Quase metade das cidades chinesas corre risco de afundar Quase metade das cidades chinesas corre risco de afundar
O Antagonista

Quase metade das cidades chinesas corre risco de afundar

avatar
Redação O Antagonista
3 minutos de leitura 06.05.2024 13:55 comentários
Mundo

Quase metade das cidades chinesas corre risco de afundar

Descubra como o afundamento ameaça cidades chinesas e as estratégias eficazes para mitigar este problema urbano crítico.

avatar
Redação O Antagonista
3 minutos de leitura 06.05.2024 13:55 comentários 0
Quase metade das cidades chinesas corre risco de afundar
Getty Images/BBC News Brasil

Estudiosos da revista Science alertam que quase metade das principais cidades da China está experimentando um preocupante fenômeno de afundamento, um problema crescente que coloca em risco a infraestrutura e a segurança dos habitantes. Este afundamento está diretamente ligado à extração intensiva de água subterrânea e ao peso das construções na expansão urbana acelerada.

Como a urbanização intensa acelera o problema?

Com a ascensão meteórica da urbanização nas últimas décadas, a demanda por recursos naturais nas cidades chinesas disparou. No entanto, essa expansão rápida veio com um custo: o aumento do afundamento do solo. Especialmente em áreas costeiras, o fenômeno ameaça milhões de pessoas com potenciais inundações exacerbadas pela elevação do nível do mar.

Curiosamente, cidades como Xangai e Tianjin já enfrentavam esses desafios desde a década de 1920, o que mostra o quão antigo e persistente é o problema. O estudo recente realizado em 82 cidades chinesas constatou que cerca de 45% das áreas urbanas estudadas estão afundando mais de 3 mm por ano, o que é considerado significativo pelos geólogos.

Quais são as principais causas do afundamento do solo urbano na China?

Os cientistas identificam a extração de água subterrânea como a principal causa do afundamento. Mais de 1.600 poços de monitoramento foram associados ao aumento do afundamento, que também é influenciado pela geologia local e pelo peso excessivo das construções. O professor Robert Nicholls, não envolvido no estudo, salienta que as áreas mais afetadas são aquelas com sedimentos geologicamente recentes, que são mais suscetíveis a compactação quando a água é removida.

Existem soluções para mitigar esse fenômeno?

Embora a situação pareça sombria, há estratégias eficazes para combatê-la. O exemplo de Tóquio é notável. A cidade enfrentou um grave problema de afundamento no século 20, mas conseguiu estabilizar o solo através da implementação de leis rigorosas que proibem a extração de água de poços e pela utilização de sistemas modernos de abastecimento de água.

Os pesquisadores sugerem que medidas semelhantes poderiam ser aplicadas nas cidades chinesas, além de considerarem a possibilidade de realocação das áreas mais afetadas, a longo prazo. Prevenir o afundamento futuro e gerenciar o atual requer um esforço conjunto entre governo, cientistas e a comunidade, focando na sustentabilidade e na adaptação às mudanças urbanas e climáticas.

Mundo

Abacaxi Rubyglow: Uma "fruta premium" por 2 mil reais

20.05.2024 11:39 3 minutos de leitura
Visualizar

De mal a pior: veja como estão as perspectivas econômicas

Visualizar

Concurso MinC: analistas tem prova avaliatória adiada

Visualizar

Um juiz de garantias para o STF?

Visualizar

Javier Milei não vai pedir desculpas ao governo espanhol

Visualizar

Susana Vieira conta sobre leucemia aos 81

Visualizar

Tags relacionadas

afogamento China Cidades inundação
< Notícia Anterior

Daniel Alves comemora aniversário entre liberdade e desafios judiciais

06.05.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Pascal, plano Marshall, projeto Manhattan e o clima no Brasil 

06.05.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Redação O Antagonista

Suas redes

Instagram

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

Abacaxi Rubyglow: Uma "fruta premium" por 2 mil reais

Abacaxi Rubyglow: Uma "fruta premium" por 2 mil reais

20.05.2024 11:39 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Javier Milei não vai pedir desculpas ao governo espanhol

Javier Milei não vai pedir desculpas ao governo espanhol

20.05.2024 11:30 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Quem é a chinesa que ultrapassou a Tesla de Elon Musk

Quem é a chinesa que ultrapassou a Tesla de Elon Musk

20.05.2024 10:51 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Crusoé: Lula lamenta morte do "açougueiro de Teerã"

Crusoé: Lula lamenta morte do "açougueiro de Teerã"

20.05.2024 10:33 2 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.