Cinco ministros do STF mantêm regra pró-contribuinte do Carf; julgamento é suspenso Cinco ministros do STF mantêm regra pró-contribuinte do Carf; julgamento é suspenso
O Antagonista

STF suspende julgamento sobre regra pró-contribuinte do Carf

avatar
Gabriela Coelho
3 minutos de leitura 24.03.2022 16:22 comentários
Brasil

STF suspende julgamento sobre regra pró-contribuinte do Carf

O Supremo Tribunal Federal voltou a analisar a validade de critério de desempate de julgamentos favorável aos contribuintes, no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), tribunal administrativo que discute cobranças feitas pela Receita Federal...

avatar
Gabriela Coelho
3 minutos de leitura 24.03.2022 16:22 comentários 0
STF suspende julgamento sobre regra pró-contribuinte do Carf
Foto: Nelson Jr/SCO/STF

O Supremo Tribunal Federal voltou a analisar a validade de critério de desempate de julgamentos favorável aos contribuintes, no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), tribunal administrativo que discute cobranças feitas pela Receita Federal.

O julgamento foi suspenso após um pedido de vista (mais tempo para analisar o caso) do ministro Nunes Marques. Ainda assim, os ministro Edson Fachin, Cármen Lúcia e Ricardo Lewandowski pediram licença para antecipar os seus votos.

Os ministros analisam uma ação apresentada pelo PSB, que defende que o processo legislativo que resultou no fim do voto de qualidade violou diretamente diversos dispositivos constitucionais, atentando contra os princípios da soberania, legalidade e impessoalidade, administração tributária, inafastabilidade jurisdicional, segurança jurídica e devido processo legal.

Votaram pela constitucionalidade material da lei os ministros  Marco Aurélio, Barroso, Alexandre de Moraes, Edson Fachin, Cármen Lúcia e Ricardo Lewandowski. Todos eles, com exceção de Marco Aurélio, também consideraram que há constitucionalidade formal.

Na prática, há 6 votos pela constitucionalidade material da lei, mas apenas 5 pela constitucionalidade formal. Assim, o caso segue sem definição por causa da ponderação feita por Marco Aurélio.

Em junho do ano passado, o então relator, ministro aposentado Marco Aurélio Mello entendeu pela inconstitucionalidade da norma que instituiu o novo critério de desempate.  

“A norma que instituiu o desempate favorável às empresas e às pessoas físicas é inconstitucional porque foi inserida como um ‘jabuti'”, disse.

Já Luís Roberto Barroso entendeu que é constitucional a nova regra de desempate a favor dos contribuintes, mas autorizou a Fazenda Nacional a recorrer à Justiça caso saia derrotada em decorrência dessa regra.

Nesta quinta-feira (24), os ministros Alexandre de Moraes, Edson Fachin, Cármen Lúcia e Ricardo Lewandowski. Moraes, entretanto, chamou a atenção para um ponto: a Fazenda Pública não pode recorrer à Justiça em caso de derrota no Conselho.

O modelo vigente favorece o contribuinte e impacta os cofres públicos. Há estimativa de perda, para a arrecadação, de cerca de R$ 60 bilhões por ano.

As Turmas do Carf são compostas paritariamente por representantes dos contribuintes e da Fazenda Pública, reservada à representante desta última a função de presidente, ao qual era dado o voto de qualidade. 

O fim do voto de desempate foi incluído pela Câmara e a alteração foi mantida na votação no Senado da medida provisória que previa regras de estímulo à renegociação de dívidas tributárias com a União, a chamada MP do Contribuinte Legal. A lei foi sancionada por Jair Bolsonaro em 2020.

Até então, quando um julgamento terminava empatado, os presidentes das câmaras e das turmas do Carf tinham o chamado voto de qualidade, isto é, o voto de desempate dos julgamentos. Com a nova lei, em caso de empate, o resultado beneficiará o contribuinte.

Brasil

Quem mais estava na mira dos irmãos Brazão

27.05.2024 13:00 3 minutos de leitura
Visualizar

Onde assistir Al-Wehda x Al-Hilal: confira detalhes da partida

Visualizar

Lançamento de projétil Norte-Coreano acende alertas globais

Visualizar

Defensoria vai ao STF por mudança em edital de câmeras em SP

Visualizar

Galvão Bueno de volta à Fórmula 1?

Visualizar

Bebê é atingida por bala perdida em Hospital do Recife

Visualizar

Tags relacionadas

Carf impacto STF tributário
< Notícia Anterior

Ciro Gomes a Lula-Alckmin: 'Deixem a esquerda livre'

24.03.2022 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Datafolha: Lula tem 43%, Bolsonaro 26%

24.03.2022 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Gabriela Coelho

É jornalista formada pelo UniCEUB, em Brasília. Tem especialização em gestão de crise e redes sociais. Passou pelas redações do Jornal de Brasília, Globo, Revista Consultor Jurídico e CNN Brasil. Conhece o mundo do Judiciário há alguns anos, desde quando ainda era estagiária do TSE. Gosta dessa adrenalina jurídica entre pedidos e decisões. Brasiliense, cobriu as eleições nacionais de 2010, 2014 e 2018 e municipais de 2012 e 2020.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

Quem mais estava na mira dos irmãos Brazão

Quem mais estava na mira dos irmãos Brazão

27.05.2024 13:00 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Defensoria vai ao STF por mudança em edital de câmeras em SP

Defensoria vai ao STF por mudança em edital de câmeras em SP

27.05.2024 12:32 5 minutos de leitura
Visualizar notícia
Bebê é atingida por bala perdida em Hospital do Recife

Bebê é atingida por bala perdida em Hospital do Recife

27.05.2024 12:19 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Encargos trabalhistas no Brasil: impacto na economia e informalidade

Encargos trabalhistas no Brasil: impacto na economia e informalidade

27.05.2024 12:00 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.