Não esculhambem o Brasileirão Não esculhambem o Brasileirão
O Antagonista

Não esculhambem o Brasileirão

avatar
Rodolfo Borges
4 minutos de leitura 24.04.2024 10:04 comentários
Análise

Não esculhambem o Brasileirão

Não faz sentido falar em parar o Campeonato Brasileiro. O futebol nacional já tem problemas demais para se prestar a intrigas políticas

avatar
Rodolfo Borges
4 minutos de leitura 24.04.2024 10:04 comentários 0
Não esculhambem o Brasileirão
Foto: Roque de Sá/Agência Senado

A inexpressiva Associação Nacional dos Árbitros de Futebol (Anaf) divulgou nota na terça-feira, 23, para defender a paralisação do Campeonato Brasileiro. O texto é confuso, mistura tudo e surfa numa onda torta gerada pelas frágeis denúncias de manipulação do dono do Botafogo, John Textor (à esquerda na foto).

O presidente da CPI da Manipulação de Jogos e Apostas Esportivas, senador Jorge Kajuru (PSB-GO, ao centro na foto), surfa a mesma onda, o que é um péssimo sinal sobre os trabalhos de uma comissão que claramente busca uma razão para existir.

A Câmara dos Deputados encerrou há poucos meses os trabalhos de uma CPI sobre o mesmo assunto, que não acrescentou nada às eficientes investigações do Ministério Público de Goiás sobre manipulação de jogos no Brasil.

Penalidade máxima

A Operação Penalidade Máxima teve duas fases, denunciou 16 pessoas e eliminou do futebol brasileiro quatro jogadores — eles não foram banidos, o que significa que poderão voltar a jogar profissionalmente em algum momento, caso a Justiça assim decida.

A proliferação de sites de aposta esportiva, que patrocinam a maioria dos clubes de futebol brasileiros e que até o presidente da CPI no Senado promove, mantém aquecido o debate sobre a manipulação de resultados, alimentado também pela péssima qualidade da arbitragem brasileira.

É nesse ambiente que a nota divulgada pelo presidente da Anaf, Salmo Valentim, surge para tumultuar ainda mais a questão. A associação é mais antiga que a Associação de Árbitros de Futebol do Brasil (Abrafut), tem prerrogativas Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), mas os principais árbitros do país fazem parte da Abrafut.

Ednaldo na mira

O alvo da Anaf é o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ednaldo Rodrigues, de cuja permanência no cargo o Supremo Tribunal Federal (STF) se encarrega no momento. Valentim diz que o Brasileirão “está em xeque após acusações de Textor que colocam o VAR sob suspeição”. Não está.

O presidente da Anaf disse que tem recebido “inúmeros telefonemas de árbitros insatisfeitos e já há um volumoso grupo que deseja, em protesto ao que está ocorrendo, interromper o campeonato brasileiro já nas próximas rodadas“. Mas sua reclamação só encontrou eco até agora em Kajuru.

Na sequência da nota, vem o que parece ser sua real motivação: “Tudo isso ocorre graças a um show de horrores onde o protagonista principal é o ex-afastado presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, que anda mais preocupado com o seu volumoso salário na entidade, do que, por exemplo, em pagar as ÁRBITRAS que estão trabalhando de graça para a CBF”.

Sem dinheiro

Segundo Valentim, “desde o ano passado, a arbitragem feminina atua sem receber em diversos torneios femininos nacionais”. “Isso mostra bem o retrocesso que sua gestão causa ao futebol e à arbitragem brasileira”, completa. Quem também não tem recebido da CBF é a própria Anaf, cujo repasse mensal de 30 mil reais foi interrompido, informa o Uol.

Há algumas semanas, o alvo do presidente da Anaf era outro: John Textor. Em nota divulgada em 8 de março, a associação dizia o seguinte:

“Se John Textor não provar o que disse, ele tem que ser banido do futebol brasileiro! Não há outro caminho e, diante do que ele disse, as instituições precisam agir. É inaceitável que um dirigente responsável por um dos mais importantes clubes do futebol nacional tome uma atitude pequena e lamentável como essa”.

Sem provas

Até agora, Textor não provou nada, e ainda levantou suspeita sobre a arbitragem do país, também sem apresentar provas — os indícios foram exibidos em reunião secreta na CPI das Apostas, e os senadores fizeram algum esforço retórico para não descartá-los logo, dizendo que o que Textor mostrou justifica apuração.

A Operação Penalidade Máxima não apontou o envolvimento de nenhum árbitro em esquema de manipulação no Brasil. Até que isso ocorra, não faz sentido falar em parar o campeonato. O futebol brasileiro já tem problemas demais para se prestar a intrigas políticas.

Mundo

Turista é feita “refém” em hospital turco por não pagar a conta

28.05.2024 22:43 3 minutos de leitura
Visualizar

Luciano Camargo confirma nova fase gospel e revela motivo

Visualizar

Câmara aprova 'PL das blusinhas da Shein' e taxa importados de até US$ 50 em 20%

Visualizar

Série baseada no filme Cidade de Deus estreia em agosto

Visualizar

Até Maria do Rosário e Tabata votaram contra Lula por fim das saidinhas

Visualizar

Acabou a festa das blusinhas e das "bugigangas"

Carlos Graieb Visualizar

Tags relacionadas

Campeonato Brasileiro CPI das Apostas esportivas futebol John Textor Jorge Kajuru Romário Senado
< Notícia Anterior

Concurso INSS 2024: o que esperar desta oportunidade?

24.04.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Crusoé: "Lula está me perseguindo", diz Shellenberger

24.04.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Rodolfo Borges

Rodolfo Borges é jornalista formado pela Universidade de Brasília (UnB). Trabalhou em veículos como Correio Braziliense, Istoé Dinheiro, portal R7 e El País Brasil.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

Acabou a festa das blusinhas e das "bugigangas"

Acabou a festa das blusinhas e das "bugigangas"

Carlos Graieb
28.05.2024 21:20 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Conmebol acata pedido e Gabigol vai usar 99 na libertadores

Conmebol acata pedido e Gabigol vai usar 99 na libertadores

28.05.2024 20:47 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Santos desiste de Marcelo Grohe

Santos desiste de Marcelo Grohe

28.05.2024 20:00 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Amistoso Brasil e México tem data marcada

Amistoso Brasil e México tem data marcada

28.05.2024 19:31 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.