Amorim repete narrativa do Hamas em conferência internacional Amorim repete narrativa do Hamas em conferência internacional
O Antagonista

Amorim repete narrativa do Hamas em conferência internacional

avatar
Alexandre Borges
4 minutos de leitura 09.11.2023 10:46 comentários
Mundo

Amorim repete narrativa do Hamas em conferência internacional

O ex-chanceler brasileiro Celso Amorim (foto) repetiu críticas à ação de defesa de Israel, que sofreu o pior ataque terrorista da sua história há um mês. Foi na...

avatar
Alexandre Borges
4 minutos de leitura 09.11.2023 10:46 comentários 0
Amorim repete narrativa do Hamas em conferência internacional
Foto: Ricardo Stuckert

O ex-chanceler brasileiro Celso Amorim (foto) repetiu críticas à ação de defesa de Israel, que sofreu o pior ataque terrorista da sua história há um mês. Foi na Conferência Humanitária Internacional pela População de Gaza, realizada em Paris sob a liderança do presidente francês Emmanuel Macron.

Amorim, que chegou a defender em livro o papel do Hamas na região e a responsabilizar Israel pelos ataques sofridos, classificou a ação militar israelense em seu pronunciamento como “genocídio”, a mais grave acusação imaginável contra um país. Para o assessor especial de Lula para assuntos internacionais, Israel usa “força indiscriminada contra civis”, o que na verdade foi feito pelo Hamas em 7 de outubro, quando mais de 1.400 inocentes, em sua grande maioria civis, perderam as vidas.

Amorim reivindicou um cessar-fogo unilateral, sem explicitar contrapartidas do Hamas, o que vem sendo negociado pelas centrais de inteligência americanas. Não se ouviu qualquer repreensão ao papel do Irã no financiamento e apoio ao terrorismo islâmico na região.

A diplomacia lulista se coloca mais uma vez hostil às posições de Israel, única democracia da região e verdadeira vítima dos ataques terroristas, com possíveis consequências negativas no processo de libertação de reféns brasileiros do Hamas.

Ontem, o embaixador de Israel no Brasil disse que tem gente que ajuda o Hezbollah no Brasil, em referência a outro grupo terrorista financiado pelo Irã.

Leia a íntegra do pronunciamento de Celso Amorim:

Gostaria de agradecer ao Presidente Macron por convocar esta reunião.

Nas palavras do Presidente Lula, “inocentes não podem pagar pela insanidade da guerra”.

Enquanto faço este discurso, continuamos aguardando ansiosos a saída dos brasileiros de Gaza.

A ação internacional em favor da população civil de Gaza é urgente.

O Brasil está contribuindo nas áreas de segurança alimentar e saneamento de água em Gaza.

Tendo fornecido à Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNRWA) um total de US$ 20 milhões entre 2006 e 2016, estamos determinados a retomar nosso compromisso com a agência.

Uma contribuição financeira simbólica à UNRWA está sendo feita imediatamente. Uma contribuição mais substancial está sendo preparada e será anunciada em breve.

Um cessar-fogo humanitário é essencial.

Passagens seguras e desimpedidas para a entrada de ajuda humanitária em benefício de hospitais, escolas e creches devem ser respeitadas.

A saída dos feridos deve ser garantida.

É profundamente perturbador que quase cem membros da equipe da ONU tenham perdido a vida em Gaza.

Reitero a condenação do Brasil aos ataques terroristas contra o povo israelense e a tomada de reféns.

No entanto, tais atos bárbaros não justificam o uso de força indiscriminada contra civis.

A morte de milhares de crianças é chocante. A palavra genocídio inevitavelmente vem à mente.

Isso não é apenas uma guerra entre o Hamas e Israel. Isso faz parte de um conflito maior, de 75 anos, cuja raiz é a ausência de um lar seguro para o povo palestino.

O reconhecimento de um Estado palestino viável, vivendo lado a lado com Israel, com fronteiras seguras e mutuamente reconhecidas, é a única solução possível.

Esta crise é provavelmente um dos desafios mais perigosos para a paz e segurança internacionais, com o maior potencial de se espalhar para um conflito global.

O Brasil considera que uma conferência diplomática onde uma solução política possa ser promovida, com a participação de um grande número de Estados, nos moldes da Conferência de Anápolis, é indispensável.

Mundo

Descoberto segredo de naufrágio de 3.000 anos

23.06.2024 15:00 3 minutos de leitura
Visualizar

Brasil é derrotado pela França na Liga das Nações de Vôlei

Visualizar

Putin avisa que Rússia vai mudar doutrina nuclear

Visualizar

Atlético-MG precisa buscar bons resultados como mandante no Brasileirão

Visualizar

A guerra entre facções criminosas no Ceará

Visualizar

Brasil em estado de emergência habitacional

Visualizar

Tags relacionadas

Celso Amorim Emmanuel Macron genocídio Hamas Israel
< Notícia Anterior

Crusoé: “Milei dobra a aposta e chama Lula de comunista e corrupto”

09.11.2023 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Tarcísio sanciona projeto que anistia Bolsonaro de multas

09.11.2023 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Alexandre Borges

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

Descoberto segredo de naufrágio de 3.000 anos

Descoberto segredo de naufrágio de 3.000 anos

23.06.2024 15:00 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Putin avisa que Rússia vai mudar doutrina nuclear

Putin avisa que Rússia vai mudar doutrina nuclear

23.06.2024 14:45 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Crusoé: as regras do debate entre Biden e Trump

Crusoé: as regras do debate entre Biden e Trump

23.06.2024 12:56 1 minuto de leitura
Visualizar notícia
Quais os impactos da cafeína no dia a dia?

Quais os impactos da cafeína no dia a dia?

23.06.2024 12:35 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.