Após críticas de Lira, delegados defendem investigações da PF Após críticas de Lira, delegados defendem investigações da PF
O Antagonista

Após críticas de Lira, delegados defendem investigações da PF

avatar
Redação O Antagonista
3 minutos de leitura 22.09.2023 09:42 comentários
Brasil

Após críticas de Lira, delegados defendem investigações da PF

A Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) reagiu às críticas do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL, foto), Em entrevista à...

avatar
Redação O Antagonista
3 minutos de leitura 22.09.2023 09:42 comentários 0
Após críticas de Lira, delegados defendem investigações da PF
Foto: Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados

A Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) reagiu às críticas do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL, foto), Em entrevista à Folha de S. Paulo, o deputado manifestou preocupação com possíveis excessos nas investigações da Polícia Federal, Segundo os delegados, a atuação da corporação é imparcial e não privilegia nem persegue ninguém.

Luciano Leiro, presidente da ADPF, disse que a PF é um órgão de Estado que conquistou ao longo dos anos o prestígio e a confiança da sociedade devido à seriedade de seus policiais. Ele ressalta que as investigações conduzidas pela corporação são sempre pautadas pela legalidade e pela imparcialidade.

Em entrevista publicada na segunda-feira (18), Lira declarou que a Polícia Federal não deve agir como promotor de Justiça ou juiz, mas sim limitar-se às investigações. O presidente da Câmara afirmou que alguns policiais estão extrapolando sua função.

A PF, por sua vez, considera que não há necessidade de comentar as críticas do presidente da Câmara. Segundo integrantes da corporação, as investigações são baseadas em fatos e a melhor resposta que a Polícia Federal pode dar é continuar seu trabalho nas investigações em andamento.

Vale ressaltar que aliados de Lira foram alvo de investigações da PF em junho deste ano, relacionadas a suspeitas envolvendo kits de robótica. O nome do presidente da Câmara apareceu no inquérito durante a operação, quando os policiais encontraram uma lista de pagamentos atribuídos a ele. O caso foi encaminhado ao Supremo Tribunal Federal (STF) e, semanas depois, o ministro Gilmar Mendes determinou a paralisação da investigação.

Lira classificou essas alegações como abusivas e afirmou que a operação foi anulada por falta de provas. Ele também criticou a operação Perfídia, que investiga supostas fraudes em licitações do Gabinete de Intervenção Federal no Rio de Janeiro, então comandado pelo general Walter Braga Netto.

A declaração do presidente da Câmara foi vista por integrantes da PF como uma tentativa de intimidar a corporação e frear novas investigações.

Luciano Leiro ressalta à Folha que, “se há casos em que, após a investigação, a Justiça decide pela inocência dos investigados, isso só demonstra o êxito do sistema de persecução penal, e não abuso ou excesso dos investigadores, é assim na democracia e no próprio sistema de justiça criminal do Brasil”.

Na entrevista, Lira foi questionado sobre a atuação do ministro da Justiça, Flávio Dino, mas o poupou de críticas. O presidente da Câmara afirmou ter uma boa relação com o titular da pasta, mas focou suas críticas na Polícia Federal.

O que não deve ter é uma polícia política, para nada. Isso é o pior dos mundos. Nem um polícia com autonomia para fazer o que quer. Nós não temos isso. A Polícia é órgão de estado para cumprir determinações legais”, disse Lia à reportagem.

Mundo

Oposição reage sobre reparação por escravidão: "traição à pátria"

Alexandre Borges
25.04.2024 04:50 2 minutos de leitura
Visualizar

EUA enviam mísseis de longo alcance para Ucrânia

Alexandre Borges Visualizar

Estrangeiros em protestos antissemitas podem ser deportados

Alexandre Borges Visualizar

Musk em guerra judicial por super pacote de remuneração

Alexandre Borges Visualizar

Athletico-PR vence o Danubio pela Sul-Americana e segue 100%

Visualizar

Botafogo vence o Universitario pela Libertadores com golaço de Luiz Henrique

Visualizar

Tags relacionadas

Arthur Lira interferência na Polícia Federal Polícia Federal
< Notícia Anterior

Crusoé: “A mão pesada do STF”

22.09.2023 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

STF forma maioria unânime por manter direitos políticos de Dilma

22.09.2023 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Redação O Antagonista

Suas redes

Instagram

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

PC-RJ indicia suspeitos por assassinato de advogado a queima roupa

PC-RJ indicia suspeitos por assassinato de advogado a queima roupa

24.04.2024 20:56 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
20 toneladas de queijo sao apreendidas em Minas Gerais

20 toneladas de queijo sao apreendidas em Minas Gerais

24.04.2024 20:51 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Ludmilla ganha relógio de luxo de Brunna no aniversário de 29 Anos

Ludmilla ganha relógio de luxo de Brunna no aniversário de 29 Anos

24.04.2024 20:47 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Suposto sobrinho de Marcola, do PCC, teria sido preso em operação no SC

Suposto sobrinho de Marcola, do PCC, teria sido preso em operação no SC

24.04.2024 20:24 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.