O Antagonista

Trabalhadores da Coreia do Norte se dizem explorados na China

avatar
Redação O Antagonista
3 minutos de leitura 08.02.2024 19:11 comentários
Mundo

Trabalhadores da Coreia do Norte se dizem explorados na China

Descubra a resistência inédita dos trabalhadores norte-coreanos na China em meio a não pagamentos e condições precárias. Conheça essa luta por justiça e liberdade.

avatar
Redação O Antagonista
3 minutos de leitura 08.02.2024 19:11 comentários 0
Trabalhadores da Coreia do Norte se dizem explorados na China
Fonte: Reprodução / GettyImages

De acordo com um relatório recente, ocorreram tumultos em meio aos trabalhadores norte-coreanos na China, quando descobriram que não seriam pagos e que seus salários haviam sido destinados à produção de armamento para Pyongyang, a capital da Coréia do Norte.

Tais manifestações são praticamente inéditas nesse país altamente controlador, onde o exercício da liberdade de expressão pode resultar em execução.

As denúncias de revoltas, embora ainda não confirmadas, aumentaram a preocupação com o bem-estar dos milhares de norte-coreanos que trabalham no exterior para ganhar dinheiro para o regime escasso de recursos.

A BBC entrevistou um ex-trabalhador norte-coreano na China que alegou que implorava pagamentos atrasados em algumas empresas com desempenho ruim.

Também nos foi apresentado um e-mail de alguém que alega ser um norte-coreano atualmente trabalhando na China, sugerindo o nível de controle exercido sobre os trabalhadores tem aumentado ao longo dos últimos quatro anos.

Trabalho forçado

Segundo este relato, “O estado norte-coreano explora trabalhadores de TI como escravos, fazendo-nos trabalhar seis dias por semana, 12-14 horas por dia”, disse o programador de computador. O pessoal trabalha pela noite para os clientes sediados nos EUA e na Europa, causando privação crônica de sono e muitas doenças.

O total estimado é de cerca de 100 mil norte-coreanos trabalhando no exterior, sendo a maior parte deles empregados em fábricas e canteiros de obras no nordeste da China, geridos pelo governo norte-coreano. Com isso, se estima que ganharam US$740 milhões (aproximadamente R$ 3.9 bilhões) para Pyongyang entre 2017 e 2023.

O dilema do controle

Embora tais protestos não possam ser confirmados de forma independente, já se sabe que existem dezenas de milhares de trabalhadores norte-coreanos no exterior que foram excluídos do país. Os distúrbios em várias fábricas de vestuário administradas pela Coreia do Norte no nordeste da China ocorreram em 11 de janeiro, de acordo com um ex-diplomata norte-coreano com fontes na região que divulgou a notícia à mídia.

Aparentemente, os trabalhadores explodiram quando descobriram que anos de salários não pagos haviam sido transferidos para um fundo de preparação para a guerra em Pyongyang. Ainda não houve uma confirmação oficial dos eventos narrados.

Essa situação evidenciou ainda mais o dilema que a Coréia do Norte enfrenta para decidir como administrar a agitação potencial entre os trabalhadores que não podem retornar ao país. Especialistas e analistas do país têm monitorado de perto a situação.

Brasil

Jornais destacam silêncio de Bolsonaro em depoimento à PF

23.02.2024 07:26 1 minuto de leitura
Visualizar

Censura na Índia: Plataforma X remove conteúdo após protestos agrícolas

Visualizar

Cinco Minutos: Flávio Dino veste a capa do Supremo

Visualizar

Você pode ajudar a encontrar Kaiane, uma das desaparecidas do Brasil

Visualizar

Com dois de Romero, Corinthians vence o Cianorte e avança na Copa do Brasil

Visualizar

Saque do Abono PIS/Pasep 2024: 1,7 milhão de trabalhadores já podem sacar

Visualizar

Tags relacionadas

China Coreia do Norte
< Notícia Anterior

Corinthians tem pior início de Paulistão da história e iguala 1932

08.02.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

União pagará R$ 1,7 mi à família de tesoureiro do PT morto por bolsonarista

08.02.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Redação O Antagonista

Suas redes

Instagram

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

Censura na Índia: Plataforma X remove conteúdo após protestos agrícolas

Censura na Índia: Plataforma X remove conteúdo após protestos agrícolas

23.02.2024 07:19 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Empresa privada dos EUA pousa sonda na Lua

Empresa privada dos EUA pousa sonda na Lua

22.02.2024 21:08 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Porta-voz das FDI lista fatos que desmentem Lula

Porta-voz das FDI lista fatos que desmentem Lula

22.02.2024 20:30 4 minutos de leitura
Visualizar notícia
Biden ameaça Irã com sanções severas se fornecer mísseis à Rússia

Biden ameaça Irã com sanções severas se fornecer mísseis à Rússia

22.02.2024 19:47 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.