Chiliques e ameaças de Alexandre Silveira não vão melhorar o setor elétrico Chiliques e ameaças de Alexandre Silveira não vão melhorar o setor elétrico
O Antagonista

Chiliques e ameaças de Alexandre Silveira não vão melhorar o setor elétrico

avatar
Carlos Graieb
4 minutos de leitura 03.04.2024 13:58 comentários
Análise

Chiliques e ameaças de Alexandre Silveira não vão melhorar o setor elétrico

Governo ainda está devendo diretrizes finais para renovação de concessões que começam a vencer daqui a pouco, em sequência

avatar
Carlos Graieb
4 minutos de leitura 03.04.2024 13:58 comentários 3
Chiliques e ameaças de Alexandre Silveira não vão melhorar o setor elétrico
Foto: Tauan Alencar/MME via Flickr

Vivo em São Paulo e sei muito bem que a Enel-SP tem prestado um serviço ruim aos consumidores de energia elétrica da cidade. A região onde moro não é das mais atingidas por apagões, mas conheço bastante gente que se considera mais vítima do que cliente da empresa. Ela tem de ser cobrada duramente por melhorias no serviço.

Ainda assim, não consigo simpatizar com a maneira como o ministro das Minas e Energia Alexandre Silveira (PSD-MG) entrou no assunto nesta semana. 

Silveira fez algo que está dentro de suas atribuições: pediu que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que fiscaliza e regulamenta o setor, abra um processo disciplinar contra a Enel-SP. 

Mas ele avançou o sinal ao afirmar, na segunda-feira, 1, que a distribuidora “terá poucas chances de se defender nesse processo”, tendo em vista o seu histórico de desempenho. Silveira chegou a dizer que o processo pode desembocar na interrupção antecipada do contrato de concessão da empresa, que vence em junho de 2028. 

Interferência indevida

Não cabe ao ministro antecipar as conclusões da Aneel. Pelo contrário, ele deveria zelar para que a agência possa desempenhar o seu trabalho técnico com autonomia.

Mas Silveira, embora pertença ao PSD, o partido sem nenhum caráter (“não é nem de direita, nem de esquerda, nem de centro”) criado por Gilberto Kassab, tem o tique autoritário-intervencionista da esquerda lulista. Tanto assim que está muito confortável no governo atual.

O ministro entrou rasgando no debate por razões puramente políticas. Ficou irritado quando o prefeito de São Paulo Ricardo Nunes lembrou que as concessões de energia elétrica são feitas pela União, a quem cabe cobrar excelência das distribuidoras. 

Silveira passou recibo nesta terça-feira, 2, ao contatar Ricardo Boulos, o candidato do Psol e do PT à prefeitura paulistana, para falar sobre a Enel-SP. Nunes disse à imprensa que não foi procurado para conversa semelhante e emendou uma frase esperta: “o ministro só é rápido para fazer política”

Em tempo: Nunes não está livre de culpas nessa histórica, porque muitas interrupções no fornecimento de eletricidade em São Paulo são causadas por quedas de árvores, cuja poda é de responsabilidade do município.

Ranking

Mas voltemos ao ministro. Silveira decidiu dar um tratamento de choque (perdão pelo trocadilho besta) à Enel-SP, como se essa fosse a única empresa com serviços mal avaliados no Brasil. Não é. 

Em meados de março, a Aneel divulgou o ranking de desempenho das 29 distribuidoras que atendem mais de 400 mil consumidores no Brasil. No quesito “continuidade do fornecimento”, a Enel-SP está na vigésima primeira posição (empatada com a Enel-RJ e a Equatorial, do Maranhão). 

Outras seis distribuidoras têm índice pior de serviço, entre elas a Cemig, de Minas Gerais, base política de Silveira. A Assembleia Legislativa do estado se reuniu em dezembro do ano passado para fazer cobranças à empresa. Parece mais preocupada com o assunto do que o ministro. 

Faltam diretrizes

Assim como a Enel-SP, outras 19 distribuidoras têm contratos de concessão vencendo entre 2025 e 2031. O assunto é sério. É uma oportunidade histórica para rever o modelo e melhorar as regras do setor, que começaram a ser desenhadas há 30 anos. 

Nas suas entrevistas nesta semana, esbravejando sobre a Enel-SP, Alexandre Silveira disse que as regras das concessões são “frouxas”. Não entrou em mais detalhes. Mas são justamente as diretrizes para a renovação das concessões que o mercado aguarda receber do governo há mais de um ano. A EDP Espírito Santo, cujo contrato vence em julho de 2025, deveria ter recebido essas diretrizes em janeiro. Ainda aguarda. 

O setor de energia brasileiro precisa de boas regras e segurança jurídica para melhorar. Não de chiliques, ameaças e interferência indevida de Alexandre Silveira nas decisões da Aneel, que deve ser independente.      

Brasil

13 guardas italianos presos por tortura á jovens detidos

22.04.2024 18:34 3 minutos de leitura
Visualizar

Crusoé: PT escolhe ex-PDT para concorrer à prefeitura em Fortaleza

Visualizar

Rui Costa vira alvo de críticas por parte de indígenas

Visualizar

Últimos dias para solicitar isenção no Enem 2024

Visualizar

Empresas financeiras ocidentais na China em desaceleração

Visualizar

Trem em chamas atravessa Londres

Visualizar

Tags relacionadas

agências reguladoras Alexandre Silveira Aneel contratos de concessão Enel setor elétrico
< Notícia Anterior

Justiça para Beatriz: Luta contra violência doméstica em Bálsamo

03.04.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Cadelas morrem sufocadas após serem esquecidas em veículo de Pet Shop

03.04.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Carlos Graieb

Carlos Graieb é jornalista formado em Direito, editor sênior do portal O Antagonista e da revista Crusoé. Atuou em veículos como Estadão e Veja. Foi secretário de comunicação do Estado de São Paulo (2017-2018). Cursa a pós-graduação em Filosofia do Direito, da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP).

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (3)

Paulo Pires

2024-04-03 15:15:05

Este ministro deve estar com saudade da Eletropaulo!


Carlos Alberto Bolsoni

2024-04-03 14:16:04

Oopppa. Graieb advogando a favor da Enel? Vamos cumprir o contrato mesmo com um serviço que beira o ridículo, mesmo com o deboche da empresa, mesmo que o consumidor e pagador da conta seja prejudicado? Não sei quem presta mais desserviço ao povo, a Enel ou esse texto ridículo do Graieb, com apoio do Antagonista.


AEC

2024-04-03 14:13:57

Parece que o ministro também não tem nenhum caráter, apenas quer aparecer!


Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

Pacheco faz o PT parecer responsável 

Pacheco faz o PT parecer responsável 

Carlos Graieb
22.04.2024 17:07 4 minutos de leitura
Visualizar notícia
Verdade e liberdade: John Milton ou Alexandre de Moraes?

Verdade e liberdade: John Milton ou Alexandre de Moraes?

Catarina Rochamonte
21.04.2024 07:10 7 minutos de leitura
Visualizar notícia
Então Elon Musk virou garimpeiro ilegal?

Então Elon Musk virou garimpeiro ilegal?

Rodolfo Borges
20.04.2024 16:59 5 minutos de leitura
Visualizar notícia
Por que o cadáver do ‘Tio Paulo’ virou piada

Por que o cadáver do ‘Tio Paulo’ virou piada

Rodolfo Borges
20.04.2024 10:45 4 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.