O Antagonista

Controvérsias crescem no Senegal com adiamento inédito das eleições

avatar
Redação O Antagonista
3 minutos de leitura 03.02.2024 19:00 comentários
Mundo

Controvérsias crescem no Senegal com adiamento inédito das eleições

Descubra sobre o inédito adiamento das eleições no Senegal. Entenda as controvérsias que envolvem candidatos proeminentes e a ameaça à estabilidade nacional neste intrigante artigo.

avatar
Redação O Antagonista
3 minutos de leitura 03.02.2024 19:00 comentários 0
Controvérsias crescem no Senegal com adiamento inédito das eleições
Fonte: Divulgação

O presidente do Senegal, Macky Sall, adiou as eleições previstas para este mês após várias queixas surgirem quando dezenas de candidatos foram impedidos de concorrer. O acontecimento é sem precedentes em um país que é visto como uma das democracias mais estáveis na região da África Ocidental.

O presidente de dois mandatos, que reiterou que não buscará a reeleição, não estabeleceu uma nova data. No meio da controvérsia, um conselho constitucional havia impedido vários candidatos – incluindo alguns políticos de alto perfil – de concorrer.

Ameaça à estabilidade da eleição

Macky Sall declarou que “essas condições conturbadas poderiam prejudicar gravemente” a eleição. Ele acrescentou que iniciaria “um diálogo nacional aberto… para criar as condições para uma eleição livre, transparente e inclusiva em um Senegal pacífico e reconciliado.”

Um candidato da oposição classificou a decisão do presidente de adiar a eleição como um golpe constitucional. Khalifa Sall, ex-prefeito da capital, Dakar, instou as pessoas a protestar contra a medida e sua coalizão política prometeu ir à justiça.

Ameaça à estabilidade nacional

Uma organização de clérigos islâmicos influentes alertou contra o adiamento da votação, afirmando que isso corria o risco de desestabilizar a nação. O movimento para adiar a eleição é inédito em um país que é visto como uma das democracias mais estáveis na região da África Ocidental.

Condenação por difamação e dupla cidadania

Vinte candidatos haviam feito a lista final, mas entre os mais proeminentes daqueles que haviam sido excluídos da votação original, agendada para 25 de fevereiro, estava o político da oposição Ousmane Sonko. A figura popular foi barrada por causa de uma condenação por difamação.

Sonko, que enfrentou vários processos judiciais, disse que foi vítima de uma campanha para impedi-lo de concorrer à presidência.

Karim Wade, filho de um ex-presidente, também foi impedido de participar porque supostamente é cidadão francês além de senegalês. Ele descreveu a acusação como “escandalosa”, relata a agência de notícias AFP.

Os apoiadores de Wade no parlamento questionaram a neutralidade de dois dos juízes no painel que decidiu sobre a lista final de candidatos.

Alguns políticos argumentaram que as regras para candidatura não foram aplicadas de maneira justa, o que as autoridades negaram. A situação política atual no Senegal continua em aberto, alimentando temores e expectativas entre seus cidadãos e observadores Internacionais.

Esportes

Corinthians é eliminado do Paulistão após vitória da Inter de Limeira

02.03.2024 23:06 2 minutos de leitura
Visualizar

Navalny: o sopro de liberdade que desafia Putin

Catarina Rochamonte Visualizar

Confira os adversários de Grêmio e Inter nas quartas de final do Gauchão

Visualizar

Augusto Melo confirma que dívida do Corinthians com Rojas é de R$ 8 milhões

Visualizar

Casal preso por vaquinha online falsa para criança com câncer no RJ

Visualizar

Turista brasileira sofre estupro coletivo na Índia

Visualizar

Tags relacionadas

senegal
< Notícia Anterior

Promessas do futebol brasileiro que podem brilhar em 2024

03.02.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Globo muda tudo em Renascer

03.02.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Redação O Antagonista

Suas redes

Instagram

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

Turista brasileira sofre estupro coletivo na Índia

Turista brasileira sofre estupro coletivo na Índia

02.03.2024 21:36 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Aquecimento global fecha estações de esqui na Suécia

Aquecimento global fecha estações de esqui na Suécia

02.03.2024 20:48 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Presidente da Irlanda hospitalizado para monitoramento

Presidente da Irlanda hospitalizado para monitoramento

02.03.2024 20:40 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Tempestade de neve na Califórnia fecha estações de esqui

Tempestade de neve na Califórnia fecha estações de esqui

02.03.2024 20:14 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.