Crusoé: Seis meses depois Crusoé: Seis meses depois
O Antagonista

Crusoé: Seis meses depois

avatar
Redação O Antagonista
3 minutos de leitura 12.04.2024 19:23 comentários
Mundo

Crusoé: Seis meses depois

Na guerra entre Israel e o Hamas, vale o bordão de Dilma: nem quem ganhar nem perder, vai ganhar ou perder, vai todo mundo perder

avatar
Redação O Antagonista
3 minutos de leitura 12.04.2024 19:23 comentários 0
Crusoé: Seis meses depois
Soldado israelense caminha na Faixa de Gaza

Passaram-se seis meses desde o ataque terrorista do Hamas de 7 de outubro, que resultou em 1.200 mortos e cerca de 250 reféns. A guerra entre Israel e esse grupo terrorista, decorrente do atentado, alterou a política israelense e a palestina, além de mudar o cenário geopolítico do Oriente Médio. De uma maneira geral, todos os que se envolveram no conflito estão mais fracos agora do que há seis meses. Além disso, aqueles que poderiam tirar algum proveito da guerra, como a oposição israelense ou a Autoridade Palestina, não tiveram a oportunidade de executar seus planos.

Israel estima que mais de 250 soldados israelenses foram mortos em combate e que 130 reféns continuam em Gaza. Não é possível afirmar quantos deles ainda estão vivos. Nem o Hamas sabe. Nesta semana, os terroristas afirmaram não serem capazes de dar prova de vida de 40 reféns para iniciar um processo de cessar-fogo, que envolveria a libertação de 900 palestinos presos em Israel.

Do lado palestino, não há dados consolidados e críveis sobre mortes, menos ainda sobre feridos ou desalojados. Um relatório do think tank americano The Washington Institute for Near East Policy estima que o número de mortes possa ser superior aos 30 mil que o Hamas usa em sua propaganda. Mas, segundo esse centro, a maioria dos mortos seria de homens, incluindo muitos terroristas, e não mulheres e crianças, como tenta emplacar os terroristas.

Todas as forças políticas envolvidas na guerra em Israel e Gaza têm algo em comum ao final do primeiro semestre do conflito. Nenhuma está melhor hoje do que estava antes de 7 de outubro. Algumas registraram perdas humanas, outras também tiveram prejuízos materiais ou desgaste político.

Abaixo, uma recapitulação dos principais envolvidos no conflito e um resumo sobre como a situação deles se alterou:

Governo de Benjamin Netanyahu
Antes do ataque terrorista de 7 de outubro, o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu enfrentava manifestações massivas por causa das reformas que estava impulsionando, como a de reduzir a independência da Suprema Corte. Nessa época, pesquisas apontavam que 70% dos israelenses queriam a renúncia do primeiro-ministro, que conseguia se manter no poder graças ao apoio de partidos religiosos e de direita radical. Os atentados e a falha dos serviços de inteligência quebraram a propaganda de Netanyahu de que ele seria a melhor pessoa para proteger a população. A quantidade de pessoas que acham que ele deveria renunciar não se alterou tanto: 71%. A diferença é que, se novas eleições ocorrerem, o partido de Netanyahu, o Likud, estaria longe de alcançar a maioria para formar um governo. Nas atuais pesquisas, a coalizão de Netanyahu teria apenas de 47 das 120 cadeiras do Parlamento, o Knesset. A oposição, por outro lado, poderia ter 67 cadeiras.

Oposição israelense
Ao…

Leia mais em Crusoé

Brasil

Interior paulista tem tempestade de poeira

24.05.2024 20:40 3 minutos de leitura
Visualizar

Lady Gaga revela que se apresentou com Covid em turnê de 2022

Visualizar

Cruzeiro anuncia retorno de Adilson Batista como treinador

Visualizar

J. Teixeira na Crusoé: As falsidades da conversa sobre fake news

Visualizar

Millie Bobby Brown se casa com filho de Bon Jovi

Visualizar

Phillippe Coutinho desembarca no Brasil, acerto com Vasco perto

Visualizar

Tags relacionadas

Gaza Hamas Israel Palestina
< Notícia Anterior

Jean Lucas: o novo reforço do Bahia e suas metas na série A

12.04.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Dono de Porsche paga 500 mil de fiança

12.04.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Redação O Antagonista

Suas redes

Instagram

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

Lady Gaga revela que se apresentou com Covid em turnê de 2022

Lady Gaga revela que se apresentou com Covid em turnê de 2022

24.05.2024 20:36 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Millie Bobby Brown se casa com filho de Bon Jovi

Millie Bobby Brown se casa com filho de Bon Jovi

24.05.2024 20:25 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Crusoé: A ascensão e o futuro incerto do partido do presidente do México

Crusoé: A ascensão e o futuro incerto do partido do presidente do México

Caio Mattos, Da Cidade do México
24.05.2024 20:16 4 minutos de leitura
Visualizar notícia
Reino Unido implementa nova legislação de big techs

Reino Unido implementa nova legislação de big techs

24.05.2024 20:10 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.