video destaque
01.02.2024

Fora da disputa em SP, Salles aponta “jogo de cena” do PL

Deputado federal explica por que deixou a corrida municipal e diz que Valdemar Costa Neto já escolheu o candidato do partido para disputar a presidência da Câmara: "Cartas marcadas"

O deputado federal Ricardo Salles (PL-SP, foto) deixou a corrida pela Prefeitura de São Paulo na quarta-feira, 31. Nesta quinta, ele explicou os motivos em entrevista ao Meio-Dia em Brasília (assista à íntegra abaixo).

“Pressões das mais variadas fizeram com que o presidente Bolsonaro acabasse concordando com a tese de que um candidato de direita em São Paulo como cabeça de chapa teria menos chance e, consequentemente, aceitar indicar o vice para compor a chapa do Ricardo Nunes”, disse Salles, em referência ao apoio do PL à reeleição do prefeito de São Paulo.

O deputado elogiou a opção de Jair Bolsonaro por Ricardo Mello Araújo, ex-chefe da Rota, para compor chapa com Nunes, mas disse que ela determinou sua saída da corrida. “Não iria concorrer com o Bolsonaro”, resumiu o deputado.

“Eu tinha muita vontade de concorrer à Prefeitura de São Paulo justamente por entender que a direita, os eleitores do Bolsonaro, que votaram no 22 em 2022, que fizeram a maior bancada de deputados na Câmara dos Deputados, mas também na Câmara Legislativa de São Paulo, mereciam ter um candidato que efetivamente representasse a direita e a visão conservadora do política”, disse Salles, acrescentando que essa pessoa não é Nunes.

“DNAs diferentes”

Questionado sobre mágoas em relação ao presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto, que atuou contra sua candidatura, Salles disse que os dois têm “DNAs diferentes”. “É água e óleo, não se mistura”, comparou, chamando o grupo de Valdemar de “maquinistas”, que gostam de “máquina” e se opõem aos “ideológicos”, que seriam os conservadores de verdade.

“Não adianta o Valdemar dizer que o PL é o maior partido de direita do Brasil e um monte de deputado federal do PL vota com o governo, tem cargo no governo Lula”, reclamou Salles, destacando as conversas de membros do PL com políticos de esquerda para as eleições municipais deste ano.

Eleição da Câmara

Quando questionado sobre o processo seletivo cogitado pelo PL para apontar um candidato para a presidência da Câmara do Deputados, Salles foi taxativo: “Isso é tudo jogo de cena”.

Segundo ele, Valdemar já decidiu que o candidato vai ser Altineu Côrtes (RJ). “É jogo de cartas marcadas, o Valdemar já decidiu que vai colocar o Altineu, que é ótima pessoa, mas é um cara 100% do Valdemar e não tem espaço para outras ideias”, comentou.

Assista à íntegra da entrevista:

video destaque

Fora da disputa em SP, Salles aponta “jogo de cena” do PL

Deputado federal explica por que deixou a corrida municipal e diz que Valdemar Costa Neto já escolheu o candidato do partido para disputar a presidência da Câmara: "Cartas marcadas"

O deputado federal Ricardo Salles (PL-SP, foto) deixou a corrida pela Prefeitura de São Paulo na quarta-feira, 31. Nesta quinta, ele explicou os motivos em entrevista ao Meio-Dia em Brasília (assista à íntegra abaixo).

“Pressões das mais variadas fizeram com que o presidente Bolsonaro acabasse concordando com a tese de que um candidato de direita em São Paulo como cabeça de chapa teria menos chance e, consequentemente, aceitar indicar o vice para compor a chapa do Ricardo Nunes”, disse Salles, em referência ao apoio do PL à reeleição do prefeito de São Paulo.

O deputado elogiou a opção de Jair Bolsonaro por Ricardo Mello Araújo, ex-chefe da Rota, para compor chapa com Nunes, mas disse que ela determinou sua saída da corrida. “Não iria concorrer com o Bolsonaro”, resumiu o deputado.

“Eu tinha muita vontade de concorrer à Prefeitura de São Paulo justamente por entender que a direita, os eleitores do Bolsonaro, que votaram no 22 em 2022, que fizeram a maior bancada de deputados na Câmara dos Deputados, mas também na Câmara Legislativa de São Paulo, mereciam ter um candidato que efetivamente representasse a direita e a visão conservadora do política”, disse Salles, acrescentando que essa pessoa não é Nunes.

“DNAs diferentes”

Questionado sobre mágoas em relação ao presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto, que atuou contra sua candidatura, Salles disse que os dois têm “DNAs diferentes”. “É água e óleo, não se mistura”, comparou, chamando o grupo de Valdemar de “maquinistas”, que gostam de “máquina” e se opõem aos “ideológicos”, que seriam os conservadores de verdade.

“Não adianta o Valdemar dizer que o PL é o maior partido de direita do Brasil e um monte de deputado federal do PL vota com o governo, tem cargo no governo Lula”, reclamou Salles, destacando as conversas de membros do PL com políticos de esquerda para as eleições municipais deste ano.

Eleição da Câmara

Quando questionado sobre o processo seletivo cogitado pelo PL para apontar um candidato para a presidência da Câmara do Deputados, Salles foi taxativo: “Isso é tudo jogo de cena”.

Segundo ele, Valdemar já decidiu que o candidato vai ser Altineu Côrtes (RJ). “É jogo de cartas marcadas, o Valdemar já decidiu que vai colocar o Altineu, que é ótima pessoa, mas é um cara 100% do Valdemar e não tem espaço para outras ideias”, comentou.

Assista à íntegra da entrevista:

Vídeos mais vistos

1

Cinco Minutos: Renan amarga derrota na CPI da Braskem

Imagem
0 vídeos
22.02.2024 07:22 1 minuto de leitura
2

Cinco Minutos: O mergulho de Lula na articulação política

Imagem
0 vídeos
19.02.2024 07:19 1 minuto de leitura
3

Se regime de Putin mata, Lula se cala?

Imagem
0 vídeos
16.02.2024 22:01 1 minuto de leitura
4

A fala repugnante de Gilmar

Imagem
0 vídeos
21.02.2024 21:59 1 minuto de leitura
5

PF contrariou Moraes em caso de ofensa?

Imagem
0 vídeos
16.02.2024 22:10 1 minuto de leitura

Playlists

Antagonista Docs

Antagonista Meeting

Entrevistas

Ilha de Cultura

Latitude

Meio-Dia em Brasília

Narrativas Antagonista com Madeleine Lackso

Papo Antagonista com Felipe Moura Brasil

Ver mais playlists

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.