Lula continua sendo humilhado por Maduro  Lula continua sendo humilhado por Maduro 
O Antagonista

Lula continua sendo humilhado por Maduro 

avatar
Carlos Graieb
3 minutos de leitura 21.05.2024 13:46 comentários
Análise

Lula continua sendo humilhado por Maduro 

Ditador venezuelano rompe compromissos relativos ao território de Essequibo a dois meses de eleições que ameaçam seu poder

avatar
Carlos Graieb
3 minutos de leitura 21.05.2024 13:46 comentários 0
Lula continua sendo humilhado por Maduro 
Militares venezuelanos cruzam ponte construída na região de Essequibo - Foto: Reprodução/X de Domingo H. Lárez

Lula continua sendo humilhado por seu amigo Nicolás Maduro. 

Na semana passada, completou-se a construção de uma “ponte provisória” entre a Venezuela e a ilha de Ankoko, que o país bolivariano ocupa há décadas, embora um tratado internacional do final do século 19 tenha compartilhado sua posse entre a Venezuela e a Guiana.  

A iniciativa tem se ser vista pelo que é: mais um passo da ditadura de Maduro no sentido de anexar o território de Essequibo, onde fica a ilha.  

Ponte e tanques

Segundo o general Domigo Hernández Lárez, comandante da equipe de engenheiros militares responsável pela construção, ela servirá para “levar harmonia e progresso ao nosso estado de Guyana Esequiba”, que é como a Venezuela se refere ao território que reclama. 

Por ali, acrescentou o militar, “passarão máquinas, construiremos escolas, universidades, centros de saúde, centros de abastecimento, pistas de interconexão, comércio e muitos outros projetos construtivos”. 

Trata-se de uma bravata criminosa. Ainda que a Venezuela fosse capaz de levar desenvolvimento aonde quer que seja – não é, tendo em vista a penúria em que o bolivarianismo enterrou o país –, tudo que pode passar pela estreita ponte neste momento são equipamentos de guerra. E há relatos de que tanques já fizeram a travessia.  

Lárez, aliás, publicou em suas redes sociais imagens de tanques que teriam feito a travessia.

Escalada no conflito

É mais do que provocação. É uma ação militar concreta, ainda que em ínfima escala.  

Ela veio acompanhada, além disso, da nomeação de um colegiado que deve elaborar a “constituição” do hipotético novo estado venezuelano. 

Com isso, Maduro violou o Acordo de Argyle, assinado entre Venezuela e Guiana em dezembro do ano passado. O documento contém a promessa de que “ambos os lados vão se abster, por palavras ou atos, de escalar qualquer conflito ou desentendimento derivado da controvérsia entre eles”.  

Ele também desdenhou do pedido que Lula lhe fez na mesma época, como mediador da conversa entre as duas nações: evitar “medidas unilaterais”.  

Rasteira ou cumplicidade

Trata-se de clara rasteira no presidente brasileiro, que pretende ter voz respeitada em questões mundiais, mas não consegue sequer influenciar o encrenqueiro da vizinhança. 

Lulistas do Itamaraty dirão que não se deve sobrevalorizar esses acontecimentos: eles não seriam uma escalada verdadeira (não é o que pensa a Guiana), mas somente jogadas políticas de Maduro, tendo em vista as eleições presidenciais prometidas para o final de julho.  

Admita-se por um momento que o raciocínio faz sentido. Nesse caso, estamos diante de um governante que não hesita em usar a cartada do conflito internacional para continuar no poder.  

Ou que, face a sinais consistentes de que será derrotado nas urnas, poderia provocar um estado de emergência, cancelando o pleito.  

Essas hipóteses fazem de Lula mais que um palerma enganado por Maduro. Transformam sua complacência em cumplicidade com o ditador. 

Se os posicionamentos sobre as guerras na Ucrânia e em Gaza mostram a indigência moral da diplomacia lulista, a incapacidade de aquietar Maduro demonstram cabalmente que suas pretensões de liderança estão assentadas no vento.   

Brasil

MP quer ouvir Paes em processo sobre deputada ‘madrinha’ de milícia

23.06.2024 07:08 3 minutos de leitura
Visualizar

Concurso TRF2: Prepare-se para as provas de Julho e conquiste um salário de R$ 14.000!

Visualizar

Vasco surpreende, goleia o São Paulo e reage no Brasileirão. Veja os gols

Visualizar

Bolsa Família: veja o calendário de pagamentos de junho e saiba como consultar

Visualizar

2024: ano dos Concursos Municipais - Grande oportunidade e estabilidade

Visualizar

Onde assistir aos jogos de hoje, 23/06, na TV e streaming

Visualizar

Tags relacionadas

diplomacia brasileira Essequibo Guiana Itamaraty Lula Nicolás Maduro Venezuela
< Notícia Anterior

Opositor critica Netanyahu, mas repudia pedido de prisão e comparação com Hamas

21.05.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

"É como acusar os EUA após o 11 de setembro"

21.05.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Carlos Graieb

Carlos Graieb é jornalista formado em Direito, editor sênior do portal O Antagonista e da revista Crusoé. Atuou em veículos como Estadão e Veja. Foi secretário de comunicação do Estado de São Paulo (2017-2018). Cursa a pós-graduação em Filosofia do Direito, da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP).

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

Lula enjoa

Lula enjoa

Carlos Graieb
21.06.2024 18:14 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
A visão aquém do alcance de Gleisi

A visão aquém do alcance de Gleisi

Rodrigo Oliveira
21.06.2024 16:40 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Ato 2 do ilusionismo matemágico terá pente-fino nos gastos

Ato 2 do ilusionismo matemágico terá pente-fino nos gastos

Rodrigo Oliveira
21.06.2024 08:58 2 minutos de leitura
Visualizar notícia
Governo e PT abrem disputa por BC com tática do "podia ser pior"

Governo e PT abrem disputa por BC com tática do "podia ser pior"

Rodrigo Oliveira
20.06.2024 15:48 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.