O Antagonista

EM DELAÇÃO, FUNARO FALOU DE 20 MI PARA TEMER ABRIR CAPITAL DE COMPANHIAS AÉREAS

avatar
Redação O Antagonista
4 minutos de leitura 13.12.2018 20:14 comentários
Brasil

EM DELAÇÃO, FUNARO FALOU DE 20 MI PARA TEMER ABRIR CAPITAL DE COMPANHIAS AÉREAS

Embora a abertura de capital das companhias aéreas seja uma medida boa para o setor, a delação de Lúcio Funaro alerta para um possível interesse escuso por parte de Michel Temer ao editar hoje a Medida Provisória que trata do tema...

avatar
Redação O Antagonista
4 minutos de leitura 13.12.2018 20:14 comentários 62

Embora a abertura de capital das companhias aéreas seja uma medida boa para o setor, a delação de Lúcio Funaro alerta para um possível interesse escuso por parte de Michel Temer ao editar hoje a Medida Provisória que trata do tema.

O Antagonista reproduz abaixo a íntegra do anexo da delação premiada do operador do MDB que trata de suposto pagamento de R$ 20 milhões em propina a Temer, em troca da abertura do setor, para beneficiar a GOL Linhas Aéreas, de Henrique Constantino.

Funaro contou à PGR que Constantino “achava que a única solução” para da Gol “seria a venda total da empresa para algum investidor estrangeiro”. No governo Dilma, o empresário conseguiu a aprovação para injeção de até 50% do capital, “o que não era suficiente para resolver o problema”.

Por isso, Henrique e seu irmão Constantino Jr procuraram Temer e doaram “como contrapartida para a campanha de 2014 o valor equivalente a R$ 20 milhões em horas voadas em aviões de empresas ligadas ao grupo, tendo como objetivo a aprovação da MP ou PL que liberaria a participação estrangeira em empresas aéreas sem limite”.

“Que logo que presidente Michel Temer assumiu, se tentou aprovar uma MP que contemplava esse pleito, mas não foi sancionada pela presidência, que logo depois optou pela resolução do problema através de um projeto de lei. Que este pleito das aéreas está sendo negociado desde a época em que Moreira Franco era ministro da Aviação Civil.”

Diante do que foi dito por Funaro, a decisão de Temer, a duas semanas do fim do mandato, soa como quitação de fatura.

Confira a íntegra:

QUE ainda tem conhecimento da articulação por MICHEL TEMER, EDUARDO CUNHA e HENRIQUE EDUARDO ALVES para que a Medida Provisória 563/2012- desoneração dos encargos tributários sobre a folha de pagamento dos setores de transporte aéreo e coletivo rodoviário, a qual beneficiaria as empresas aéreas. QUE a GOL LINHAS AEREAS estava passando por dificuldades financeiras, e HENRIQUE CONSTANTINO achava que a única solução seria a venda total da empresa para algum investidor estrangeiro. Que por conta dessa necessidade do GRUPO CONSTANTINO, HENRIQUE CONSTANTIN, o qual era o membro da família encarregado das relações institucionais, começou a se movimentar para tentar conseguir apoio suficiente dentro do GOVERNO para a abertura do capital de setor aéreo para empresas estrangeiras. Que durante o GOVERNO da PRESIDENTE DILMA ROUSSEF, CONSTANTINO conseguiu a aprovação ate o limite de 50%, o que não era suficiente para resolver o problema financeiro do GRUPO CONSTANTINO. Assim continuou-se a buscar a solução da aprovação da participação de capital estrangeiro sem um limite previsto. QUE para obter esse pleito HENRIQUE CONSTANTINO e seu irmão CONSTANTINO JR, procuraram o VICE PRESIDENTE MICHEL TEMER, e doaram como contrapartida para a campanha de 2014 o valor equivalente a R$ 20.000.000,00 em horas voadas em aviões de empresas ligadas ao GRUPO CONSTANTINO, tendo como objetivo a aprovação da MP ou PL que liberaria a participação estrangeira em empresas aéreas sem limite. Que todo esse contesto foi narrado ao COLABORADOR pelo DEPUTADO EDUARDO CUNHA, e que o COLABORADOR acredita pode ser verificado através do registro de todos os voos feitos em aviões da marca Gulfestrean, Falcon e do Citation modelo Sovererign no ano de 2014 pertencentes ao GRUPO CONSTANTINO. Que logo que PRESIDENTE MICHEL TEMER assumiu, se tentou aprovar uma MP que contemplava esse pleito, mas não foi sancionada pela PRESIDÊNCIA, que logo depois optou pela resolução do problema através de um projeto de lei. QUE este pleito das aéreas está sendo negociado desde a época em que MOREIRA FRANCO era Ministro da Aviação Civil. Ainda que a medida provisória que desonerou a folha de pagamentos dos setores de aviação e de transporte rodoviário coletivo a MP 563/12 e lei do Distrito Federal de 18/04/2013, que reduziu o percentual de 25% para 12%, do imposto que incide sobre o querosene de aviação, beneficiou muito o GRUPO CONSTANTINO, pois o combustível é o segundo item que mais influi nos custos do setor de aviação.

Esportes

Jogando bem, Corinthians perde para Ponte Preta e se complica

25.02.2024 22:27 2 minutos de leitura
Visualizar

Cromossomo Y Está desaparecendo

Visualizar

Conheça a última área a ser mapeada nos EUA por ser inacessível

Visualizar

Estudo revela que povos tradicionais possuem a mesma felicidade de países ricos

Visualizar

Tite comenta caso de Daniel Alves

Visualizar

Casa Tody: loja de calçados fecha após 70 anos na Avenida Paulista

Visualizar

Tags relacionadas

Gol Henrique Constantino Lúcio Funaro Michel Temer
< Notícia Anterior

Jungmann vê 'progresso sensível' em apuração da PF sobre Marielle

13.12.2018 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Ex-ministro de Dilma na equipe de Paulo Guedes

13.12.2018 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Redação O Antagonista

Suas redes

Instagram

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

Casa Tody: loja de calçados fecha após 70 anos na Avenida Paulista

Casa Tody: loja de calçados fecha após 70 anos na Avenida Paulista

25.02.2024 21:00 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Conheça as mansões de famosos como Bruno Gagliasso e Simone Mendes disponíveis para aluguel

Conheça as mansões de famosos como Bruno Gagliasso e Simone Mendes disponíveis para aluguel

25.02.2024 20:55 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Tarcísio: “São Paulo ama vestir verde e amarelo”

Tarcísio: “São Paulo ama vestir verde e amarelo”

25.02.2024 20:18 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Deltan, Zema, Tarcísio, Malafaia; quem participou do ato de Bolsonaro

Deltan, Zema, Tarcísio, Malafaia; quem participou do ato de Bolsonaro

25.02.2024 19:57 2 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.