Em resposta ao STF, PEC das drogas pode avançar na CCJ do Senado Em resposta ao STF, PEC das drogas pode avançar na CCJ do Senado
O Antagonista

Em resposta ao STF, PEC das drogas pode avançar na CCJ do Senado

avatar
Wesley Oliveira
4 minutos de leitura 04.03.2024 15:46 comentários
Brasil

Em resposta ao STF, PEC das drogas pode avançar na CCJ do Senado

Relator quer pautar PEC na CCJ na mesma data em que a Corte retoma o julgamento sobre a maconha

avatar
Wesley Oliveira
4 minutos de leitura 04.03.2024 15:46 comentários 0
Em resposta ao STF, PEC das drogas pode avançar na CCJ do Senado
Senador Efraim Filho, relator da PEC sobre drogas no Senado | Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

O senador Efraim Filho (União-PB)(foto) pretende costurar um acordo para pautar nesta quarta-feira, 6, o seu relatório sobre a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que criminaliza a posse e o porte de todas as drogas na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado. A data escolhida é a mesma em que o Supremo Tribunal Federal (STF) retoma o julgamento sobre o porte de maconha.

A PEC relatada por Efraim Filho é mais uma resposta do Legislativo em meio à crise com o Judiciário. Na contramão do STF, a proposta pretende criminalizar o porte e a posse de substância ilícita em qualquer quantidade.

O texto da PEC altera o artigo 5º da Constituição, que passaria a ter o seguinte trecho: “a lei considerará crime a posse e o porte, independentemente da quantidade, de entorpecentes e drogas afins sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar”.

O autor da proposta, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), diz que a PEC daria mais clareza à legislação em vigor e que “está em compasso com o tratamento multidisciplinar e interinstitucional necessário” para o combate ao “abuso” de drogas e entorpecentes.

“Há uma sinalização [do STF] de uma descriminalização do porte para uso de drogas, algo que o Senado Federal, em sua maioria, é contra. O primeiro caminho a ser observado é de uma Proposta de Emenda à Constituição que diz que deve ser considerado crime porte ou posse de substância entorpecente ilícita em qualquer circunstância, em qualquer quantidade”, disse Pacheco.

A pauta da CCJ do Senado desta semana já foi divulgada, mas a PEC sobre as drogas não foi incluída. Efraim pressiona o presidente do colegiado, Davi Alcolumbre (União-AP), para pautar o tema nesta semana, já que o STF deve formar maioria a favor da descriminalização.

“O Senado tem dialogado com esse fator tempo, mas sabendo que a matéria está pronta para ir à pauta assim que for necessário. O parecer está pronto, entregue, o Senado tem uma posição contrária à descriminalização das drogas, entende que a sociedade brasileira ainda não está preparada para isso. Há uma maioria sólida contrária”, disse Efraim

Como está o julgamento no STF?

Até o momento, há cinco votos para a liberação da maconha, num julgamento que pode, na prática, garantir o consumo da erva no Brasil.

O caso começou a ser julgado em 2015 na Suprema Corte, com um voto do relator, Gilmar Mendes, em favor de que quem possuísse maconha para consumo pessoal não poderia ser tratado como traficante.

Desde então, os ministros Alexandre de MoraesEdson FachinRosa Weber (aposentada) e Luís Roberto Barroso já votaram pela descriminalização do porte para uso pessoal. Cristiano Zanin, o primeiro ministro indicado por Lula, votou contra a liberação. Por ocupar a cadeira de Rosa Weber, que já votou, Flávio Dino não se manifestará neste caso.

O presidente do STF, Luís Roberto Barroso, ressaltou nesta segunda, 4, que o objetivo do STF, com o julgamento, é fazer com que se crie uma regra “que valha para todo mundo e não seja definida pelo policial no ato da prisão”.

“O que o STF vai decidir é qual a quantidade que deve ser considerada para tratar como porte ou tráfico. Sem o STF ter essa definição, como não está na lei, quem a faz é a polícia. E o que se verifica é um critério extremamente discriminatório, dependendo se um bairro é um bairro de classe média alta ou de periferia a mesma quantidade recebe um tratamento diferente. Nos bairros mais favorecidos é porte, nos menos favorecidos é tráfico”, disse Barroso.

Mundo

Crusoé: Venezuela desconvida observadores da UE a farsa eleitoral

28.05.2024 20:07 2 minutos de leitura
Visualizar

Com ciúmes, homem mata cachorro a facadas e coloca na porta da ex

Visualizar

Santos desiste de Marcelo Grohe

Visualizar

Elon Musk vs Yann LeCun: Choque de gigantes na IA

Visualizar

Bilionários farão nova expedição submarina ao Titanic

Visualizar

Lula recebe Joesley no Planalto, puro suco de Brasil

Madeleine Lacsko Visualizar

Tags relacionadas

combate às drogas Efraim Filho Legalização da maconha Rodrigo Pacheco
< Notícia Anterior

Flamengo encaminha contratação do volante William Carvalho

04.03.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

O pedido de Anitta para Lula

04.03.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Wesley Oliveira

Suas redes

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

Com ciúmes, homem mata cachorro a facadas e coloca na porta da ex

Com ciúmes, homem mata cachorro a facadas e coloca na porta da ex

28.05.2024 20:01 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Bebê abandonada em selva no Panamá volta ao Brasil após 5 meses

Bebê abandonada em selva no Panamá volta ao Brasil após 5 meses

28.05.2024 19:29 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Derrota de Lula: Congresso derruba veto ao PL das saidinhas

Derrota de Lula: Congresso derruba veto ao PL das saidinhas

Wesley Oliveira
28.05.2024 19:22 4 minutos de leitura
Visualizar notícia
Gusttavo Lima para show: "Quem tá fumando maconha?"

Gusttavo Lima para show: "Quem tá fumando maconha?"

28.05.2024 18:57 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.