [de uma sorveteria], parece que é uma empresa que tem uma boa expertise em produtos congelados, polpas de fruta, e até onde eu soube, tinha se preparado financeiramente com bancos para dar o suporte para que a operação se realizasse dentro da perfeição”.

“Não me parecem tão aptas a operar”

Na sequência, o ministro reconheceu que as outras empresas que arremataram lotes “não me parecem tão aptas a operar”. Fávaro também admitiu que não são necessárias as marcas do governo federal e dos ministério da Agricultura e do Desenvolvimento Agrário no arroz estatal, mas apenas a da Conab, e disse que está trabalhando para fazer esse ajuste no próximo edital de compra.

O ministro também não soube explicar direito a demissão de Neri Geller da Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura e Pecuária. Em audiência realizada na mesma comissão da Câmara na terça-feira, 18, Geller disse que a decisão de fazer o leilão de arroz foi da Casa Civil. Nesta quarta, Fávaro atribuiu a decisão ao governo, de forma genérica.

O governo é Lula.

Mais Lidas

1

Haddad descobre uma das únicas coisas que funcionam no Brasil, o meme

Visualizar notícia
2

Biden ironiza diagnóstico de covid-19 para criticar Musk

Visualizar notícia
3

Gleisi relativiza atentado a Trump

Visualizar notícia
4

A confissão de Janones sobre "chafurdar na lama"

Visualizar notícia
5

Atirador avisou: "13 de julho será minha estreia"

Visualizar notícia
6

Os malabarismos no caso Moraes

Visualizar notícia
7

Crusoé: Líderes democratas no Congresso pediram a Biden que desistisse, diz imprensa

Visualizar notícia
8

ONG anti-Israel admite crimes de guerra do Hamas

Visualizar notícia
9

Corina acusa Maduro de raptar chefe de segurança

Visualizar notícia
10

Em discurso emocional, JD Vance defende trabalhadores americanos

Visualizar notícia

Tags relacionadas

arroz Carlos Fávaro enchentes governo Lula Lula Rio Grande do Sul
< Notícia Anterior

Cantor Chrystian, que fez dupla com Ralf, é internado em São Paulo

19.06.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Mbappé treina com proteção no nariz pela seleção francesa

19.06.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Rodolfo Borges

Rodolfo Borges é jornalista formado pela Universidade de Brasília (UnB). Trabalhou em veículos como Correio Braziliense, Istoé Dinheiro, portal R7 e El País Brasil.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

Blindagem de Flávio é mais um pum de Bolsonaro que ele não soltou

Blindagem de Flávio é mais um pum de Bolsonaro que ele não soltou

Ricardo Kertzman
17.07.2024 17:01 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Lula e as idiolulices sem fim

Lula e as idiolulices sem fim

Rodrigo Oliveira
17.07.2024 16:09 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
A receita para denunciar desafetos do STF

A receita para denunciar desafetos do STF

Felipe Moura Brasil
17.07.2024 11:30 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
O desafio da Audi na Fórmula 1

O desafio da Audi na Fórmula 1

José Inácio Pilar
16.07.2024 11:00 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.