Hong Kong proíbe hino de protesto Hong Kong proíbe hino de protesto
O Antagonista

Hong Kong proíbe hino de protesto

avatar
Redação O Antagonista
3 minutos de leitura 08.05.2024 18:27 comentários
Mundo

Hong Kong proíbe hino de protesto

Hong Kong proíbe hino de protesto, impactando liberdade e tecnologia. Decisão reacende debates sobre direitos.

avatar
Redação O Antagonista
3 minutos de leitura 08.05.2024 18:27 comentários 0
Hong Kong proíbe hino de protesto
Reprodução/X

Em uma decisão controversa, o Tribunal de Apelação de Hong Kong concedeu uma aplicação do governo para proibir um hino de protesto conhecido como “Glória a Hong Kong”, uma reviravolta significativa após uma decisão de um tribunal inferior que havia rejeitado tal proibição devido aos seus possíveis “efeitos assustadores” sobre a liberdade de expressão.

O que significa a proibição do hino de protesto?

A decisão judicial reacendeu o debate sobre a erosão da regra de lei e dos direitos individuais em Hong Kong sob o rigoroso controle de segurança de Pequim. A medida tem vastas implicações para as liberdades na internet e para operações de empresas de tecnologia e operadoras de plataformas de internet.

Implicações para Empresas de Tecnologia e Internet

Os juízes do Tribunal de Apelação, Jeremy Poon, Carlye Chu e Anthea Pang, ressaltaram que o compositor do hino de protesto tinha a intenção de utilizá-lo como uma “arma”. Segundo eles, nas mãos de quem pretende incitar à secessão e à sedição, a canção pode ser usada para despertar sentimentos antiestabelecimento.

A resposta das plataformas de internet

A decisão também afirma que “uma injunção é necessária para persuadir as operadoras de plataformas de internet a removerem os vídeos problemáticos relacionados à canção de suas plataformas.” Mesmo que estas empresas não tenham participado do processo, indicaram que estão prontas para acatar o pedido do governo caso haja uma ordem judicial.

O porta-voz do ministério das relações exteriores da China, Lin Jian, em uma coletiva de imprensa, declarou que “prevenir alguém de usar ou disseminar a canção relevante… é uma medida legítima e necessária por parte de Hong Kong para cumprir sua responsabilidade de salvaguardar a segurança nacional”.

Resposta Internacional

A decisão foi criticada em nível internacional, com alegações de que é “o mais recente golpe na reputação internacional de uma cidade que anteriormente orgulhava-se de ter um judiciário independente protegendo a livre troca de informações, ideias e bens,” disse Matthew Miller, porta-voz do departamento de estado dos EUA.

Hong Kong foi devolvida ao domínio chinês em 1997 com a garantia de que suas liberdades seriam preservadas sob a fórmula de “um país, dois sistemas”. A proibição do hino inclui restrições àqueles que o transmitem com intenção de incitar outros a cometer secessão, sugerir que Hong Kong é um estado independente ou insultar o hino nacional.

Ações legais e injunções só serão exceções para atividades acadêmicas e jornalísticas legais, adicionaram os juízes. A decisão reflete os desafios contínuos enfrentados por Hong Kong em equilibrar as pressões de integração política com a China e a manutenção de suas liberdades fundamentais tradicionalmente garantidas.

Mundo

Turista é feita “refém” em hospital turco por não pagar a conta

28.05.2024 22:43 3 minutos de leitura
Visualizar

Luciano Camargo confirma nova fase gospel e revela motivo

Visualizar

Câmara aprova 'PL das blusinhas da Shein' e taxa importados de até US$ 50 em 20%

Visualizar

Série baseada no filme Cidade de Deus estreia em agosto

Visualizar

Até Maria do Rosário e Tabata votaram contra Lula por fim das saidinhas

Visualizar

Acabou a festa das blusinhas e das "bugigangas"

Carlos Graieb Visualizar

Tags relacionadas

Hong Kong
< Notícia Anterior

Tragédia no RS: número de desaparecidos chega a 130

08.05.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Vasco revela nome do novo patrocinador

08.05.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Redação O Antagonista

Suas redes

Instagram

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

Turista é feita “refém” em hospital turco por não pagar a conta

Turista é feita “refém” em hospital turco por não pagar a conta

28.05.2024 22:43 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Nvidia atinge quase U$ 3 trilhões em valor de mercado e cola na Apple

Nvidia atinge quase U$ 3 trilhões em valor de mercado e cola na Apple

28.05.2024 21:02 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Crusoé: O que Robert De Niro não sabe sobre Trump

Crusoé: O que Robert De Niro não sabe sobre Trump

28.05.2024 20:55 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Nubank é o banco mais valioso da América Latina

Nubank é o banco mais valioso da América Latina

28.05.2024 20:29 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.