Jair Bolsonaro se nega a "tomar partido" na invasão da Ucrânia Jair Bolsonaro se nega a "tomar partido" na invasão da Ucrânia
video destaque
30.03.2022

Bolsonaro se nega a “tomar partido” na invasão da Ucrânia

Em discurso nesta quarta-feira (30), Jair Bolsonaro (foto) voltou a defender sua posição de "neutralidade" na invasão da Ucrânia pela Rússia, que já dura mais de um mês e resultou em destruição de cidades e mortes de civis ucranianos...

Em discurso nesta quarta-feira (30), Jair Bolsonaro (foto) voltou a defender sua posição de “neutralidade” na invasão da Ucrânia pela Rússia, que já dura mais de um mês e resultou em destruição de cidades e mortes de civis ucranianos.

“A nossa ida à Rússia, há poucas semanas, bem demonstrou como nosso governo trata a questão da política externa brasileira”, disse o presidente sobre seu encontro com Vladimir Putin, uma semana antes de o autocrata russo ordenar a invasão do país vizinho.

“Sempre buscamos a paz, mas não podemos trazer para nosso Brasil um problema lá de fora”, prosseguiu Bolsonaro, acrescentando muito de passagem um “lamentamos todas as mortes ocorridas”.

“Se alguns, em especial da imprensa, queriam que eu tomasse partido, vão continuar querendo. Eu sou chefe do Executivo de 210 milhões de brasileiros, e é para esses que eu devo trabalhar, é para esses que eu devo buscar a paz e a prosperidade”, acrescentou o presidente.

A comunidade ucraniana no Brasil, com parentes mortos na guerra, deve ter ficado muito feliz com mais esse show de empatia presidencial.

Clique abaixo para assistir ao vídeo:

video destaque

Bolsonaro se nega a “tomar partido” na invasão da Ucrânia

Em discurso nesta quarta-feira (30), Jair Bolsonaro (foto) voltou a defender sua posição de "neutralidade" na invasão da Ucrânia pela Rússia, que já dura mais de um mês e resultou em destruição de cidades e mortes de civis ucranianos...

Em discurso nesta quarta-feira (30), Jair Bolsonaro (foto) voltou a defender sua posição de “neutralidade” na invasão da Ucrânia pela Rússia, que já dura mais de um mês e resultou em destruição de cidades e mortes de civis ucranianos.

“A nossa ida à Rússia, há poucas semanas, bem demonstrou como nosso governo trata a questão da política externa brasileira”, disse o presidente sobre seu encontro com Vladimir Putin, uma semana antes de o autocrata russo ordenar a invasão do país vizinho.

“Sempre buscamos a paz, mas não podemos trazer para nosso Brasil um problema lá de fora”, prosseguiu Bolsonaro, acrescentando muito de passagem um “lamentamos todas as mortes ocorridas”.

“Se alguns, em especial da imprensa, queriam que eu tomasse partido, vão continuar querendo. Eu sou chefe do Executivo de 210 milhões de brasileiros, e é para esses que eu devo trabalhar, é para esses que eu devo buscar a paz e a prosperidade”, acrescentou o presidente.

A comunidade ucraniana no Brasil, com parentes mortos na guerra, deve ter ficado muito feliz com mais esse show de empatia presidencial.

Clique abaixo para assistir ao vídeo:

Vídeos mais vistos

1

As cenas das moças raptadas pelo Hamas

Imagem
0 vídeos
22.05.2024 20:40 1 minuto de leitura
2

Xandão inventou risco de fuga por tabela?

Imagem
0 vídeos
23.05.2024 20:57 1 minuto de leitura
3

Detratores da Lava Jato levam banho na Câmara

Imagem
0 vídeos
21.05.2024 21:47 1 minuto de leitura
4

Caso Moro: TSE fez o certo por motivos errados?

Imagem
0 vídeos
22.05.2024 20:08 1 minuto de leitura
5

O descaramento de Toffoli no caso Marcelo Odebrecht

Imagem
0 vídeos
21.05.2024 21:32 1 minuto de leitura

Playlists

Antagonista Docs

Antagonista Meeting

Entrevistas

Ilha de Cultura

Latitude

Meio-Dia em Brasília

Narrativas Antagonista com Madeleine Lackso

Papo Antagonista com Felipe Moura Brasil

Ver mais playlists

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.