Um conselho a André Mendonça Um conselho a André Mendonça
O Antagonista

Um conselho a André Mendonça

avatar
André Marsiglia Santos
3 minutos de leitura 04.12.2021 15:00 comentários
Opinião

Um conselho a André Mendonça

O medo da maior parte das pessoas com Bolsonaro emplacar no STF um ministro “terrivelmente evangélico” é que André Mendonça, ao se deixar adjetivar dessa forma, coloque em risco a laicidade do Poder Judiciário. Não tenho esse medo. Não me importo com o adjetivo atribuído a ele...

avatar
André Marsiglia Santos
3 minutos de leitura 04.12.2021 15:00 comentários 0
Um conselho a André Mendonça
Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

O medo da maior parte das pessoas com Bolsonaro emplacar no STF um ministro “terrivelmente evangélico” é que André Mendonça, ao se deixar adjetivar dessa forma, coloque em risco a laicidade do Poder Judiciário.

Não tenho esse medo. Não me importo com o adjetivo atribuído a ele, mas com o advérbio. O problema é ser escolhido como alguém que é terrivelmente alguma coisa, seja qual for.

Meu incômodo gramatical pode parecer uma preocupação tola, mas não é. De todas as classes de palavras da língua portuguesa, os advérbios são os mais traiçoeiros: deslizam pela frase, modificam o sentido, tonteiam o leitor. Nada disso ocorre com adjetivos, sempre dependentes e acessórios do substantivo.

Não há mal nenhum em um ministro ser evangélico; há tantos que são e foram ligados a religiões e nada disso os fez melhores ou piores. Ministros têm religião, time de futebol, preferências culinárias. São seres humanos como nós, embora nem sempre assim se enxerguem.

Também não há mal nenhum em ser a indicação de Bolsonaro destinada especificamente a um evangélico. Se o exercício da magistratura não pode ser político, a indicação de um magistrado pelo presidente – falemos a verdade –  sempre é, e isso não começou nesse governo. Para Bolsonaro, é essencial fazer política com sua base aliada de evangélicos, faz parte do jogo.

Portanto, nessa história toda não é descabido Bolsonaro escolher um evangélico ou ele aceitar assim ser adjetivado, o descabido é ele ser terrivelmente algo.

Um julgador –evangélico ou não – precisa aplicar ao caso concreto a justa medida de forma equilibrada, como há tantos e tantos séculos já recomendava Aristóteles em suas lições de Ética sobre a arte de decidir. E ninguém será capaz de alcançar o necessário equilíbrio agindo terrivelmente.

O novo ministro, no exercício de seu cargo, não precisa disfarçar suas crenças, não precisa deixar de ser evangélico, pois sua religião faz parte de sua cultura, e é também investido dela que um juiz examina um caso.

Meu conselho, André Mendonça, se me permite, é: se afaste do advérbio. Fuja dele. Enquanto juiz, corra dessa traiçoeira classe de palavras, e não seja terrivelmente nada. Do contrário, os adjetivos que o povo e a imprensa lhe darão não serão dos melhores.

André Marsiglia é advogado especialista em Liberdades e colunista n’O Antagonista.

Siga no Twitter:  @marsiglia_andre

Brasil

Será a volta do Starbucks?

12.04.2024 11:04 3 minutos de leitura
Visualizar

Concurso Itapajé Saúde: 97 vagas disponíveis salário de até R$ 10.3 mil

Visualizar

Negociações avançam para dona do Burger King comprar Starbucks no Brasil

Visualizar

Crise financeira nos Municípios: o impacto previdenciário

Visualizar

Onde assistir Lazio x Salernitana: confira detalhes da partida

Visualizar

Bélgica investiga interferência russa nas eleições europeias

Visualizar

Tags relacionadas

advérbio André Marsiglia Santos André Mendonça evangélico terrivelmente evangélico
< Notícia Anterior

Decisão sobre Réveillon ainda será tomada, diz governador do RJ

04.12.2021 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Procon multa Facebook em R$ 11 milhões por apagão

04.12.2021 00:00 4 minutos de leitura
avatar

André Marsiglia Santos

André Marsiglia Santos é advogado constitucionalista especializado em liberdades de expressão e de imprensa. Membro da Comissão de Liberdade de Imprensa da OAB-SP, e da Comissão de Mídia e Entretenimento do Instituto dos Advogados de São Paulo (IASP), Consultor Jurídico da Associação Nacional de Editores (ANER) e membro da 4ª câmara de julgamento do Conselho de Ética do CONAR. Idealizador da L+: Speech and Press e sócio do Lourival J Santos Advogados.

Suas redes

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

Conheça o Chiquinho Brazão do passado: Talvane Albuquerque

Conheça o Chiquinho Brazão do passado: Talvane Albuquerque

11.04.2024 19:16 4 minutos de leitura
Visualizar notícia
DPVAT: você sabe quando os políticos vão bater sua carteira?

DPVAT: você sabe quando os políticos vão bater sua carteira?

Madeleine Lacsko
10.04.2024 19:05 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Lula fica mais evangélico e Michelle fica mais política

Lula fica mais evangélico e Michelle fica mais política

Madeleine Lacsko
09.04.2024 18:47 4 minutos de leitura
Visualizar notícia
Elon x Xandão: a briga está só começando

Elon x Xandão: a briga está só começando

Madeleine Lacsko
08.04.2024 18:09 4 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.