Google proíbe propaganda paga nas eleições municipais Google proíbe propaganda paga nas eleições municipais
O Antagonista

Google proíbe propaganda paga nas eleições municipais

avatar
Redação O Antagonista
3 minutos de leitura 24.04.2024 16:07 comentários
Brasil

Google proíbe propaganda paga nas eleições municipais

Segundo a empresa, sua política de conteúdo político no Google Ads será atualizada em maio para não mais permitir anúncios políticos no país

avatar
Redação O Antagonista
3 minutos de leitura 24.04.2024 16:07 comentários 0
Google proíbe propaganda paga nas eleições municipais
Foto: PhotoMIX-Company/Pixabay

O Google anunciou que proibirá a veiculação de anúncios políticos em suas plataformas durante as eleições municipais de 2024 no Brasil. A decisão vem após a atualização das regras para propaganda eleitoral feita pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em fevereiro deste ano.

“Para as eleições brasileiras deste ano, vamos atualizar nossa política de conteúdo político do Google Ads para não mais permitir a veiculação de anúncios políticos no país. Essa atualização acontecerá em maio tendo em vista a entrada em vigor das resoluções eleitorais para 2024”, informou a empresa em nota.

A atualização da política ocorre em conformidade com as resoluções eleitorais que entrarão em vigor em 2024. A empresa afirma ter o compromisso global de apoiar a integridade das eleições e continuará dialogando com as autoridades sobre esse assunto.

Regras da propaganda eleitoral

A resolução 23.732, que altera as regras sobre propaganda eleitoral, aprovadas pela Justiça 2019, define amplamente o que é considerado conteúdo político-eleitoral. O Google considera essa definição muito abrangente.

Segundo o TSE, esse tipo de propaganda inclui tudo relacionado a eleições, partidos políticos, coligações, cargos eletivos, candidatos, propostas de governo, projetos de lei, exercício do direito ao voto e outros direitos políticos ou questões relacionadas ao processo eleitoral.

Além disso, a Justiça Eleitoral exige que as plataformas digitais que oferecem serviços de impulsionamento de conteúdo eleitoral mantenham um repositório dos anúncios, permitindo o acompanhamento em tempo real do conteúdo, valores, responsáveis pelo pagamento e características dos grupos populacionais que compõem a audiência. As empresas também devem disponibilizar uma ferramenta de busca avançada nos dados do repositório, utilizando palavras-chave e nome dos anunciantes.

O TSE também proíbe a priorização paga de conteúdo que promova propaganda negativa contra outros candidatos ou dissemine notícias falsas, informações fraudulentas ou fatos distorcidos e descontextualizados, mesmo que sejam benéficos para quem está impulsionando o conteúdo.

As medidas estabelecidas pelo TSE devem ser implementadas em até 60 dias após a entrada em vigor da norma, para as plataformas que já oferecem o serviço de impulsionamento de anúncios. Essas medidas também são válidas para anos não eleitorais.

O Google, controlado pela Alphabet, que registrou um lucro líquido de US$ 73,79 bilhões em 2023, avalia que seria inviável moderar tantos anúncios em uma eleição que ocorrerá em mais de 5 mil municípios. A empresa também teme que a amplitude do conceito traga insegurança para a moderação.

Brasil

INSS: calendário do 13º salário, pagamentos antecipados

23.05.2024 05:30 3 minutos de leitura
Visualizar

Bolsa Família: novos benefícios de Auxílio Médio

Visualizar

Crusoé: Nove pessoas morrem em acidente em comício no México

Caio Mattos, Da Cidade do México Visualizar

China inicia exercícios militares ao redor de Taiwan

Visualizar

Acusado de estupro de criança, marido de cantora gospel é preso nos EUA

Visualizar

Câmara dos Deputados aprova moção de repúdio a Madonna, Anitta e Pabllo Vittar

Visualizar

Tags relacionadas

eleições municipais 2024 Google Google Ads propaganda eleitoral TSE
< Notícia Anterior

Angelo Coronel vai relatar o Orçamento de 2025

24.04.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Moraes arquiva caso de Bolsonaro na embaixada da Hungria

24.04.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Redação O Antagonista

Suas redes

Instagram

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

INSS: calendário do 13º salário,  pagamentos antecipados

INSS: calendário do 13º salário, pagamentos antecipados

23.05.2024 05:30 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Bolsa Família: novos benefícios de Auxílio Médio

Bolsa Família: novos benefícios de Auxílio Médio

23.05.2024 05:00 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Câmara dos Deputados aprova moção de repúdio a Madonna, Anitta e Pabllo Vittar

Câmara dos Deputados aprova moção de repúdio a Madonna, Anitta e Pabllo Vittar

22.05.2024 22:05 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Temu chega ao Brasil e ameaça Shopee, Shein e Amazon

Temu chega ao Brasil e ameaça Shopee, Shein e Amazon

22.05.2024 20:34 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.