Como hackers desviaram mais de R$ 6 milhões da Caixa Como hackers desviaram mais de R$ 6 milhões da Caixa
O Antagonista

Como hackers desviaram mais de R$ 6 milhões da Caixa

avatar
Redação O Antagonista
3 minutos de leitura 03.04.2024 12:24 comentários
Brasil

Como hackers desviaram mais de R$ 6 milhões da Caixa

Os hackers pulverizaram os valores desviados em diversas contas bancárias em nome de laranjas e os converteram em criptomoedas

avatar
Redação O Antagonista
3 minutos de leitura 03.04.2024 12:24 comentários 0
Como hackers desviaram mais de R$ 6 milhões da Caixa
Foto: Divulgação/PF

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quarta-feira, 3, a Operação Private Key, com o objetivo de desarticular um grupo suspeito de cometer fraude cibernética contra a Caixa Econômica Federal e a prefeitura de Telêmaco Borba, no Paraná.

A operação contou com a participação de mais de 30 policiais, que cumpriram mandados em Brasília, Águas Lindas de Goiás (GO) e Santa Luzia (MG).

Foram executados quatro mandados de prisão, 11 mandados de busca e apreensão, 51 mandados de sequestro, arresto e bloqueio, além de nove mandados de sequestro de criptomoedas.

Como os hackers desviaram o dinheiro?

De acordo com os investigadores, os suspeitos utilizaram técnicas avançadas de hackeamento para criar um site falso com o objetivo de roubar credenciais. Através desse site, eles induziram um servidor da prefeitura de Telêmaco Borba a fornecer suas informações de login e senha. Posteriormente, essas informações foram utilizadas para acessar o sistema GovConta do município, conforme detalhado pela PF.

Em seguida, os criminosos clonaram o perfil do servidor em um aplicativo de mensagens, utilizando engenharia social para se passar por ele. Dessa forma, eles entraram em contato com o gerente da Caixa e obtiveram autorização para transferir valores para empresas fictícias, fazendo parecer que essas empresas seriam fornecedoras da prefeitura.

Mais de R$ 6 milhões desviados

Segundo os investigadores, mais de R$ 6 milhões foram desviados. Os valores foram distribuídos em diversas contas bancárias em nome de laranjas e, posteriormente, convertidos em criptomoedas.

O uso de múltiplas camadas de contas e carteiras de criptomoedas dificultou a rastreabilidade dos recursos, sendo identificadas pelo menos quatro camadas de beneficiários dos valores, incluindo integrantes da organização criminosa que adquiriram bens de luxo e realizaram viagens caras”, explicou a Polícia Federal.

Caso sejam condenados, os suspeitos podem cumprir penas de até 30 anos pelos crimes de furto qualificado mediante fraude, invasão de dispositivo informático, lavagem de dinheiro e participação em organização criminosa.

O que diz a Caixa Econômica Federal?

Em nota enviada a O Antagonista, a Caixa informou que:

A CAIXA monitora seus canais e transações, utiliza modernas ferramentas de segurança em seus canais, bem como atua em conjunto com órgãos de segurança pública na investigação de casos suspeitos, assim como na prevenção de fraudes e golpes.

O caso em Telêmaco Borba (PR) ocorreu em abril de 2020 e o processo corre em segredo de justiça.   Mais informações sobre eventos criminosos nas unidades do banco são repassadas exclusivamente às autoridades.

A CAIXA reafirma seu compromisso como principal parceiro do Poder Público em todas as esferas, Federal, Estadual e Municipal.

Como parte da atuação na prevenção de ocorrências, a CAIXA realiza constantemente ações de orientação e esclarecimentos a seus clientes por meio de seus canais de atendimento, sítio eletrônico e redes sociais.

Papo Antagonista

O cinismo de André Janones sobre rachadinha

24.04.2024 20:56 1 minuto de leitura
Visualizar

PC-RJ indicia suspeitos por assassinato de advogado a queima roupa

Visualizar

20 toneladas de queijo sao apreendidas em Minas Gerais

Visualizar

Ludmilla ganha relógio de luxo de Brunna no aniversário de 29 Anos

Visualizar

Botafogo na Libertadores: com lesão, Tiquinho deixa o campo com apenas 7 minutos

Visualizar

Caso X: as bravatas da AGU de Lula

Visualizar

Tags relacionadas

Caixa Econômica Federal desvio de dinheiro fraude cibernética hackers Polícia Federal
< Notícia Anterior

Crusoé: O que Milei não entendeu sobre as ilhas Malvinas

03.04.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Senado prepara CPI da Manipulação do Futebol

03.04.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Redação O Antagonista

Suas redes

Instagram

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

PC-RJ indicia suspeitos por assassinato de advogado a queima roupa

PC-RJ indicia suspeitos por assassinato de advogado a queima roupa

24.04.2024 20:56 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
20 toneladas de queijo sao apreendidas em Minas Gerais

20 toneladas de queijo sao apreendidas em Minas Gerais

24.04.2024 20:51 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Ludmilla ganha relógio de luxo de Brunna no aniversário de 29 Anos

Ludmilla ganha relógio de luxo de Brunna no aniversário de 29 Anos

24.04.2024 20:47 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Suposto sobrinho de Marcola, do PCC, teria sido preso em operação no SC

Suposto sobrinho de Marcola, do PCC, teria sido preso em operação no SC

24.04.2024 20:24 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.