O Antagonista

O que querem jornalistas que pedem censura?

avatar
André Marsiglia Santos
3 minutos de leitura 22.01.2022 17:15 comentários
Opinião

O que querem jornalistas que pedem censura?

Uma carta assinada por cerca de duzentos jornalistas pedindo que a Folha de S.Paulo não concedesse mais espaço a ideias consideradas racistas foi divulgada na última quarta-feira. O jornal respondeu defendendo sua liberdade editorial e o imbróglio se fez.    Não entendo que a defesa pura e simples de uma ideia, desenvolvida com...

avatar
André Marsiglia Santos
3 minutos de leitura 22.01.2022 17:15 comentários 0
O que querem jornalistas que pedem censura?
Foto: brotiN biswaS/Pexels

Uma carta assinada por cerca de duzentos jornalistas pedindo que a Folha de S.Paulo não concedesse mais espaço a ideias consideradas racistas foi divulgada na última quarta-feira. O jornal respondeu defendendo sua liberdade editorial e o imbróglio se fez.   

Não entendo que a defesa pura e simples de uma ideia, desenvolvida com argumentos válidos, possa ser racismo. O racismo geralmente é avesso à via intelectual. Assim como é avesso à via intelectual uma carta que sirva não para pedir o diálogo, mas o silêncio.

Uma carta assim é escondidamente um ato de censura, ou de autocensura, afinal um jornalista desejar que outro não fale será sempre um bumerangue a lhe voltar à testa mais ou menos tarde.

O ponto que me incomoda nessa história toda e que escapou aos que analisaram a carta: o que leva jornalistas a pedirem censura?

É realmente difícil entender um país como o nosso. Com uma história toda entrecortada por autoritarismos e repúblicas de ocasião, a censura nos soa familiar, como um parente que vai ficando em casa, se ajeita no nosso sofá, bebe de nossa cerveja, urina de porta aberta.

Além disso, a censura não é um conceito fácil: habitou tanto a obra de Platão e Rousseau como o cassetete de soldados toscos e a toga de algumas excelências duvidosas. Hoje em dia, é tão hábil que faz crer a alguns ser possível existir uma censura do bem.

Talvez um dos primeiros a cultivar essa ideia tenha sido Owen Fiss. Partindo do pressuposto de que o debate público vivia de poucas e mesmas ideias, o professor norte-americano, na década de 90, propôs que aquelas que fossem menos visíveis – de minorias vulneráveis – silenciassem as demais, ocupando-lhes o espaço, para equilíbrio do debate.   

O problema é que a censura não é um ato intelectual, mas de poder. E não há equilíbrio possível quando resulta em ideias mortas. Também não há equilíbrio, mas pretensão à hegemonia, em ideias impostas pela força. Na prática, a proposta de Fiss – que é a mesma pretendida pela carta dos jornalistas – desequilibra igualmente o debate, apenas invertendo as peças do tabuleiro.

Fiss estava errado; não se alcança o equilíbrio do debate de ideias pelo poder, pois este despreza a transformação, cobiça a ideia única, o mundo reduzido, para que possa dele melhor se apoderar.

E nada mais triste para uma ideia do que ser solitária. Isolada, se torna incapaz de transformar e ser transformada. Canetti, ao tratar do poder, dizia: onde a ocasião para a transformação é impedida, a expressão se enrijece em uma máscara.

Quem passa a viver é a máscara, não a ideia. Não é esse o mundo em que eu gostaria de estar. Não me parece ser o mundo em que jornalistas sejam bem-vindos.

André Marsiglia é advogado, atua nas áreas de Comunicação e Internet e é colunista n’O Antagonista.

Mais Lidas

1

Agora até Tolkien é "extrema-direita"

Visualizar notícia
2

Musk: "Obrigado, Alex Soros, por revelar quem será o próximo fantoche"

Visualizar notícia
3

O "reizinho" do governo Lula

Visualizar notícia
4

Contingenciamento: o golpe está aí, cai quem quer

Visualizar notícia
5

"JD Vance, não Kamala Harris, representa o sonho americano"

Visualizar notícia
6

Por que o Amapá recebe tanta emenda parlamentar?

Visualizar notícia
7

"Joe Biden desiste da candidatura, mas não da Casa Branca. E agora?"

Visualizar notícia
8

“Unburdened”: O que significa o estranho bordão de Kamala Harris

Visualizar notícia
9

Estados Unidos de Maceió

Visualizar notícia
10

Netanyahu volta aos EUA em busca de apoio contra o terror

Visualizar notícia

Tags relacionadas

André Marsiglia Santos Antonio Risério censura folha
< Notícia Anterior

Busca por testes de Covid quintuplica e atinge novo recorde

22.01.2022 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Alemanha volta a incluir Brasil na lista de alto risco para Covid

22.01.2022 00:00 4 minutos de leitura
avatar

André Marsiglia Santos

André Marsiglia Santos é advogado constitucionalista especializado em liberdades de expressão e de imprensa. Membro da Comissão de Liberdade de Imprensa da OAB-SP, e da Comissão de Mídia e Entretenimento do Instituto dos Advogados de São Paulo (IASP), Consultor Jurídico da Associação Nacional de Editores (ANER) e membro da 4ª câmara de julgamento do Conselho de Ética do CONAR. Idealizador da L+: Speech and Press e sócio do Lourival J Santos Advogados.

Suas redes

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

De tanto patrulhar humorista, esquerda não consegue mais se defender dos memes

De tanto patrulhar humorista, esquerda não consegue mais se defender dos memes

Madeleine Lacsko
19.07.2024 21:29 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Fala machista de Lula não é isolada, mas feministas sempre o perdoam

Fala machista de Lula não é isolada, mas feministas sempre o perdoam

Madeleine Lacsko
18.07.2024 20:15 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Haddad descobre uma das únicas coisas que funcionam no Brasil, o meme

Haddad descobre uma das únicas coisas que funcionam no Brasil, o meme

Madeleine Lacsko
17.07.2024 21:44 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Justiça e políticos precisam decidir o que farão com Jair Bolsonaro

Justiça e políticos precisam decidir o que farão com Jair Bolsonaro

Madeleine Lacsko
16.07.2024 21:44 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.